Tamanho do texto

Comédias dominam a lista, seguidas por filmes de terror. O iG Gente lista as dez piores produções cinematográficas lançadas em 2016; confira

Este foi um ótimo ano para o cinema, tanto no cenário nacional – no qual fomos presenteados com títulos como “Aquarius” e “Pequeno Segredo”, que irá representar o Brasil na disputa pelo Oscar em 2017 – quanto no internacional – em que tivemos superproduções que arrasaram nas bilheterias como “Deadpool” e “Doutor Estranho”, animações esperadas há anos pelo público como “Procurando Dory” e o ressurgimento do mundo bruxo com “Animais Fantásticos e Onde Habitam” – mas, como nem tudo é perfeito, também houve grandes fiascos na sétima arte. Confira uma lista com os dez piores filmes de 2016:

Leia mais:  Músicas de 2016: listamos os 10 singles que marcaram o ano

10 – "Gênios do Crime"

Divulgação
"Gênios do Crime", apesar de ter ótimos atores, desperdiçou seu potencial e se tornou um fracasso do cinema

Nem o forte elenco de comédias salvou “Gênios do Crime” do fiasco completo – com Owen Wilson, Zach Galifianakis e Kirsten Wig, a trama foi baseada em uma história real de um dos maiores roubos dos Estados Unidos. O diretor optou por transformar o caso em uma comédia e mostrar o lado “humano” das personagens, mas não acertou e acabou transformando o filme em uma série de piadas que não despertam o riso na plateia. Certamente, um dos piores filmes do ano .

9 – "Tartarugas Ninja – Fora das Sombras"

Mesmo sendo personagens icônicos da cultura pop,
Divulgação
Mesmo sendo personagens icônicos da cultura pop, "Tartarugas Ninja - Fora das Sombras" peca pelo excesso

Nem os efeitos de ponta salvam “Tartarugas Ninja – Fora das Sombras”. O filme é apenas uma mistura de muita computação gráfica, ação e humor, sem dar a devida atenção ao roteiro, que tinha um grande potencial para ser explorado de uma maneira mais interessante. O erro foi, basicamente, subestimar o gosto do público, trocando uma boa narrativa por efeitos especiais.

8 – "Porta dos Fundos – Contrato Vitalício"

Melhor voltar para a internet: longa do Porta dos Fundos não fez o sucesso esperado e decepcionou os fãs
Divulgação
Melhor voltar para a internet: longa do Porta dos Fundos não fez o sucesso esperado e decepcionou os fãs

Será que o grupo que é um fenômeno na internet e domina o humor do Youtube estava mesmo pronto para cruzar a fronteira e se aventurar na sétima arte? Os personagens exagerados e as piadas se tornam cansativas ao longo do filme “Porta dos Fundos – Contrato Vitalício”, que tenta fazer uma espécie de crítica à indústria do entretenimento, mas não acertou na tom das brincadeiras nem no ritmo da história, ou seja, ainda precisam trabalhar mais nas adaptações para o cinema.

7 – "É Fada"

Divulgação
"É Fada", da Youtuber Kéfera Buchmann, foi um dos mais falados filmes do ano - e, também, inegavelmente um dos piores

Mais um filme da leva que tenta migrar o conteúdo da internet – dessa vez da Youtuber Kéfera Buchmann – para as telonas e, mais uma vez, o filme não acerta completamente. Os problemas de roteiro de “É Fada” são claros: a tentativa de dialogar com o público mais jovem deixa o longa tedioso para os mais velhos e não convence. Além disso, não houve cuidado da produção, por exemplo, com maquiagem, efeitos ou atenção ao cenário.

Leia mais:  Globo de Ouro dá 29ª indicação a Streep e consolida favoritismo de "La La Land"

6 – "Tô Ryca"

Divulgação
"Tô Ryca" tenta ser uma comédia de crítica social, mas acaba adquirindo tom de humilhação com as personagens

“Tô Ryca” tenta emplacar uma crítica social, mas, ao mesmo tempo, não o faz com sucesso, podendo ter um caráter ofensivo com os personagens – que, em sua maioria, são de classes baixas e zonas periféricas do Rio de Janeiro. A produção errou na hora de abordar o tema, fazendo o feitiço se voltar contra o feiticeiro – ao invés de explorar os absurdos das classes altas, acaba reforçando uma ideia de segregação entre as pessoas. Nem a experiente atriz de comédias Samanta Schmütz conseguiu melhorar o filme.

5 – "Boneco do Mal"

Divulgação
"Boneco do Mal" peca pelo excesso de clichês na história, que a tornam mais engraçada do que assustadora

Esse é um filme que, se fosse uma comédia, teria mais sucesso de público e bilheteria. “Boneco do Mal” reuniu – de uma forma nada inteligente – os maiores clichês de filmes de terror médios, fazendo com que as situações encaradas pela protagonista Greta, vivida por Lauren Cohen, sejam mais engraçadas do que assustadoras, como, por exemplo, a atitude clássica de procurar de onde está vindo um som desconhecido. A melhor solução para engolir a história é ver a produção para dar algumas risadas – e não esperar nada além disso.

4 – "Deuses do Egito"

Filme com a pretensão de ser grandioso falhou em vários níveis e acabou por ser uma dos maiores fracassos do ano
Divulgação
Filme com a pretensão de ser grandioso falhou em vários níveis e acabou por ser uma dos maiores fracassos do ano

“Deuses do Egito” chama a atenção da pior forma possível: a primeira foi a polêmica com um elenco de atores brancos interpretando personagens que vivem no norte do continente africano e, segundo, pelo fracasso da narrativa. A produção era um tanto quanto pretenciosa – afinal, qualquer tema sobre deuses ganha esse caráter, entretanto, o diretor não conseguiu “bancar” as expectativas e “Deuses do Egito” acabou se tornando um filme exagerado, mas que não impressiona.

3 – "Tirando o Atraso"

Robert De Niro errou e muito em
Divulgação
Robert De Niro errou e muito em "Tirando o Atraso": o filme, além de ruim, é recheado de piadas preconceitusas

É difícil imaginar que o experiente e oscarizado Robert De Niro esteja entre os piores filmes do ano, mas “Tirando o Atraso” não poderia passar despercebido – ou seria melhor se passasse. O filme reúne alguns dos piores pontos típicos das comédias americanas, além de apelar para sexismo e preconceito em diversos momentos. Um idoso que quer “curtir a vida” e, para isso, pede a ajuda de seu neto não é uma história original e o filme, ainda, peca por cair nessas falhas. Nem De Niro conseguiu elevar um pouco o nível do longa.

Leia mais:  "Game of Thrones" lidera a lista das dez melhores séries de 2016

2 – "Um Suburbano Sortudo"

Divulgação
"Um Suburbano Sortudo" tem todos as aspectos negativos da comédia nacional unidos em um único título

Ao contrário de “Porta dos Fundos – Contrato Vitalício” que preza por evitar preconceitos disseminados pela sociedade, “Um Suburbano Sortudo” rema contra a maré e abusa de diversas piadas de péssimo gosto e, muitas vezes, com teor escatológico – além da história duvidosa, em que o protagonista, Denilson, papel encarnado por Rodrigo Sant’anna, é filho de um caso de sua mãe, que era empregada doméstica, com um patrão rico e, quando este vem a falecer, Denilson leva toda a herança do pai.

1 – "Martyrs"

Remake de filme francês,
Divulgação
Remake de filme francês, "Martyrs" levou o título de pior longa do ano pelo excesso de violência gratutita

Não poderia faltar um remake para fechar a lista de piores filmes do ano : dessa vez o posto fica com “Martyrs”, versão americana e levemente mais higienizada do francês “Mártires”, que chocou a crítica e o público em 2008. O filme é repleto de cenas violentas e sangrentas, mas há pouca reflexão e embasamento para elas, fazendo com que sejam vazias e gratuitas. O roteiro, que propunha uma “nova versão” – não uma “releitura” – apagou os questionamentos morais do original, fazendo com que “Martyrs” seja somente uma sequencia de brutalidade gratuita.  

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.