Tamanho do texto

A atriz, Domingos Montagner e o diretor Luiz Villaça contam bastidores de "De Onde Eu Te Vejo", que estreia nesta quinta (7)

Denise Fraga e Domingos Montagner trazem para as telas do cinema a partir desta quinta-feira (7) a história de um casal em crise que precisa se reinventar após 20 anos no filme "De Onde Eu Te Vejo". Eles vivem Ana e Fábio, que se separam e aprendem a lidar com as mudanças de ver o outro morar justamente no prédio em frente.

Denise Fraga e Domingos Montagner vivem Ana e Fábio em 'De Onde Eu Te Vejo'
Reprodução
Denise Fraga e Domingos Montagner vivem Ana e Fábio em 'De Onde Eu Te Vejo'


Em entrevista a TV iG , os dois falam sobre a arquiteta e o jornalista que interpretam no longa ( assista ao vídeo abaixo ). "O filme faz você fortalecer sua esperança no amor", diz a atriz. O diretor Luiz Villaça , marido de Denise, também conversou com o iG sobre a produção ambientada em São Paulo que conta com Marisa Orth , Marcelo Airoldi e participações especiais de Laura Cardoso , Juca de Oliveira e Fúlvio Stefanini .

Casal vive em crise apos 20 anos juntos
Reprodução
Casal vive em crise apos 20 anos juntos

Ana começa o filme falando com a câmera, mas já nos primeiros minutos abandona esse recurso. "É uma forma de chamar o público, dizer: 'vamos nos relacionar, vou contar uma história legal, vem junto comigo'. E a partir do momento que o espectador a abraça, ela não precisa mais fazer isso", explica Villaça, dizendo também o motivo de usar os mesmos atores nas cenas de flashback, ao invés de outros mais jovens.

"Eu sinto que a gente é assim, quando você diz, por exemplo: 'lembra quando a gente saiu da faculdade?", você lembra da cena, mas se imagina como você é hoje, não lembra que roupa usava ou como era seu cabelo."

Ana também precisa lidar com a mudança da filha, que fará faculdade no interior
Reprodução
Ana também precisa lidar com a mudança da filha, que fará faculdade no interior


Além da separação e dos ciúmes que descobrem ainda sentir um pelo outro, o casal precisa lidar com outras mudanças, como a ida da filha ( Manoela Aliperti ), para uma faculdade no interior do Estado e o desemprego de Fábio.

Discussão na rua foi uma das cenas mais complexas de serem feitas, diz diretor
Reprodução
Discussão na rua foi uma das cenas mais complexas de serem feitas, diz diretor

O diretor revela que a discussão do casal na rua foi uma sequência difícil de ser filmada. "Ensaiamos bastante antes para ver a dinâmica, acertamos tempo, passo, pedimos para as pessoas esperarem um pouquinho (risos). No dia fomos na raça, estratégia de guerra mesmo. Fizemos em dois quarteirões, são quatro minutos sem cortar".

Participações e SP como cenário
"São Paulo é um personagem do filme, que se passa aqui simplesmente porque eu queria. É uma cidade imensa que me encanta e gera um milhão de locais de filmagem, uma ótima locação que deve ser cada vez mais explorada. Nós vemos a transformação da cidade e a do casal. Isso me emociona", diz Villaça, sem esconder sua paixão pela capital paulista.

Laura Cardoso faz participação especial
Leo Franco /Agnews
Laura Cardoso faz participação especial

As participações especiais também são uma forma de homenagear São Paulo: Juca de Oliveira vive um dono de cinema de rua do Centro que está fechando; Fúlvio Stefanini o dono de uma cantina paulistana e Laura Cardoso uma idosa que mora com seus bichos em um casarão antigo. "Já tinha trabalhado com eles, é um deleite vê-los ali. Liguei para os três assim que recebi o roteiro final de Leonardo Moreira e Rafael Gomes e todos toparam".

Casado também há 20 anos com a protagonista, a quem já dirigiu sete vezes somando cinema e TV, o diretor deixa claro que o longa não é sobre sua história com Denise.

Denise Fraga e o marido, o diretor Luiz Villaça
Leo Franco /Agnews
Denise Fraga e o marido, o diretor Luiz Villaça

"Não tem nada de biográfico nosso. A gente ainda mora junto", diverte-se. E vê o lado bom das relações duradouras. "Hoje você não fica com alguém por obrigação e não acho que seja difícil ficar junto. Mesmo não querendo você acaba dando uma discutida, mas é bacana olhar para trás e gostar do cotidiano a dois. Quis fazer uma história de amor que comunicasse e sensibilizasse, acredito nesse tipo de filme. Sou pelo amor"


Assista à entrevista de Denise Fraga e Domingos Montagner à TV iG:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.