Tamanho do texto

A continuação de "A Bruxa de Blair", de 1999, faz jus ao original e promete deixar o espectador aflito na sala de cinema

Agora falta pouquíssimo tempo para que o suspense chegue ao fim. Nesta quinta-feira (15), "Bruxa de Blair" chega aos cinemas, e o iG já conferiu a continuação de um dos filmes de terror mais polêmicos e bem sucedidos da história do cinema.

James e Lisa, de
Divulgação/Paris Filmes
James e Lisa, de "Bruxa de Blair"

 No original de 1999 , o filme foi gravado em formato documental por um grupo de jovens que viaja para o meio da floresta para gravar registros sobre a lenda local da Bruxa de Blair , desaparecendo sem deixar rastros. Na época, muita polêmica girou em torno da produção do filme, que realmente deixou o grupo de atores na floresta com poucos recursos, algumas câmeras amadoras e orientações mínimas, deixando que as filmagens acontecessem "naturalmente".

+13 filmes de terror inspirados em fatos reais

Na continuação atual, esse tipo de produção não acontece, claramente. Mas todas as marcas registradas do primeiro filme estão lá: as câmeras um tanto quanto amadoras no formato documental, o grupo de jovens no meio da floresta, o mistério em torno da lenda da bruxa. Dessa vez, o grupo vai parar lá por um motivo diferente.

Tudo começa quando James encontra um vídeo na internet que ele acredita ser de sua irmã, Heather , que desapareceu na floresta no primeiro filme. O vídeo mostra a garota presa dentro de uma casa no meio da mata, e James se convence de que sua irmã ainda pode estar viva e reúne alguns amigos para irem com ele até lá explorar o local em busca de sua irmã, ou ao menos de respostas para o que aconteceu com ela.

Bruxa de Blair
Divulgação/Paris Filmes
Bruxa de Blair

Se o primeiro já foi um exemplo de filme de terror, o novo consegue algo que dificilmente acontece no mundo das franquias: superar - ou ao menos se igualar - ao original. Apesar de se apoiar em cenas de susto, não gira em torno delas. Todo o clima de suspense gerado no filme deixa o espectador em constante agonia, com uma intensidade incomum de se sentir em qualquer filme dito de terror.

A sequência de cenas cumpre a missão de nos levar para dentro da história e manter o clima de agonia ao se imaginar dentro das situações que os personagens vivem. E, de bônus, ainda conhecemos alguns moradores locais que dão uma breve explicação sobre a origem da bruxa, deixando um pouco mais claro os eventos dos filmes anteriores e o final da primeira continuação.

Oscilando entre os clássicos sustos e o terror psicológico, "Bruxa de Blair" tem a receita para ser aceito pelo público e se destacar entre os filmes de terror do ano. O primeiro foi um completo sucesso de bilheteria em 1999, com um faturamento de R$ 965 milhões contra R$ 233 mil de orçamento. Agora é só aguardar o lançamento e descobrir se a continuação terá o mesmo desempenho surpreendente de seu antecessor.