Tamanho do texto

Músicos emendaram incríveis 24 músicas em um set de uma hora e fecharam o show com o hit "American Jesus"

O Bad Religion cumpriu a cota roqueira do Lollapalooza Brasil 2016 e empolgou quem queria ver guitarras poderosas no palco do festival neste sábado (12). A banda americana subiu ao palco alguns minutos antes do previsto e pegou de surpresa o público, que ainda descansava do show anterior.

Bad Religion no Lollapalooza
Divulgação/I Hate Flash
Bad Religion no Lollapalooza


O cartão de visitas foi "Fuck You", do álbum "True North", de 2013. A partir daí, foi uma pedrada atrás da outra. Em pouco mais de 10 minutos, os caras já tinham mandado cinco músicas, sem perder a força.

O vocalista Greg Graffin só parou a porradaria para cumprimentar o público. "Muito bom estar em São Paulo nesta ótima tarde", disse antes de dar sequência ao show recheado de hits.

Apesar de empolgar os roqueirões e os fãs, o Bad Religion não conseguiu conquistar os jovens que foram ao festival ver Eminem ou Tame Impala. Na plateia, alguns acompanhavam o show com atenção e até se deixavam levar pela força do punk dos americanos, mas outros preferiam beber cerveja, bater papo e até deitar pra descansar.

Isso não afetou a energia dos músicos, que emendaram incríveis 24 músicas em um set de uma hora. Greg Graffin lembrou de quando esteve no Autódromo de Interlagos e fez até uma piadinha com Donald Trump.

A última música, "American Jesus", um dos maiores hits da banda, fez a galera soltar a voz e quem estava indo embora para outro palco ficar mais um pouquinho. Foi só nessa hora que muita gente se deu conta de quem era aquela banda.

No palco, Graffin e sua turma mostraram que o rock não tem idade: com 37 anos de carreira, o Bad Religion ainda quebra tudo no palco e satisfaz quem ainda gosta de ver isso.