Tamanho do texto

Declaração foi concebida em entrevista a site americano. "The Walking Dead" retorna para sua sétima temporada em 23 de outubro

Cena do último episódio do sexto ano de
Divulgação
Cena do último episódio do sexto ano de "The Walking Dead"

Quem gosta de uma série invariavelmente vai sentir a angústia de temer pelo seu fim ou desejar que ele chegue em algum momento. Nem todas as séries acabam na hora certa, como fez “Breaking Bad”, por exemplo. Tem séries, claro, que não se desgastam com uma longa jornada. Muita gente defende que “The Walking Dead” já deveria ter acabado ou, pelo menos, estar mirando seu fim. Este raciocínio, ao que tudo indica, será evitado pelo CEO do AMC , canal que produz e exibe a série  nos EUA.

+ "Vai ser f...", diz Andrew Lincoln sobre duelo com Negan em "The Walking Dead"

“Há uma longa vida nessa série ainda. ‘Star Trek’ morreu e ressuscitou três vezes. Eu sinto que essa série pode durar décadas”, observou Josh Sapan ao site especializado em entretenimento The Wrap. “ ’The Walking Dead’ é uma daquelas franquias que, como executivos, nós só encontramos uma vez na vida”.

Vale lembrar que a série produzida por Robert Kirkman , a partir das HQs criadas pelo próprio, já deu origem a um spin-off. “Fear The Walking Dead” está para terminar sua segunda temporada.

“O ambiente da TV hoje é muito ramificado para que você consiga números significativos, mas mesmo assim, se você olhar para o top 10 da TV a cabo americana, temos (o canal AMC) cinco séries e duas delas são desta franquia”, continuou Sapan.

Esta não é a primeira vez que gente envolvida na produção do programa admite a possibilidade de longevidade do show. Na Comic-Con de 2015, Kirkman disse que o universo de “The Walking Dead” permite muita coisa. Não só muitas temporadas para a série, como outros programas derivados. O produtor chegou até mesmo a provocar com uma versão da série ambientada na Europa.

+ 13 curiosidades sobre “The Walking Dead”

Cena do primeiro ano de
Divulgação
Cena do primeiro ano de "The walking Dead"

É claro que a afirmação de Sapan tem natureza diferente e mais institucional do que a de Kirkman. Trata-se, afinal, do homem que manda no canal e tem consciência que a série é o principal produto de seu lineup.

Os números da série continuam fortes, no ao vivo e no on demand, em todas as faixas de idade, mas esses índices não disfarçam a queda de audiência verificada nas últimas temporadas.

A polêmica season finale do sexto ano, que dividiu opiniões em virtude do gancho deixado para o sétimo ano, foi a menos vista desde que “The Walking Dead” superou os 13 milhões de espectadores na quarta temporada. Não é um número preocupante, mas importante de se ter em mente quando se fala em décadas.

    Leia tudo sobre: The Walking Dead