Tamanho do texto

Com entrada gratuita, mostra "Arquivo Ex Machina - Identidade e Conflito da América Latina", em cartaz em São Paulo, pretende lançar um olhar sobre o passado do continente por meio da fotografia

Já está em cartaz no Itaú Cultural uma mostra fotográfica que pretende refletir sobre o passado da América Latina. “Arquivo Ex Machina – Identidade e Conflito na América Latina” integra o IV Fórum Latino-Americano de Fotografia de São Paulo, cujo eixo se estrutura na foto como pensamento e lança o seu autor como observador e objeto de debate, traz imagens de arquivos institucionais, de coleções particulares e autorais; revela e questiona o modo de guardá-las através dos tempos.

Mujeres de Buenavista de Gerónimo Hernández
SecCultNacSinafro
Mujeres de Buenavista de Gerónimo Hernández

A exposição, que fica em cartaz até o dia 7 de agosto, tem curadoria do brasileiro Iatã Cannabrava e do catalão Claudi Carreras , ambos fotógrafos, e reúne 10 conjuntos de trabalhos fotográficos. 

O acervo da mostra reúne 150 imagens de artistas e coleções institucionais latinas, de autoria de André Penteado (Brasil), Andrés Felipe Orjuela Castañeda (Colômbia), Bernardo Oyarzun (Chile), Coco Laso (Equador), entre outros.

Com três linhas de pesquisa definidas – uma nova forma de olhar velhos arquivos, a manipulação dos sais de prata e o documento inventado –, Cannabrava e Carreras saíram a campo pela região latino-americana. Encontraram pesquisadores, curadores, colecionadores e artistas, uns com trabalhos autorais, outros que buscam resgatar o arquivo fotográfico esquecido em gavetas, álbuns e porões para ressignificá-lo, dotando-o de novos e inesperados sentidos.

Chegaram, por fim, a Ex Machina – expressão do latim, criada no teatro antigo grego para definir a entrada em cena de um deus cuja missão era solucionar de forma arbitrária um impasse vivido pelos personagens. A mostra reúne recortes históricos, com obras como “La Huella Invertida”, um conjunto de fotos expostas pelo equatoriano Coco Laso. Elas foram feitas pelo bisavô do artista, que interferia nas imagens apagando os índios das placas de impressão dando uma falsa ideia de como era a população do Equador nos tempos da colonização. A “Boa Aparência”, obra do mineiro Eustáquio Neves , é contundente ao refletir desvios culturais que seguem incrustrados na sociedade até o cotidiano atual no modo de julgar os negros pelas suas feições.

Passeata reúne 100 mil pessoas no Rio de Janeiro em 1968
Foto de arquivo: Evandro Teixeira
Passeata reúne 100 mil pessoas no Rio de Janeiro em 1968

“Cabanagem”, trabalho do brasileiro André Penteado realizado entre 2014 e 2015, é composto por fotos e um vídeo sobre sua pesquisa no Pará. Aqui ele envereda pela linha de pesquisa “documento inventado”, ao observar que é possível criar documentação para interpretar o passado, mesmo sendo contemporânea.  O assunto do fotógrafo é a Revolta dos Cabanos, na selva ao norte do Brasil, pela qual comprova que no passado, no presente e, provavelmente, no futuro, o abandono dos dirigentes e dos trópicos gera ódio e violência.

Serviço

Arquivo Ex Machina – Identidade e Conflito na América Latina

Visitação: 16 de junho a 7 de agosto

De terça-feira a sexta-feira, das 9h às 20h

Sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h

Pisos 1 e -1