Tamanho do texto

As personagens femininas estão arrasando na segunda temporada da série e mostram que podem dar conta do trabalho pesado sozinhas

A segunda temporada de "Mr. Robot" está se aproximando da reta final e recebendo maior reconhecimento. A série é uma das sensações do Emmy 2016 e recebeu indicações em diversas categorias, inclusive em "Melhor Ator em Série Dramática" com Rami Malek por interpretar Elliot Alderson. Mas já está mais do que na hora de falarmos do que realmente importa neste ano do drama: as mulheres.

Rami Malek é um dos indicados na categoria de Melhor Ator em Série Dramática no Emmy deste ano
Reprodução
Rami Malek é um dos indicados na categoria de Melhor Ator em Série Dramática no Emmy deste ano

Com Elliot tendo que lidar com a revelação de que existem duas personalidades distintas vivendo na sua cabeça, ele claramente não está em condições de lidar com a FSociety ou qualquer outra coisa que exija algum esforço psicológico de sua parte. No final da primeira temporada de " Mr. Robot ", muitos espectadores tiveram dúvidas quanto ao futuro da série devido a excelência de seu começo. A preucupação dizia respeito aos personagens e havia, claro, o receio de que a história da série fosse atropelada pela instabilidade de Elliot.

Mas a realidade é que essa incapacidade de Elliot para lidar com sua realidade foi a melhor coisa que poderia ter acontecido para o desenvolvimento do enredo. Isso deu a chance para que os criadores da série tivessem a oportunidade de explorar outros núcleos e outros aspectos da série, e aí entram as personagens femininas. Elas foram deixadas para recolher os estragos gerados por Elliot e dar continuidade ao legado da FSociety que percorreu um longo caminho na primeira temporada.

Joanna é uma das personagens que mostram evolução no segundo ano de
Reprodução
Joanna é uma das personagens que mostram evolução no segundo ano de "Mr. Robot"

Podemos ir por partes. Temos Joanna Wellick, vivida pela atriz dinamarquesa Stephanie Corneliussen , que está lidando com as consequência do desaparecimento do marido. Ela sempre demonstrou ser perfeitamente capaz de lidar com qualquer situação, mas agora que Tyrell sumiu e é o principal suspeito da maior ação da FSociety , ela precisa encontrar uma forma de se manter sem o dinheiro da E Corp , cuidar do filho, manter sua vida sexual - um tanto quanto exótica - e conseguir o que quer: descobrir o que aconteceu com seu marido.

Nesta temporada também tivemos a ótima adição de Grace Gummer na pele da agente do FBI Dominique DiPierro, que trabalha na divisão de crimes virtuais e chega para investigar a FSociety e a invasão no sistema da E Corp . A personagem tem toda uma personalidade característica que deixa uma aura de mistério no ar, além de adorarmos sua mania curiosa de estar sempre chupando um pirulito durante o trabalho. 

+ De "Scream Queens" a "The Big Bang Theory": as séries que voltam em setembro

A agente Dominique DiPierro está na cola de Angela pela invasão ao sistema do FBI
Reprodução
A agente Dominique DiPierro está na cola de Angela pela invasão ao sistema do FBI

A divisão de crimes virtuais que está trabalhando no caso da invasão se instalou a alguns andares de distância da E Corp , no mesmo prédio. O que nos leva até a próxima personagem que está surpreendendo neste ano de "Mr. Robot": Angela Moss. Interpretada por Portia Doubleday , agora a moça resolveu tomar o controle de seu próprio destino - como dizem os áudios de autoajuda nos quais ela busca motivação - e agora está trabalhando na própria E Corp . Apesar de parecer solitária e em constante luta consigo mesma, sua trajetória está infinitamente mais interessante do que na primeira temporada, em que servia apenas como apoio para a trama principal de Elliot. 

E um dos aspectos mais interessantes da "nova" Angela é o recente, mas proveitoso, envolvimento com a FSociety . Quando a agente Dominique, conhecida como Dom, encontra a sede da organização e se aproxima cada vez mais de pistas que podem incriminar os envolvidos nas invasões virtuais, Darlene Alderson, vivida por Carly Chaikin , precisa recorrer à Angela para uma das missões mais elaboradas de sua vida: hackear o FBI.

+ Além de "Narcos" e "Luke Cage", Netflix recheia setembro de estreia de séries

No entanto, essa aproximação pode ser perigosa. Angela acabou chamando a atenção de Dom ao acessar o andar do FBI para completar a invasão ao sistema, e agora a agente está em sua cola, esperando qualquer deslize ou pista que a leve a comprovar que a moça esteve envolvida no hack. Levando em consideração que Angela foi próxima da família Alderson sua vida inteira, quanto tempo será necessário para Dom ligar os pontos até Elliot, que trabalhou com Angela na AllSafe , ou até mesmo a Darlene?

É importantíssimo fazer uma menção honrosa ao trabalho árduo que Darlene tem feito para seguir com a FSociety na ausência do irmão. Enquanto Elliot está impossibilitado de dar continuidade aos trabalhos, ela tomou a frente do movimento e está liderando toda a organização com garra.

Darlene é a nova líder da FSociety na 2ª temporada de Mr. Robot
Reprodução
Darlene é a nova líder da FSociety na 2ª temporada de Mr. Robot

Sendo assim, temos um saldo positivo de mulheres em "Mr. Robot": Dom à frente de sua divisão no FBI, Darlene à frente da FSociety e Angela escalando para o sucesso na E Corp enquanto faz uns bicos de hacker. Sem tirar, é claro, o mérito de Joanna em lidar com os problemas que Tyrell lhe deixou. Nós amamos Elliot, mas o poder feminino que está rolando nessa temporada é de dar muito gosto.