Tamanho do texto

Outrora favorita no Emmy, "Modern Family" - que já fora derrotada em 2015 - tem presença mínima na competição e pode não voltar à disputa em 2017

Desde que foi criada em 2009, a comédia “Modern Family” se configurou no grande bicho-papão do Emmy. Exibida atualmente no Brasil pelo canal Fox Life , o programa amealhou diversas nomeações entre 2010 e 2016, ano pelo qual concorre com sua sétima temporada. Foram 77 indicações ao todo ao longo desses anos. A série triunfou na principal categoria da divisão das comédias, que é melhor série cômica, por quatro anos consecutivos. Apenas em 2015 foi superada por “Veep”.

+ Emmy tem boa disputa de atores, mas veterano de "Breaking Bad" pode surpreender

Foto promocional da série
Divulgação
Foto promocional da série "Modern Family"

O tamanho de “Modern Family” no Emmy 2016 já é bem menor, principalmente se contarmos que nos outros cinco anos foram 74 indicações. São apenas três nomeações, como não deixa mentir a matemática. Melhor série cômica, melhor ator coadjuvante para Ty Burrell – o único do elenco indicado por todas as temporadas - e melhor escalação de elenco para comédias.

+ Dez indicados que podem nos surpreender no Emmy 2016

A série, que se subescreve no formato de pseudodocumentário, tal como as versões britânica e americana de “The Office”, acompanha a rotina atribulada e cheia de choques de uma família, como entrega o título, para lá de moderna. Com direito a madrasta latina, casal gay, criança adotada na Ásia e por aí vai.

Quando foi lançada, a série caiu no gosto da crítica e também conquistou bons números de audiência. A crítica, aos poucos, começou a demonstrar cansaço com a fórmula do programa. Os números de audiência foram minguando de dois anos para cá, mas a Academia de Artes e Ciências Televisivas, que distribui os prêmios Emmy, manteve-se fiel ao programa.

Ventos da mudança

Cartaz da série
Divulgação
Cartaz da série "Black-ish", grande candidata a surpresa da noite

Tudo parece estar mudando. Seguindo os rumos da categoria dramática, o streaming emplaca três séries entre as concorrentes. São elas “Unbreakable Kimmy Schmidt” , “Master of None” (ambas da Netflix) e “Transparent” (da Amazon). É improvável que qualquer uma delas ganhe, mas esse avanço de terreno do streaming na seara das comédias é boa notícia.

A HBO vem com força para a disputa. A atual vencedora “Veep” teve um ano mais fraco, o primeiro depois da saída do criador Armando Iannucci, mas prêmios anteriores e a adoração da academia pela estrela Julia Louis-Dreyfus sinalizam que “Veep” pode ocupar o posto que já foi de “Modern Family”. A outra cria da HBO na disputa, “Sillicon Valley”, seria uma opção mais inteligente e pop, ainda que ligeiramente fora do timing. Em sua terceira temporada, a série já começa a se repetir e seria no mínimo inusitado premiá-la por seu ano mais fraco.

+ "High Maintenance" usa maconha para tirar sarro de geração de millenials

Esse cenário nos leva àquela que podemos chamar de surpresa da lista. Ao menos em termos. “Black-ish”, exibida na TV aberta dos EUA e no canal pago Sony no Brasil, talvez seja a mais popular entre as indicadas. A série tem presença sólida na premiação com indicações para o elenco principal. Concorrendo pela primeira vez por seu segundo ano, “Black-ish” chega justamente para ocupar a lacuna deixada por “Modern Family”. Pode ser a surpresa mais cantada da noite do Emmy.