Tamanho do texto

Banda é uma das atrações principais da Festa Avalanche, que acontece em São Paulo neste sábado (29) e domingo (30); leia a entrevista completa

O Ego Kill Talent é um dos destaques da Festa Avalanche, que acontece em São Paulo neste sábado (29) e domingo (30), e também terá Supercombo, Scalene, Far From Alaska e Medulla.

Leia mais: Secret Festival promove shows intimistas de Carne Doce e Mahmundi em SP

O Ego Kill Talent é uma das bandas que vão tocar na Festa Avalanche, em São Paulo, neste sábado (29) e domingo (30)
Divulgação
O Ego Kill Talent é uma das bandas que vão tocar na Festa Avalanche, em São Paulo, neste sábado (29) e domingo (30)

A seleção do line-up da festa não foi mero acaso: as cinco bandas são amigas e costumam tocar juntas no estúdio Family Mob, também na capital paulista, que foi construído por Estevam Romera, baixista da Ego Kill Talent .

Nada de competição

"O Family Mob nasceu da vontade de fazer as pessoas se unirem, se ajudarem e também ensinarem uns aos outros", explicou o músico em entrevista ao iG. Para ele, existe uma competição na cena musical que não deveria existir. "A gente sente na cena musical de hoje um espírito de concorrência e também muito impessoal", disse. "Não pode existir concorrência numa cena musical."

Leia mais: Medulla lança novo disco e encontra seu som: "Não somos um padrão"

Na entrevista abaixo, Estevam Romera fala sobre a atual cena musical e o show do Ego Kill Talent em São Paulo: "Os fãs podem esperar um show intenso, real e muito mais legal do que o que está no Youtube, Facebook e Spotify", garantiu.

iG: O Family Mob já é um dos estúdios mais importantes de São Paulo para as bandas independentes. Tornar o estúdio uma referência na cidade era a intenção de vocês desde o começo?
Estevam Romera:  Sim, nossa ideia sempre foi montar um projeto para unir as bandas e unir as pessoas através da música. Nossa vontade sempre foi de descobrir bandas ou talentos e ajudá-los de alguma forma a divulgar, tocar, gravar e, o mais importante de tudo, sair da internet; ser algo real para pessoas reais. A gente sente na cena musical de hoje um espírito de concorrência e também muito impessoal. E o Family Mob nasceu dessa vontade de fazer as pessoas se unirem, se ajudarem e também ensinarem uns aos outros. A gente abraçou a oportunidade e ergueu o estúdio com nossas próprias mãos, acreditando que um dia seria uma referência não só técnica de gravação, mas também de inspiração e encontro de pessoas criativas e inspiradoras.

iG: Vocês sentem falta de lugares para gravar em São Paulo?
Estevam Romera:  Na verdade, não. Lugar não falta, e alternativas também não faltam. Hoje em dia, mesmo que você não consiga um estúdio, você pode resolver muita coisa sozinho em casa ou na casa de um amigo que entenda do assunto. O que a gente sempre sentiu falta foi de inspiração e coletividade. Música que você grava sozinho, em casa, num home studio no seu quarto tem seu valor, mas a gente acredita que a coletividade e a troca de experiência entre pessoas pode agregar demais.

Leia mais: Lollapalooza 2017 terá Metallica no primeiro dia e The Strokes no segundo

iG: Qual é a importância para a Ego Kill Talent de se associar a outras bandas?
Estevam Romera:  A gente acredita que essa associação é crucial para o crescimento e existência da cena. Uma cena simplesmente não existe se as bandas não caminham lado a lado, acreditando num bem comum. Não pode existir concorrência numa cena musical. União é um facilitador que faz o trabalho de todos ser visto, diminui custos e pode ser o ponto-chave para a cena renascer. A gente convive de perto com Far From Alaska, Medulla, Supercombo. Emprestamos equipamentos, dividimos roadies, apertamos mais lugares na van e também fazemos colaborações musicais. Tudo isso vira troca de experiência que melhora ou muda o trabalho um do outro.

iG: O que os fãs da banda podem esperar da Festa Avalanche?
Estevam Romera:  Um show intenso, real e muito mais legal do que o que está no Youtube, Facebook e Spotify. Show é uma experiência. Qualquer pessoa que curte realmente uma banda tem que ver a banda ao vivo e ter essa experiência junto com os músicos. A gente sempre aposta na experiência ao vivo e presencial como parte importante do nosso trabalho musical.

Festa Avalanche
Com Scalene e Medulla no 1º dia, e Ego Kill Talent, Supercombo e Far From Alaska no 2º
Quando: sábado, 29 de outubro, e domingo, 30 de outubro, a partir das 18h
Onde: Clash Club (Rua Barra Funda, 969 – Barra Funda)
Quanto: de R$ 40 a R$ 300
Ingressos à venda no site  Ticket360

    Leia tudo sobre: músicas