Tamanho do texto

O cantor, que atingiu o ápice da carreira ainda muito jovem, agora inicia nova fase interpretando canções de Paul Simon; leia entrevista exclusiva

A combinação de músicos para homenagear o cantor e compositor Paul Simon não poderia ser melhor – Ritchie, sucesso arrasador da década de 80 com “Menina Veneno”, se reúne com o trio Blacktie e o instrumentista Tuco Marcondes para o lançamento da turnê “Ritchie & Blacktie – Old Friends – The Songs of Paul Simon”, nesta sexta (18), no Sesc Pompeia, em São Paulo.

                Leia mais:  "Nunca voltarei a ser o que era nos anos 90", diz Digão, dos Raimundos

Ritchie vive nova fase de sua carreira ao interpretar canções icônicas do cantor e compositor Paul Simon.
Divulgação
Ritchie vive nova fase de sua carreira ao interpretar canções icônicas do cantor e compositor Paul Simon.


Com mais maturidade e certezas sobre seu trabalho, Ritchie conversou com o iG sobre essa nova fase musical que está encarando. Para ele, que sempre cantou músicas próprias, ser interprete – ou seja, fazer covers – é uma experiência nova que está sendo "surpreendentemente gratificante". O músico foi convidado a fazer parte do projeto do grupo Blacktie , porém recusou a proposta de início. "Era muita responsabilidade, mas agora estou muito feliz de ter aceitado".

"Gosto de coisas novas"

Sucesso durante a década de 80 com
Wikimedia Commons
Sucesso durante a década de 80 com "Menina Veneno", o cantor Ritchie está se lançando em novos projetos.

"Essa não é uma homenagem nostálgica, é uma nova leitura do trabalho de Paul Simon . As perguntas [das músicas] ainda são as mesmas que fazemos hoje em dia, tudo ainda é muito relevante?" disse Ritchie sobre o porquê de ter embarcado nessa iniciativa. O músico – que pôde escolher o repertório que iria cantar – disse que optou por resgatar canções do início da carreira de Paul Simon pelo seu significado e por seu impacto, além de ter uma ligação pessoal com esse momento da carreira do artista.

"São músicas dos discos que eu ouvia quando jovem, no meio da década de 60. Ao invés de tentar abordar aquilo que não estava em mim, escolhi canções com as quais já tinha familiaridade. Mergulhei fundo nessa primeira fase para interpretar as músicas", falou o cantor sobre sua preparação para poder dar uma nova vida às antigas canções de um dos melhores guitarristas da história.

Idioma

Além disso, para ele, ter a oportunidade de cantar em inglês é uma forma de revisitar suas origens - para quem não sabe, Ritchie é britânico, radicado no Brasil desde os anos 70. “Me sinto em casa fazendo isso. Cantar em português sempre foi muito complicado para mim. [em inglês] dou mais peso para a interpretação, estou muito mais próximo da língua, tenho mais possibilidades”, conta.

                Leia mais:  Liniker e os Caramelows fará show no SXSW, nos Estados Unidos

Paul Simon, o homenageado , é um cantor e compositor norte-americano que, em 2017, completará 60 anos de carreira. Suas letras – que ganharam novo fôlego na releitura de Ritchie em conjunto com a banda Blacktie -  são todas em inglês.

Menina Veneno

“Já fizemos alguns shows desse projeto e, em todos eles, minha maior temeridade era ouvir as pessoas pedindo Menina Veneno , mas percebi que o público estava lá para ouvir Paul Simon mesmo e prestigiar o trabalho dele. Isso me surpreendeu um pouquinho” confessa Ritchie sobre como tem sido sua experiência ao lado do grupo Blacktie. “A primeira tiragem do disco que produzimos já esgotou, as vendas realmente foram uma surpresa também” fala ele do sucesso do projeto com os fãs.

Sobre sua trajetória, o cantor inglês desabafa. "Meu sol veio muito cedo, sempre serei lembrado por  Menina Veneno .  Aos poucos tentei evoluir para outro lado, sou muito curioso e gosto de coisas novas". Ele disse, ainda, que está aproveitando muito essa fase de interpretação. “É o momento certo para esse tipo de som”, comenta.

                Leia mais:  Alessandra Maestrini sobre direitos das mulheres: "Tivemos várias conquistas"

Parceria

Ritchie, Tuco Marcondes e a banda Blacktie realizam homenagem ao músico Paul Simon.
Divulgação
Ritchie, Tuco Marcondes e a banda Blacktie realizam homenagem ao músico Paul Simon.

A parceria com com os músicos do grupo Blacktie, Mario Manga, Swami Jr. e Fabio Tagliaferri, e do também convidado, Tuco Marcondes . é elogiada. "Estou muito feliz de poder participar disso ao lado de pessoas tão respeitadas no meio. Dei sorte de sempre estar no lugar certo com os artistas certos. Além de excelentes músicos, são meus amigos”.

Ritchie começou sua carreira na música na década de 1970, quando veio da Inglaterra, país onde nasceu, para São Paulo. Em pouco tempo ele já tinha contato com nomes de relevância no cenário nacional, como Gal Costa e Rita Lee . “Achava que seria impossível um inglês ter sucesso aqui no Brasil”, admite. “Mas me considero um sortudo no meio de tudo isso. Viver de música por aqui era tudo que eu queria”, vibra, ao relembrar sua trajetória artística. Agora, mesmo que depois de tantos anos, Ritchie diz que está “se descobrindo” com esse novo projeto. “Para mim é um prazer tocar com eles [Blacktie e Tuco Marcondes]. Estou muito feliz de fazer parte disso”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.