Tamanho do texto

Série terá último episódio do ano exibido na madrugada de domingo para segunda-feira. Segunda parte da sétima temporada retorna em fevereiro

A sétima temporada de “The Walking Dead” tem se provado irregular no ritmo e pretensiosa na narrativa. Alternando bons momentos, quase todos eles concentrados na figura hipnótica de Negan (Jeffrey Dean Morgan), como no sétimo episódio “Sing me a Song”, e momentos de tédio em que tudo o que ocorre é a repetição de temas amplamente debatidos em outros anos da série, caso do sexto episódio intitulado “Swear”.

Leia mais: Aaron de “The Walking Dead” dá show de carisma na CCXP

Jeffrey Dean Morgan dá show de interpretação como Negan em The Walking Dead
Divulgação
Jeffrey Dean Morgan dá show de interpretação como Negan em The Walking Dead

Neste domingo (11), será exibido às 00h30 no canal FOX o último episódio de “The Walking Dead” do ano. A série, então, entra em hiato e retorna somente em fevereiro para os oitos episódios finais da sétima temporada. Desde que este hiato foi instituído, lá na terceira temporada, o show apresenta midseason finales de tirar o fôlego. Em 2015, por exemplo, vimos Alexandria sucumbir diante de zumbis. Tudo indica que neste ano teremos a escalada das tensões envolvendo Negan e Alexandria.

Leia mais:  Dependente de Negan, "The Walking Dead" vive momento decisivo em seu 7º ano

O teaser de “Hearts Still Beating” mostra que não é só em Alexandria que há inquietação acerca dos métodos empregados por Negan. Vemos Morgan (Lennie James) discutindo com seguidores de Ezekiel (Khary Payton) alternativas para frear o líder dos Salvadores. Por seu turno, Negan dá sinais de que pode partir para um confronto mais enfático com Rick, uma vez que os habitantes de Alexandria parecem resistir a seu domínio, como atestou a tentativa de Carl (Chandler Riggs) de assassinar o vilão.

Cena da sétima temporada de The Walking Dead
Divulgação
Cena da sétima temporada de The Walking Dead

Tudo leva a crer que os reflexos da intempestiva ação de Carl ditarão os rumos deste último episódio do ano. Onde está Jesus, que vimos no topo do caminhão que levou Negan e Carl a Alexandria? Como Rick reagirá ao ver Negan com Judith e Carl? Até que ponto a tática de controle psicológico pelo medo e pelo terror por parte de Negan será suportável para seu séquito mais próximo? São perguntas que este episódio final deve ensejar com mais propriedade e cujas respostas devem começar a ser elaboradas na segunda parte da sétima temporada.

Leia mais:  Negan continuará tocando o terror na 8ª temporada de "The Walking Dead"

Se existe uma coisa que o fã de “The Walking Dead” já aprendeu é que com a série sob os cuidados de Robert Kirkman, também criador das HQs, os ganchos serão irresistíveis de tão provocadores. Depois de um discutível gancho no final da sexta temporada com aquele famigerado “quem morreu?”, a expectativa é saber se ele irá repetir a dose ou apostar em uma nova abordagem.

    Leia tudo sobre: The Walking Dead
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas