Tamanho do texto

Parte do calendário cultural da cidade, o evento trará como suas principais atrações Karina Buhr e Liniker em homenagem à Phedra de Córdoba

São Paulo irá receber pela 17ª vez o festival Satyrianas, na Praça Roosevelt, no Centro da cidade. Serão 78 horas de programação cultural de sábado . Este ano o evento fará uma homenagem à transexual Phedra de Córdoba, integrante do grupo de teatro "Os Sátiros", falecida em abril deste ano.  Algumas das principais atrações serão o cantor Liniker, o bloco Domingo Ela Não Vai e um sarau com Karina Buhr.

Leia mais:  Virada Cultural 2016 terá concurso de drag queens com participante de "RuPaul's"

O Satyrianas traz 78h de programação cultural e artística para a Praça Roosevelt, no centro de São Paulo.
Divulgação
O Satyrianas traz 78h de programação cultural e artística para a Praça Roosevelt, no centro de São Paulo.


Quem foi Phedra?

A atriz cubana, que faleceu aos 77 anos, é a homenageada da 17ª do festival Satyrianas.
Divulgação/Youtube
A atriz cubana, que faleceu aos 77 anos, é a homenageada da 17ª do festival Satyrianas.

Phedra de Córdoba era uma atriz que lutava diariamente pela sua existência: atuante no meio underground da cultura da cidade, Phedra era cubana e não tinha família no Brasil – e fez d’Os Satyros a sua casa. Ela assumiu sua transexualidade em pleno período da ditadura militar, fazia parte do candomblé e foi, durante toda a sua vida, vítima do machismo , intolerância e outros preconceitos . O Satyrianas decidiu homenagear a trajetória e a força da atriz que encerrou sua brilhante atuação no início deste ano, aos 77, em decorreência de um câncer nos pulmões. 

Leia mais:  Iniciação musical e diversão: Beatles para Crianças leva rock para os pequenos

Phedra fez da arte sua voz e do teatro sua resistência – ao longo de 15 anos no grupo “ Os Satyros ”, foi ela a responsável por integrá-los ao ecossistema da Praça Roosevelt , originalmente frequentada por prostitudas e travestis, que a viam como um ícone de força e sobrevivência. A atriz, extremamente apaixonada pelo seu ofício no teatro , não tinha medo da morte e se expressava com toda a vivacidade em suas apresentações, como quando encenou “Não Morrerás”, de Gilberto Gil , nua, deixando, não apenas seu corpo, mas sua alma a mostra para o público.

“Satyrianas”

Esse ano o festival Satyrianas será não apenas uma homenagem à Phedra de Córdoba, mas um grito em defesa das minorias. Diversas áreas artísticas serão contempladas na programação – desde o teatro, origem do evento, até música, dança e cinema. Às 14h deste sábado (12) o bloco Domingo Ela Não Vai inicia o ciclo de atrações do festival, que será encerrado às 18h de terça-feira (15) com Santo na Rua , uma festa que celebra a música e a cultural popular brasileira.

Outros destaques serão a cantora e compositora Karina Buhr apresentando sua nova obra, Desperdiçando Rima , em formato de sarau, entrelaçando poesia, música e artes plásticas em uma apresentação orgânica às 21h de domingo (13) e a apresentação de Liniker e Chicão, que promete ser uma experiência para o público, indo muito além apenas da músicas, às 20h30 de segunda-feira (14).

Leia mais:  Espetáculo que marcou época, “Os Saltimbancos” reestreia em São Paulo

A programação completa do Satyrianas – que será na Praça Roosevelt de sábado a terça (12 a 15) – pode ser encontrada no site do festival ( http://www.satyrianas.com.br ). A entrada dos eventos é livre, funcionando no esquema “pague o quanto puder”.