Tamanho do texto

Velório acontece neste domingo (25) Cemitério Vertical de Curitiba

 O ex-bailarino Jair Moraes, coreógrafo e ex-diretor artístico do Balé Teatro Guaíra, em Curitiba, morreu aos 70 anos na manhã deste domingo (25). O velório acontecerá a partir das 19h, no Cemitério Vertical de Curitiba (Rua Konrad Adenauer, 940, bairro Tarumã) e a cremação está marcada para as 15 horas de segunda-feira (26), no mesmo local.

Leia mais: Relembre as mortes no mundo dos famosos em 2016

O ex-bailarino Jair Moraes
Divulgação
O ex-bailarino Jair Moraes


Jair Moraes estava hospitalizado há cinco meses por conta de uma infecção pulmonar grave. Ele foi homenageado em outubro, quando 13 companhias e grupos de dança locais apresentaram "Todos com Jair Moraes" no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto, o Guairão, em reconhecimento a sua dedicação de 50 anos à dança e para prestar assistência à recuperação dele.

Leia mais: Patrícia Poeta mostra ótima forma em aula de balé

"Ele trouxe brilho e vigor ao Balé Teatro Guaíra. O espírito inquieto mostrou novas vertentes para a dança e revelou muitos talentos que ganharam brilho próprio graças aos ensinamentos dele. Só nos resta aplaudir e reverenciar este mestre da dança”, disse a diretora-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, Monica Rischbieter. “Os funcionários do CCTG estão consternados com esta perda assim como as pessoas ligadas ao mundo das artes”, afirmou.

Leia mais:  Mila Kunis revela que detestou dançar ballet em "Cisne Negro"


Perfil

Jair Moraes nasceu em 30 de outubro de 1946 e é considerado uma figura emblemática para a dança. De família militar e criado somente pela mãe, enfrentou o preconceito e saiu de casa aos 14 anos em busca do sonho de se tornar um grande bailarino, chegando a morar na rua e a passar fome.

Virou estagiário no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, sob a direção de Hector Zaraspe, ançou no Corpo de Baile do Teatro Guaíra (Curitiba-PR), de 1970 a 1972, e foi solista do Corpo de Baile do Theatro Municipal de São Paulo, entre 1972 e 1973. Neste mesmo ano partiu para a Europa, ficando por oito anos no Balé Gulbenkian, em Lisboa, a convite de Carlos Trincheiras.

Em 1979, já como primeiro bailarino, tornou-se maître-de-ballet e assistente de ensaiador do Balé Teatro Guaíra. De 1994 a1996 assumiu a direção do grupo, quando coreografou Canções (1994). Sob a direção dele foram produzidas as obras Olhos para o mar (1996), de Henning Paar, Rhapsody in blue (1994), de Ana Mondini, O Mandarim Maravilhoso (1996), de Júlio Mota, Coppellius, o mago (1997), de Márcia Haydée, e Viva Rossini (1996), de Tíndaro Silvano.

O ex-bailarino Jair Moraes dançando com Ana Botafogo
Divulgação
O ex-bailarino Jair Moraes dançando com Ana Botafogo


Dirigiu o grupo Raízes, em Caxias do Sul, de 1983 a 1990 e foi professor por dois anos da Escola do Teatro Bolshoi, em Joinville. Dançou com estrelas como Ana Botafogo , N ora Esteves, Eliana Caminada e Carla Couto , e atuou em diferentes partes do Brasil como diretor, mestre, coreógrafo e consultor artístico.

Jair Moraes conquistou prêmios como Revelação do Festival de Nervi (Itália), Melhor Bailarino no Festival de Inverno de Cascais (Portugal), Coreógrafo Revelação pelo Festival Internacional de Trujillo (Peru), nomeado Melhor Coreógrafo no Concurso de Coreografia Havana (Cuba).

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.