Tamanho do texto

Lançamento desta sexta-feira (26) rompe hiato de nove anos sem novidades do sambista de Vila Isabel e apresenta um Martinho da Vila revigorado cantando novos clássicos como a saborosa “Escuta Cavaquinho”

Só alguém da envergadura de Martinho da Vila  para imaginar um diálogo entre o cavaquinho e o violão. Essa prosa imaginária é a estrela de “Escuta Cavaquinho”, primeira faixa de “De Bem Com a Vida”, primeiro disco de inéditas do sambista de Vila Isabel em nove anos. O novo trabalho do cantor conta com grandes participações, reunindo 14 faixas assinadas por Martinho em parceria com Ivan Lins, João Donato, Geraldo Carneiro, entre outros.

Martinho da Vila
Site oficial
Martinho da Vila

“Escuta cavaquinho as minhas preces/Se não o tempo passa a gente esquece/esquece de aprontar a fantasia/de celebrar a dor e alegria”. Martinho da Vila explicita logo nos primeiros versos da canção, e do disco, o porquê desse longo hiato ter sido tão doloroso para o amante do bom samba. “Nesse país que toda eternidade/ com esse sol desfilando em carro aberto/ e o futuro muito incerto/ mas já cheio de saudades”.

Cineclube: Olhar estrangeiro faz elogio afetuoso da cultura sambista em "O Samba"

“Escuta Cavaquinho” já nasce um clássico da música brasileira e anuncia um disco pautado pela vibração característica de um dos mais notórios vascaínos da música popular brasileira.

E que surpresa redescobrir o despudor do malandro carioca de “Mulheres” em “Samba sem Letra” , quinta faixa do disco. “Delírios de amor, libido, atração/por uma amizade que virou paixão”, canta Martinho com a sapiência dos cafajestes e a devoção dos enamorados.

Aos 78 anos, Martinho canta “caí na cama fatigado/fiquei sonhando acordado/adormeci de novo e retransei. O vigor do cantor atende aos anseios do compositor. Duas canções que integram o disco foram pensadas originalmente para mulheres, mas Martinho as interpreta dando vazão à feminilidade que habita todo o macho. 

Leia mais:  Revelação, Jorge Aragão e Martinho da Vila homenageiam o centenário do samba

“Me pegou carente, me fez dependente, muito mais mulher/ e se permitiu a fazer de mim o que bem quiser”, canta aveludadamente em “Danadinho Danado, uma canção sobre uma mulher apaixonada por um legítimo cafajeste. Já em “Amanhã é sábado”, pede colo. A canção foi feita para Roberta Sá e integrou o disco “Delírio”, lançado em 2015 pela cantora.

Capa do álbum
Reprodução
Capa do álbum

O repertório ainda tem a contribuição de Criolo , que faz participação especial nas faixas “Alegria, Minha Alegria”, em homenagem à filha mais nova de Martinho, e “De Bem Com A Vida”, música que dá nome ao álbum. O trabalho do rapper paulista foi apresentado a Martinho por Preto Ferreira, filho do sambista e que participou da produção.

“Alegria, Minha Alegria”, que brinda a caçula do sambista com uma música – mimo que ele dispensou a toda a cria – foi composta para o show “Inusitado”, produzido por André Midani, não por acaso uma das figuras centrais do disco que marca o retorno do sambista à Sony Music, gravadora com a qual já havia lançado 17 discos entre 1988 e 2003.

“Um bom cabrito não berra/ se um sonho dançou/ sabe o que eu faço?/Boto um fone nos ouvidos/ E curto um som/ Certamente outras vitórias virão”, canta em “De Bem Com a Vida”, faixa que muito compreensivelmente batiza o disco e a bem-vinda nova fase de Martinho da Vila.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.