Tamanho do texto

Elenco fala sobre o primeiro longa do canal, "Contrato Vitalício", que estreou esta semana: "Nosso DNA está ali"

O grupo Porta dos Fundos lançou seu primeiro longa-metragem: "Porta dos Fundos: Contrato Vitalício” na última quinta-feira (30). Os humoristas conversam com o iG sobre o filme, que fala sobre Miguel ( Gregório Duvivier ), um famoso cineasta que desaparece durante 10 anos, deixando para trás seu melhor amigo, Rodrigo ( Fábio Porchat ). Anos depois, ele volta surtado e convicto de ter sido abduzido por aliens, decidindo contar sua experiência em um filme. Rodrigo detesta a ideia, mas é obrigado a participar, pois assinou um contrato vitalício com o colega anos atrás.

Reprodução/Youtube
"Porta dos Fundos" estreia primeiro filme

É então que começa uma saga surreal que busca satirizar o cinema, o mundo das celebridades, o jornalismo de entretenimento, as blogueiras fitness e outros elementos que cercam o mundo dos famosos. Porchat afirma que o filme contém a essência do " Porta dos Fundos ": "Acho que o DNA do 'Porta' tá ali no filme como está nos esquetes. É mais um conteúdo que estamos fazendo. A gente queria que ficasse como acontece nos esquetes, deixar fluir e acontecer, sem parar e se podar. Só estávamos pensando mais no longo prazo. A ideia era pegar aqueles personagens e desenvolvê-los mais".

Porchat , que também assinou o roteiro do longa ao lado de Gabriel Esteves , afirma que a principal intenção era provocar o riso, e não necessariamente gerar uma crítica. "A ideia do humor é fazer rir, acima de tudo. Mas a gente está expondo uma situação que é muito comum a todos nós aqui, muito de nós já passamos situações parecidas porque vivemos esse mundo do entretenimento diariamente, estamos jogando um holofote nisso. Acho que tem sim uma crítica, mas tem até uma sátira a todos esses personagens", conta o humorista. 

O ator brincou que gostaria de derrotar o filme "Procurando Dory" na bilheteria, mas garante que o fato de os dois longas estrearem juntos não gera preocupação. "Hoje em dia não dá mais para ficar assustado com ninguém. Uma semana antes foi 'Independence Day', duas semanas depois vai ser 'Ghostbusters', não tem um mês que não tenha nenhum filme e só a gente. Que bom que é com filme bom, que é o 'Dory'. Eles lotam, e sobra para gente o resto".

Fábio Porchat atuou e escreveu o roteiro do filme do
Reprodução/Youtube
Fábio Porchat atuou e escreveu o roteiro do filme do "Porto dos Fundos"

O diretor do filme, Ian Fernandes , conhecido como Ian SBF , disse que o foco não era sempre fazer um filme, mas se constatou que o formato seria bom para o produto apresentado. "A gente nunca pensa que está fazendo uma coisa especificamente para o Youtube, pensa sempre em conteúdo, no que queremos fazer e para onde isso vai é uma consequência, outra decisão.", diz Ian.

Ele também acredita que "fazer um filme no Brasil é sempre uma vitória". " Guilherme Fontes que o diga”, declarou Gregório Duviver , arrancando risos dos presentes, em uma brincadeira em relação ao filme "Chatô, o Rei do Brasil", dirigido por Fontes e que levou 20 anos para finalmente ser lançado.

"A gente está há quatro anos para fazer um filme, então imagina só né? Desde que estreamos o 'Porta' queremos fazer um filme. Torcemos muito para que seja um sucesso", completa Duvivier.

Ao iG , Fábio Porchat falou sobre como foi construir o roteiro do longa. "O Ian já tinha escrito esse argumento de uma ideia que tínhamos tido junto há algum tempo. Ele apresentou para gente e eu e o Esteves pegamos a missão de escrever o filme, começamos a tarbalhar juntos. O que foi gravado foi o oitavo tratamento, a gente foi mudando personagens, mudando ideias, até o roteiro criar a forma. A ideia era fazer um filme mesmo, não tinha uma linguagem especialmente".

Assista ao trailer: