Tamanho do texto

Cantor reduz estrutura de apresentações e diz: "Se não pode ser uísque com água de coco, vai só a água"

Naldo está à procura de maneiras para driblar a atual crise econômica do País. Com um cachê bem mais modesto e menos shows na agenda, o cantor precisou reorganizar suas apresentações e recorreu até a praça de alimentação de um shopping carioca para performar. 

Em crise, Naldo desabafa:
Reprodução/TV Globo
Em crise, Naldo desabafa: "Se não pode ser uísque com água de coco, vai só água"


Há dois anos, Naldo costumava cobrar R$ 120 mil por apresentação. Atualmente, ele admite ao jornal "Extra" que já se contenta com R$ 20 mil. "Há menos espaço para a gente desenvolver a nossa arte. Com isso, temos que nos readaptar. Numa casa que comporta 800 pessoas, eu não posso cobrar R$ 80 mil numa apresentação, em outros locais, sim. Em casas pequenas, a gente faz por R$ 20 mil", disse.

Sobre a estrutura reduzida dos shows, o cantor afirma que não se importa de apresentar em uma praça de alimentação. "É uma adaptação soft do meu show, algo mais leve. Eu pretendo explorar mais a voz, falar com as pessoas, cantar olhando nos olhos dos fãs. É uma oportunidade diferente, mães com crianças, por exemplo. Não é problema fazer show num shopping. Idolatro os programas que mostram shows assim nos Estados Unidos. Sempre quis fazer igual".

Em crise, Naldo leva a situação com bom humor: "Vamos tirar o 's' da palavra 'crise' que ela 'crie'. Essa é a saída. Se não pode ser uísque com água de coco, vai só a água. Se não tem picanha, pode ser arroz, feijão e ovo, que todo mundo gosta", diz ele em referência à música "Amor de Chocolate", um de seus maiores sucessos. 

Na TV iG, Naldo Benny abre o jogo e revela dez segredos:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.