Tamanho do texto

Em primeira apresentação no Brasil, grupo conhecido pelo ataque no Bataclan, em Paris, mostra desenvoltura, mas não vai além

A banda americana Eagles of Death Metal tornou-se mundialmente famosa em novembro do ano passado. O motivo, no entanto, não é uma boa lembrança para o grupo: Eles se apresentavam na casa de shows Le Bataclan, em Paris, no momento em que se deram os ataques do Estado Islâmico que deixaram 89 mortos na casa de eventos.

Banda Eagles of Death Meta sob ao palco do Lollapalooza
Francisco Cepeda/AgNews-SP
Banda Eagles of Death Meta sob ao palco do Lollapalooza


Em seu primeiro show no Brasil, a banda liderada pelo guitarrista e vocalista Jesse Hughes e pelo baterista Josh Homme (conhecido pelo seu trabalho à frente do Queen of The Stone Age) apresentou neste sábado (12), no Lollapalooza, em São Paulo, o repertório de seu disco mais recente, "Zipper Down", um álbum para quem gosta de riffs de guitarra e se diverte com trocadilhos.

A presença de palco de Jesse Hughes e seus bigodes louros contagiou o público desde o início. "Eu amo esse trabalho", gritava o vocalista para a plateia que ainda ensaiava suas dancinhas. Mas o show perdeu fôlego no momento em que parecia que ia deslanchar. Era notável que a maioria daqueles que se postaram no gramado em frente ao palco Onix do Lollapalooza desconhecia algo além da relação entre Eagles of Death Metal e os ataques a Paris.

A exceção de um pequeno grupo de pessoas bem em frente ao palco, o público só cantou junto mesmo quando a banda tocou "Save a Prayer", cover de Duran Duran.

Pouco após essa apresentação, o público foi surpreendido com ótimos solos e jams de guitarra e contrabaixo, com os músicos abusando de truques no palco como tocar com uma venda sobre os olhos ou passar o instrumento por trás do corpo. Já era tarde para empolgar, no entanto: O show acabou na música seguinte.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.