Tamanho do texto

A garota foi acusada de matar a amiga com a ajuda do namorado e passou quase quatro anos na cadeia; o caso chega à Netflix dia 30 de setembro

Amanda Knox creceu em Seattle, nos Estados Unidos. Estudou linguística na Universidade de Washington e tinha 20 anos de idade quando decidiu se mudar para a Itália, na cidade de Perugia, e continuar seus estudos, com o pensamento de que viver longe da família a ajudaria a amadurecer e crescer profissionalmente. No mesmo ano, se viu acusada de homicídio.

+ 7 séries originais da Netflix que você precisa assistir

O caso de Amanda Knox ganha documentário produzido pela Netflix
Divulgação
O caso de Amanda Knox ganha documentário produzido pela Netflix

É essa a história que contará o documentário " Amanda Knox " produzido pela Netflix e que entra para o catálogo do serviço de streaming no dia 30 de setembro. Ao se mudar para a Itália, Knox dividia uma casa com três garotas: duas italianas e Meredith Kercher, que saiu de Londres para estudar no país. Em novembro de 2007, Kercher foi encontrada morta em seu quarto e Knox acusada de ter cometido o crime com a ajuda de seu namorado na época.

Divulgação/Netflix
"Ou eu sou uma psicopata em pele de cordeiro, ou eu sou você." Poster oficial do documentário Amanda Knox

"Se eu sou culpada, isso significa que todos deveriam ter medo de mim. Porque eu não sou óbvia. Se eu sou inocente, significa que todo mundo é vulnerável. E esse é o medo de todo mundo. Ou eu sou uma psicopata em pele de cordeiro, ou eu sou você", é o que diz Amanda Knox no novo trailer oficial liberado nessa segunda-feira (19) pela Netflix. Na divulgação, existem mais dois trailers além deste: um que mostra principalmente o lado da acusação e o outro que mostra principalmente o lado da defesa.

+ "Ainda estamos muito longe dos americanos", diz diretor de "Supermax"

O caso ficou conhecido como o "julgamento do ano" na Itália e no mundo, e chegou a envolver acusações de um jogo sexual. A acusação acreditava que Kercher havia se envolvido na relação de Knox e Raffaele Sollecito , e que esse foi o motivo que levou os dois a assassiná-la. No entanto, essa teoria não foi comprovada e a acusação foi retirada, mas os dois foram indiciados novamente e considerados culpados no início de 2014.

Novo "Making a Murderer"

O documentário segue a mesma linha de "Making a Murderer", série inovadora no formato que foi lançada em 2015 e gerou comoção - e muito nervoso - em quem assistiu. Foi filmada ao longo de 10 anos acompanhando a história de Steven Avery, um homem acusado de crimes que não cometeu, perseguido e incriminado pela polícia em uma cidade do interior dos EUA. Também foi produzida e distribuída pela Netflix.

+ Diretoras de "Making a Murderer" cogitam nova temporada da série

Assista aos trailers de " Amanda Knox " e se prepare para o lançamento do polêmico documentário, dia 30 de setembro na Netflix: