Tamanho do texto

Filme que estreia nas principais capitais brasileiras nesta quinta-feira (10) marca 1ª colaboração do astro com prestigiado cineasta de "Pina" e "Asas do Desejo"

Ele andava meio sumido. Depois de um período de superexposição, James franco se retirou. Mas de um jeito como só uma figura como James Franco, poliglota das artes, seria capaz de se retirar. Entre meados de 2014 e o início de 2016, Franco expôs fotografias, lançou livro, escreveu coluna de cinema e rodou alguns filmes independentes como este “Tudo vai Ficar Bem”, estreia desta quinta-feira (10) nos cinemas brasileiros.

Cena do filme
Divulgação
Cena do filme "Tudo Vai Ficar Bem", que estreia nesta quinta-feira (10) nos cinemas

O filme é fruto de uma experiência a que o ator, que gosta de transitar pelo cinema de arte entre um blockbuster e outro, se propôs. Em 2015 ele colaborou com dois dos cineastas alemães mais expressivos e importantes do cinema contemporâneo. Werner Herzog em “A Rainha do Deserto” e com Wim Wenders neste filme que marca o retorno do diretor alemão à ficção dez anos depois do lançamento de “Estrela Solitária”.

No filme, Franco vive um escritor que se envolve em um terrível acidente de trânsito e acaba matando uma criança. O incidente se mostra paralisante para ele. Ele tenta se aproximar da mãe do menino, vivida pela atriz francesa Charlotte Gainsbourg e, no processo, amenizar a própria culpa.

James Franco bate um papo com o cineasta Wim Wenders: colaboração inédita
Divulgação
James Franco bate um papo com o cineasta Wim Wenders: colaboração inédita

O filme se constrói em elipses temporais e estabelece um paralelo com a iniciativa do personagem de Franco de voltar a escrever e mais especificamente de escrever sobre esse grande trauma em sua vida, como forma de proporcionar catarse a todos que, de alguma maneira, se viram envolvidos por essa tragédia.

Apesar da frieza do registro de Wenders, “Tudo Vai Ficar Bem” é um interessante ensaio sobre as elaborações da culpa e das alternativas por elas fomentadas para se buscar o perdão.

O filme entra em cartaz nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba e Goiânia nesta quinta-feira (10).


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.