Tamanho do texto

Já está em cartaz em São Paulo, mostra reúne fotografias tiradas por personagens antagônicos e tem como objetivo derrubar preconceitos

Um judeu e uma muçulmana. Uma mulher negra e outra albina. Uma drag queen e um pacato chefe de família. Esses são apenas alguns dos personagens retratados pela exposição “Iguais”, que fica em cartaz em São Paulo até o dia 6 de setembro. São 20 obras fotográficas mostrando os mais diferentes tipos humanos. A mostra tem como principal objetivo celebrar e promover a convivência entre os diferentes, firmando-se como uma bandeira contra o preconceito.

Registro que compõe a mostra
Divulgação
Registro que compõe a mostra "Iguais"

 “Uma câmera fotográfica não julga, apenas retrata a pessoa como ela é. Não seria bom se tudo fosse assim, sem julgamentos?”, pergunta Mario D’Andrea , Presidente da Dentsu Brasil que articulou a mostra. “A ideia da exposição é mostrar que, quanto mais convivemos com pessoas diferentes, mais parecidos nos tornamos como seres humanos. E com essas fotos celebramos a beleza da diversidade”, raciocina D’Andrea ao expor como a arte pode ser um elemento pedagógico para vencer o preconceito .

+ Festival Internacional de Curtas-Metragens vai exibir 400 filmes em São Paulo

Um detalhe curioso é que as fotos foram tiradas pelos próprios participantes, retratando uns aos outros numa divertida sessão que promoveu a convivência entre pessoas de aparências completamente diferentes. 

+ Samara volta a aterrorizar em novo trailer da sequência de "O Chamado"

“Pode olhar, fique à vontade. É só não julgar. Julgue a pessoa pelo caráter e não por uma peça de roupa”, diz um dos personagens da mostra, Tiago Capuzzo . “Não é justo as pessoas darem opinião sobre aquilo que elas não conhecem. As pessoas têm que olhar pra dentro de si e repensar um pouco isso”, observa Paula Delbue , outra personagem.

Exposição Iguais
Divulgação
Exposição Iguais

A ideia da exposição surgiu da cabeça de Mario D`Andrea. Na escola estadual que ele estudava havia negros, coreanos, nordestinos e o seu passeio preferido era ir ao Bom Retiro com o pai e ouvir as brincadeiras entre ele e seus clientes judeus. Segundo D´Andrea, ele é fruto dessa mistura e torce para que seus filhos tenham a mesma chance de viver assim, cada vez mais misturados.

Por meio de uma escolha prévia de 20 pessoas com perfis totalmente distintos, formaram-se os pares. O encontro deu-se em um estúdio fotográfico, onde todos participaram de uma sessão em que cada um tirava fotos do outro utilizando apenas uma câmera.  O resultado dessa reação ao preconceito pode ser conferida gratuitamente na Galeria Sérgio Caribé.


Serviço

Local: Galeria Sergio Caribé                                                                                                                     Endereço: Rua João Lourenço, 79 – Vila Nova Conceição – SP                                                 Data: de 24/08/16 a 06/09/16                                                                                                                   Horário: das 10h às 18h                                                                                                                                 Entrada: gratuita

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.