Tamanho do texto

O prefeito eleito da cidade de São Paulo, João Doria, decidiu levar os grandes shows da Virada Cultural para o autódromo de Interlagos, na Zona Sul

Após o prefeito de São Paulo, João Doria , confirmar que a Virada Cultural de 2017 será no autódromo de Interlagos, uma série de manifestações começaram a acontecer nas redes sociais. Isso porque desde 2005 o evento acontece em palcos espalhados pelo Centro da cidade.

Leia mais:  Virada Cultural: música e exposições são atrações do Museu da Casa Brasileira

O prefeito eleito da cidade de São Paulo, João Dória, decidiu levar os grandes shows da Virada Cultural para o autódromo
Reprodução
O prefeito eleito da cidade de São Paulo, João Dória, decidiu levar os grandes shows da Virada Cultural para o autódromo


André Sturm, nomeado Secretário da Cultura de São Paulo, tomou a frente da situação e resolveu prestar alguns esclarecimentos sobre a Virada Cultural de 2017. Segundo ele, o evento vai muito além do que apenas palcos espalhados pelo Centro de São Paulo e deve ser um agente catalisador dos espaços públicos culturais da cidade "Vale dizer que os grandes shows tiveram importância na consolidação da Virada Cultural até aqui, mas a Virada não pode se restringir a eles", afirmou ele.

Leia mais: Virada Cultural 2016 terá concurso de drag queens com participante de "RuPaul's"

Ainda segundo ele, Interlagos pode acolher os grandes palcos, mas tudo isso ainda será definido após a criação da programação e avaliação do espaço. Para o Secretário nomeado, a cidade conta com grandes artistas bons que não sobem em grandes palcos, mas merecem esse reconhecimento. "Por isso, vamos realizar em janeiro uma chamada pública para escolhermos projetos artísticos inéditos ou não que proponham diálogos com o Centro e os cidadãos em diferentes linguagens. Que convidem os cidadãos a entrar em espaços culturais que eles ainda não conheçam", completou.

Sobre a descentralização, André Sturm afirma que deseja levar público e programação para as 53 bibliotecas municipais, para as 17 casas de cultura, os 6 centros culturais, dos 10 teatros, dos bosques e pontos de cultura que a cidade tem e mantém por 365 dias ao longo do ano.

Leia mais:  Virada Cultural começa sexta-feira com happy hour no centro de São Paulo

"Gosto de pensar em uma Virada Cultural que possibilite a um número maior de pessoas experiências como a da Cia Pessoal do Faroste, que leve as famílias ao Centro para assistir espetáculos circenses", afirmou, que tem mais planos: fazer os ônibus bibliotecas voltarem na Virada cultural. "Com a Virada Cultural podemos ampliar o olhar do público para enxergar o Centro de novas formas, com intervenções de vídeo mapping em fachadas históricas. Desta forma, o foco antes concentrado nos grandes palcos se amplia", finaliza.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.