Tamanho do texto

Banda britânica mais uma vez ao País para shows no Balaclava Fest; depois de Porto Alegre, festival acontece em São Paulo nesta segunda-feira (14)

Escalada para a quarta edição do Balaclava Fest, que vai acontecer na próxima segunda-feira (14) em São Paulo, a banda britânica Yuck já é velha conhecida no indie rock. Formada pela dupla Daniel Blumberg e Max Bloom, o grupo já tem três discos de estúdios gravados e vem ao Brasil para mostrar "Stranger Things", álbum lançado em fevereiro.

Max Bloom se apresentará com a banda Yuck na próxima semana em São Paulo
Reprodução/Facebook
Max Bloom se apresentará com a banda Yuck na próxima semana em São Paulo


Leia mais:  Balaclava Fest terá shows de Yuck e Mild High Club em São Paulo

Pela terceira vez no Brasil, o Yuck aproveita a viagem para conhecer o País. “Agora estamos explorando novos lugares, vendo mais do País de maneira muito mais apropriada, estou me sentindo bem e animado com isso”, afirmou o vocalista Max Bloom, que tocou em Porto Alegre nesta semana, em entrevista ao  iG .

Os shows em São Paulo e Porto Alegre são baseados no disco “Stranger Things”, que recebeu críticas controversas: na DIY Magazine , o trabalho foi classificado como “o registro mais imediato e inescapável da banda até hoje”, mas para a Slant Magazine , o álbum traz “um pouco mais de uma imitação pobre do som anterior da banda”.

“Nós fazemos músicas que sejam boas de tocar ao vivo”, revelou Max. O músico encostou a guitarra e assumiu a posição de vocalista depois que Daniel Blumberg anunciou a sua saída da banda, em 2013. “Foi um pouco desafiador. Quando a gente toca guitarra, nós temos mais controle do que estamos fazendo, mas quando cantamos não temos certeza de que vai ficar perfeito. Levei um tempo para perceber o que realmente importa nisso, mas agora estou relaxado”, contou.

Leia mais: Do indie ao folk, Mumford & Sons estreia no Brasil em grande estilo

O novo álbum foi gravado no mesmo local que o primeiro da banda, em 2011: a casa dos pais de Max. “É mais barato e você pode realmente controlar como a música vai soar. Não é preciso máquinas, não é necessário contratar estúdios e você ainda tem o som original da música. Acho que toda banda gostaria de fazer isso”, afirmou o cantor.

Música brasileira

Apesar das recorrentes passagens pelo Brasil, o cantor afirma que não conhece muita música brasileira. “É algo que eu nunca tive muito acesso, mas eu adoraria ter algumas recomendações por aqui”, contou. Entretanto, após o show em Porto Alegre, Max Bloom afirmou que a banda paulista Ombu, que também se apresentou na noite, chamou sua atenção: “o grupo é alguém que eu apoiaria”, disse.

Leia mais: Albert Hammond Jr. cumpre a cota indie do Lollapalooza Brasil

Futuro da música

Um dos grandes nomes do indie rock, o Yuck vê o espaço para o gênero diminuir. Nos últimos anos, a tendência dos festivais de música alternativa está sendo cada vez mais congregar diversos estilos musicais em um mesmo line-up. A próxima edição do Lollapalooza, em São Paulo, prova isso: The Strokes divide o palco como atração principal com o DJ Martin Garrix. No exterior, as coisas são bem parecidas: o Coachella teve Calvin Harris como headliner neste ano.

“Eu não sei como isso começou, havia muita música eletrônica no passado também. Acho que a música eletrônica é como uma moda e nós não queremos fazer música por esta razão. Daqui 50 anos as pessoas não vão lembrar o que estava em alta em 2016, mas sim os bons discos que foram feitos no ano”, explicou Max.

Balaclava Fest em São Paulo

Com Yuck, Mild High Club, Bilhão e Ventre
Data: 14 de novembro
Horário: a partir das 17h
Local: Clash Club (Rua Barra Funda, 969 – Barra Funda - São Paulo/SP)
Preço: R$ 80 (primeiro lote)
Classificação etária: 16 anos