Tamanho do texto

Protagonizada por João Miguel e Bianca Comparato, a série "3%" chegará ao serviço de streaming em novembro; assista ao primeiro trailer oficial

A Netflix anunciou nesta segunda-feira (10) a data de estreia da série "3%", a primeira produção inteiramente nacional do serviço de streaming. Todos os episódios da nova série original da empresa ficarão disponíveis aos assinantes a partir do dia 25 de novembro. 

LEIA MAIS:  "Black Mirror" é destaque no cardápio de lançamentos da Netflix em outubro

Netflix anuncia data de estreia de
Reprodução
Netflix anuncia data de estreia de "3%", primeira série brasileira do serviço. Produção é estrelada por Bianca Comparato


Estrelada por Bianca Comparato e João Miguel , a série " 3% " será um thriller futurístico , que se passa em um mundo dividido entre progresso e devastação. A sociedade é segregada em dois lados, um bom e um ruim, e a única maneira de passar do pior para um melhor é através de um teste em que só 3% passam.

A trama vai mostrar a competição da população durante o processo seletivo do grupo. Após completarem 20 anos, os jovens ganham a chance de participar da disputa que consagra pouquíssimos competidores. Os grandes vencedores ganharão o direito de entrar no grupo e viver em uma cidade repleta de privilégios, batizada de Mar Alto.

Criada e escrita por Pedro Aguilera , a nova série original da Netfliz é dirigida por Cesar Charlone , responsável por trabalhos "Cidade de Deus", "Ensaio sobre a Cegueira", e "O Banheiro do Papa". Já o elenco é composto por nomes como Bianca Comparato, João Miguel, Zezé Motta, Nicolau Breyner, Mel Fronckowiak, Rodolfo Valente, Vaneza Oliveira, Michel Gomes, Rafael Lozano e Viviane Porto.

Assista ao trailer oficial:

Polêmica 

Em 2015, um e-mail que relatava a "dificuldade em encontrar atores negros bonitos" da produção da primeira série brasileira da Netflix vazou na internet e foi considerado racista pelo público.  A mensagem enviada pela empresa +ADDCasting, responsável pela formação do elenco de "3%", reforçava ser "imprescindível" que os candidatos tivessem uma "boa aparência".

LEIA MAIS: Netflix repudia racismo em produção brasileira: "Contradiz o que acreditamos"

"Precisamos de um ator jovem, na faixa dos 20/25 anos, muito bonito. A direção gostaria que ele fosse negro, então o ideal seria ter um ator negro e muito bonito, mas conscientes do grau de dificuldade, faremos teste também com os bons atores, lindos, que não sejam negros", informou o recrutamento.

À época, a Netflix enviou uma nota de repúdio para a imprensa e lamentou o ocorrido. "O e-mail sobre o teste de elenco de '3%' foi enviado sem o conhecimento ou aprovação da Netflix, e contradiz tudo em que acreditamos. Junto à Boutique Filmes, estamos trabalhando para tomar as devidas providências, e lamentamos o que aconteceu."

E-mail do castig de
Reprodução
E-mail do castig de "3%" causou polêmica ao relatar "dificuldade em encontrar atores negros bonitos"