Tamanho do texto

A participação do ator no filme foi boicotada pelas fãs da franquia devido à acusação de violência doméstica que ele sofreu da ex-esposa neste ano

Em entrevista ao jornal inglês The Mirror , a autora de "Harry Potter", J. K. Rowling defendeu a escolha do ator Johnny Depp para integrar o elenco da franquia “Animais Fantásticos e Onde Habitam” no papel do vilão Gellert Grindewald, mesmo após uma ampla revolta dos fãs em redes sociais.

                Leia mais:  Veja bastidores do filme "Animais Fantásticos e Onde Habitam"

J. K. Rowling defende a participação do ator Johnny Depp em
Divulgação
J. K. Rowling defende a participação do ator Johnny Depp em "Animais Fantásticos e Onde Habitam".


J. K. Rowling disse que ficou encantada com a participação de Johnny Depp e que o ator teria feito “coisas incríveis com a personagem”. O diretor do filme, David Yates, também defendeu o ator, pedindo que os fãs acreditem na decisão da equipe em mantê-lo no longa e no que ele tem a oferecer para a produção.

                Leia mais:  Ouça a música-tema de "Animais Fantásticos e Onde Habitam"

Sua participação no primeiro filme, que chega aos cinemas no dia 17 de novembro, é breve, mas, a partir da segunda parte – serão cinco no total – sua presença será mais intensa. Seu personagem, Gellert Grindewald , será peça fundamental para o desenrolar da trama, segundo  J. K. Rowling - por esse motivo, não fez maiores revelações sobre a história.

Revolta dos fãs


Os fãs da saga “Harry Potter” e de “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, história derivada da primeira, estão manifestando seu descontentamento com a escalação de Johnny Depp para o filme devido às acusações de agressão que o ator enfrentou neste ano. Muitos, inclusive, ameaçam boicotar a exibição da produção se Depp continuar no elenco. Sua participação foi anunciada na última terça-feira (8) e, imediatamente, começaram a surgir comentários negativos nas sociais.

Acusação de agressão

Amber Heard , ex-mulher do ator,entrou com uma ação em maio deste ano acusando-o de cometer o crime de violência doméstica. O caso foi relatado ao departamento policial de Los Angeles, de acordo com a agência Reuters.  Os advogados da atriz preferiram preservar a privacidade da vítima e não relataram detalhes da acusação, porém disseram que "a equipe de Johnny forçou Amber a dar um depoimento à polícia para esclarecer as coisas como elas ocorreram".

                Leia mais:  Segunda parte de "Animais Fantásticos e Onde Habitam" já tem data e diretor

O acordo de divórcio – que estava diretamente ligado ao caso de violência – só teve seu desfecho em agosto. Para dar continuidade ao processo, Amber Heard precisou retirar a acusação de violência doméstica contra Johnny Depp e recebeu cerca de US$ 8 milhões para tal, encerrando a negociação.