Tamanho do texto

Ícone feminista e diva da música a funkeira recebeu fãs e autografou sua biografia, na Bienal Internacional do Livro em São Paulo

Valesca Popozuda recebeu seus 'popofãs' , nesta  sexta-feira(26). A cantora lançou o livro "Sou Dessas - Valesca, pronta para o combate" na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, o evento acontece de 26 agosto a 4 de setembro no Pavilhão do Anhembi. A obra de 192 trás a tona assuntos nunca antes revelados ao seu público.

+Bienal do Livro de SP celebra autores independentes e brinca com erros da língua

Valesca na Bienal do Livro em São Paulo
reprodução / Intagram
Valesca na Bienal do Livro em São Paulo

Na publicação a cantora conta varias histórias desde bastidores dos seus show, amizades com artistas famosos e  ainda sobre temas tidos como mais sérios, como a causa LGBT , Ela fala sobre aborto , liberdade sexual , os funks proibidões e conta que foi estuprada. Tem que ler no livro para saber. Foi há muitos anos, mas fica guardado aqui dentro. Quis falar tocar nesse assunto porque é uma coisa que a gente deve falar sempre. Queria  falar coisas que nunca tinham falado antes e os meus fãs precisavam saber. E serve também como uma dica para as meninas: não se calem nunca, botem pra fora, porque guardar é muito ruim. machuca demais", desabafou Valesca .

+Você já sabe o que acontece em "Harry Potter and the Cursed Child"? Descubra!

Capa do livro
Divulgação
Capa do livro "Sou Dessas - Valesca, pronta para o combate"

 Sobre a expectativa quanto ao novo trabalho "Está sendo sensacional, um sonho realizado. poder contar com o apoio dos meus fãs. Digo que já ganhei meu ano, esperava estar na bienal e já passei por aqui algumas vezes, mas nunca imaginei eu sentada aqui, autografando o meu próprio livro”, celebrou.

 Ainda lembra de uma época bem difícil em sua vida, como as humilhações que a sua mãe Dona Regina  sofreu no trabalho de faxineira, recorda  o dia em que uma patroa se recusou a fornecer duas marmitas, para ela e para a mãe, num dia de trabalho.“ Tenho carinho especial por todas, mas lembrar da época que tinha que acompanhar minha mãe em casas de família, onde  passava varias humilhações me emociona muito, mas era necessário” revelou a funkeira com olhos marejados.

 "Sou dessas: pronta para o combate " é mais ou menos como esse encontro hipotético com a diva, que começou a sua batalha profissional como frentista em um posto, depois atuou como dançarina de funk num grupo de mulheres até se tornar a cantora que mandou um “Beijinho no ombro” para a sociedade e agora está lançando um livro para compartilhar a sua visão sobre os assuntos que a movem e contar histórias, de forma leve e divertida, sobre a sua vida.

+MC Pikachu e outros MCs mirins que causaram polêmicas

Trajetória 

 Valesca Reis Santos nasceu no Rio de Janeiro, no bairro do Irajá. Ao longo de sua trajetória, trabalhou como frentista e em uma borracharia, até que, em 2000, iniciou como vocalista do grupo Gaiola das Popozudas. Em 2013, lançou-se em carreira solo com a música Beijinho no ombro e explodiu nas paradas de sucesso, tornando-se uma das responsáveis por disseminar o funk no Brasil e no mundo. Outros de seus hits são Eu sou a diva que você quer copiar e Sou dessas. De origem humilde, Valesca quebrou várias barreiras sociais e venceu preconceitos, sendo hoje considerada a rainha do funk, musa LGBT, um dos ícones do feminismo e diva da música pop nacional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.