Tamanho do texto

Túnel subterrâneo sob o Bryant Park, em Nova York, serve como linha férrea para livros que vão à Biblioteca Central da maior cidade dos Estados Unidos

O Bryant Park, um dos lugares mais icônicos de Nova York, floresce no meio dos concretos de Manhattan, principalmente no Natal. Com mercadinhos, feirinhas e pista de patinação, o que ninguém imagina é que embaixo do parque existe um verdadeiro "bunker", só que não para pessoas, e sim, para livros, com um caminho subterrâneo que o liga à Biblioteca Central.

Leia mais: Livro "A Resistência", de Julián Fulks, vence Prêmio Jabuti

Linha férrea subterrânea leva livros para a Biblioteca Central de Nova York por baixo do Bryant Park
Reprodução/The New York Times
Linha férrea subterrânea leva livros para a Biblioteca Central de Nova York por baixo do Bryant Park

O espaço sob o parque tem mais de cinco mil metros quadrados e se estende pelos espaços subterrâneos da Fifth Avenue. O caminho entre o galpão e a biblioteca é feito por uma linha férrea.

A mini linha férrea conta com um sofisticado sistema de transporte com vagões que carregam os livros de um lado para o outro. A linha custou US$ 2,6 milhões, cerca de R$ 9 milhões. A instituição já tinha um sistema de transporte mecanizado para os livros, no entanto, estava ultrapassado, com mais de 25 anos de uso.

Leia mais:  Bob Dylan ganha o Prêmio Nobel de Literatura 2016 e fatura R$ 2,9 milhões

Rapidez e facilidade

O novo sistema é mais veloz e confiável. "Cada vez que um vagão se bloqueava, o sistema ficava fora de uso por uma semana, 10 dia", disse Gerry Oliva, diretor das atividades operativas da New York Public Library, enfatizando que nessas ocasiões o transporte tinha que ser feito manualmente.

O novo trem, além de ser duas vezes mais rápido – o trajeto do prédio central até o bunker dura cerca de 45 minutos –, e em caso de problemas, o mini-vagão pode ser removido sem grandes operações e deixar a linha ferroviária livre para a circulação. Cada vagãozinho tem um motor elétrico e é monitorado por sensores que os permitem andar tanto horizontalmente quando verticalmente.

Leia mais:  Rita Lee fala sobre estupro, drogas e sua carreira em autobiografia

Os livros no bunker são catalogados não por autor – como geralmente é feito na biblioteca –, mas sim pela suas dimensões. Cada tamanho tem um código e organização, dessa forma, a capacidade de armazenamento do espaço pode aumentar em cerca de 40%.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.