Tamanho do texto

Vocalista Salma Jô comenta o primeiro single do próximo álbum da banda; grupo goiano se apresenta em São Paulo neste sábado (30)

Carne Doce lança o single
Felipe Gabriel/Red Bull Content Pool
Carne Doce lança o single "Artemísia", o primeiro do novo álbum da banda

O Carne Doce lançou nesta quinta-feira (27) o clipe de "Artemísia", o primeiro single do próximo álbum da banda, ainda sem nome confirmado.

Estrelado por Salma Jô, vocalista do Carne Doce , o clipe foi assinado pelo diretor Muto e mostra a cantora atravesando um túnel numa dança frenética. O cenário é uma construção de 1918 na cidade de Campinas, no interior de São Paulo.

LEIA MAIS:  Ouça "Tecnobrega Jamaica Style", nova faixa de Félix Robatto e Keila Gentil

Já apresentada em alguns shows da banda, "Artemísia" é o cartão de visitas da sequência de "Carne Doce", elogiado disco de estreia do grupo goiano, lançado em 2014. A música chama atenção pela sua temática: é um hino a favor do direito ao aborto.

"Minha relação [com a música] é tanto autobiográfica como criativa. Na letra eu gostei de exercitar o lado da onipotência, da idealização do 'meu corpo, minhas regras'", explicou Salma em entrevista ao iG.

Além da direção de Muto, o clipe teve participação da coreógrafa Gabriela Branco, que orquestrou os movimentos de Salma. "Não tinha música nem ritmo para seguir, a Gabriela simplesmente me fez dançar", contou a cantora. "Olho para os dançarinos com ainda mais respeito hoje, por compreender melhor os estudiosos que são."

LEIA MAIS:  Projota comemora sucesso e parcerias: "O rap está recuperando seu espaço"

Na entrevista abaixo, Salma Jô fala sobre o clipe de "Artemísia" e adianta detalhes do novo disco do Carne Doce:

iG: Como foi a produção do clipe e o trabalho de coreografia?
Salma Jô: Eu quis trabalhar com o pessoal da Muto depois de assistir o Shuva, clipe deles para o Mahmed. Nas nossas conversas eu mandei pra eles a cena do Possessão, de Andrzej Żuławski, e eles adoraram e se inspiraram. Por uma feliz coincidência eles encontraram a Gabriela Branco, que estudou um método de dança baseado em improviso e estados corporais. Em abril, enquanto parte da banda participava do Pulso, uma residência musical no Red Bull Station, em São Paulo, eu fui para Campinas, ensaiamos e logo filmamos.

iG: Por que vocês escolheram fazer o clipe dessa forma? O que representou para vocês?
Salma Jô: Pra mim foi um exercício muito diferente de qualquer coisa que eu já fiz. Eu danço à minha maneira, como todo mundo, mas neste caso tratava-se de realmente dançar à minha maneira, de tentar criar uma dança minha, sem regras. Não tinha música nem ritmo para seguir, a Gabriela simplesmente me fez dançar. Foi especial. Olho para os dançarinos com ainda mais respeito hoje, por compreender melhor os estudiosos que são.

iG: Qual é a sua relação pessoal com a música?
Salma Jô: Minha relação é tanto autobiográfica como criativa. Na letra eu gostei de exercitar o lado da onipotência, da idealização do "meu corpo, minhas regras".

LEIA MAIS:  Racionais MC's: as frases mais subversivas dos veteranos do rap

iG: Você acha que "Artemísia" é o melhor cartão de visitas do novo disco? Por quê?
Salma Jô: Não sei. Talvez não. Mas por feliz conveniência a ideia do clipe e o clipe saíram antes do disco, portanto é que melhor podemos mostrar agora.

iG: O que você já pode adiantar sobre o novo disco?
Salma Jô: O novo disco é em parte uma continuidade do primeiro disco, com aquele humor, com aquele espírito, porém numa pegada mais feminina e individualista e forte nas letras, e naturalmente, com uma maior afinidade e maturidade instrumental da banda. Eu tendo a tratar de questões políticas que estão em pauta, foi assim no primeiro disco, e vai ser assim com esse disco também.

O Carne Doce se apresenta na Casa do Mancha, em São Paulo,  neste sábado (30). O show começa às 20h e os ingressos custam R$ 25.