Tamanho do texto

A manifestação também é contra Temer: "A população não votou no plano de governo que está chegando agora"

Na tarde de terça-feira (17), artistas indepentes e integrantes de coletivos ocuparam a Funarte (Fundação Nacional das Artes) contra o fim do Ministério da Cultura. Na manhã do mesmo dia, foi publicado no Diário Oficial da União que Francisco Bosco , o presidente da Funarte, havia sido exonerado, junto com diversos outros que ocupavam cargos de secretaria executiva e diretoria de diversos ministérios.

+ Classe artística reage ao fechamento do Ministério da Cultura

Assembleia geral realizada pelo movimento
Mídia Ninja/Reprodução
Assembleia geral realizada pelo movimento "Ocupa Funarte SP"

Cerca de 100 manifestantes afirmaram que permanecerão no local e que a ocupação continua por tempo indefinido, sendo não só contra o fim do MinC, mas também contra o presidente interino Michel Temer . "A população não votou no governo que está chegando", diz o ator Pascoal da Conceição , que é um dos manifestantes. "É importante Cultura ter um ministério, como Economia tem."

+ Maria Adelaide Amaral critica fim do Ministério da Cultura: "Retrocesso"

Os servidores continuaram trabalhando normalmente, da forma que puderam, e, caso alguém ligasse procurando o responsável pela Funarte, era Alessandro Azevedo que a representação indicaria contatar. O ex-candidato a deputado estadual também é artista circense e militante ligado ao PT, partido pelo qual saiu candidato em 2014. A militância de movimentos sociais e do Partido dos Trabalhadores está presente na ocupação.

O prédio foi ocupado ao som de instrumentos musicais e marchinhas como "Ô abre alas pra arte passar" e "A resistência chegou". Cartazes pendurados no centro de convivência Waly Salamão trazem imagens de Temer e são assinados com a frase: "Eu não reconheço esse golpista como presidente".