Tamanho do texto

Dono de diversos investimentos e empresa, Jay-Z diversificou suas áreas de atuação para se tornar o primeiro rapper a atingir a marca de US$ 1 bilhão em fortuna pessoal

IstoÉ Dinheiro

Esqueça as músicas, discos e clipes de Jay-Z. O rapper teve que ir além de suas carreira musical para conseguir atingir seu primeiro bilhão e se tornar o primeiro bilionário da história do hip-hop. Foi se aventurando na carreira de empresário que o músico realmente acumulou sua fortuna e atingiu a marca histórica, algo impensável para um garoto que cresceu no conjunto habitacional de Marcy, no bairro do Brooklyn, em Nova York.

Leia também: Jay-Z bilionário e novas relações de famosos dominam as imagens da semana

Jay-Z
Reprodução/Instagram
Jay-Z se tornou o primeiro artista do hip-hop a alcançar a marca de USS 1 bilhão


Dono de uma das mais importantes agências de gerenciamento de talento do mundo, até um dos melhores champagnes do planeta, Jay-Z diversificou suas fontes de renda e se tornou imune a variações do mercado, o que lhe rendeu o título de um dos homens mais ricos dos Estados Unidos segundo a revista Forbes. Veja abaixo como o rapper, produtor, empresário e, de quebra, marido da cantora Beyoncé , construiu seu império.

Em 2014 Jay-Z anunciou a compra da vinícola Armand de Brignac, cujas garrafas custam em média US$ 300 e quem tem grande reputação no mundo da enologia.

Investimentos – US$ 220
Um dos principais investimentos feitos pelo rapper aconteceu em 2013, quando investiu US$ 2 milhões na promissora empresa Uber. Ele até tentou comprar mais US$ 5 milhões de participação da empresa, mas acabou sendo vetado pelo fundador Kalanick. Após o IPO do aplicativo, até que a recusa não foi mal negócio.

Leia também: Jay-Z é o primeiro artista de hip-hop a se tronar um bilionário

Além de champagne, Jay-Z tem participação na D’Ussé, uma marca de conhaque lançada em parceria com a Bacardi em 2012. Os resultados são impressionantes: uma média de 200 mil garrafas vendidas por mês, com crescimento anual médio de 80%.

Tidal – US$ 100 milhões
Uma das “jóias da coroa” de Jay-Z é seu serviço de streaming musical, que foi lançado sob a alegação de ser o “streaming dos artistas”, oferecendo remuneração justa e alta qualidade de som. O rapper comprou em 2015 um serviço já estabelecido por US$ 60 milhões e relançou sob novo nome e rebrand.

Roc Nation – US$ 75 milhões
Pode não ser o ativo mais valioso de Jay-Z, mas a Roc Nation foi a responsável por elevar o patamar do músico para empresário. Uma das maiores agências de talento do planeta, tem em seu portfólio músicos que vão desde Rihana, Mariah Carrey, Shakira e Claudia Leitte, até esportistas como Jerome Boateng, Kevin Durant e Kavin De Bruyne. Foi por conta da Roc Nation que o produtor abriu mão de ser dono do time de basquete Brooklyn Nets por conta de conflito de interesse.

Beyoncé e Jay-Z
Reprodução/Instagram
Beyoncé e Jay-Z


Grandes especialistas do rap consideram Jay-Z um dos melhores do gênero por sua capacidade de criar os mais diversos ritmos e cadência enquanto cita seus versos. Por conta disso, além de grandes discos solos, ele tem grandes parcerias como no disco Collision Course com a banda de rock Linkin Park e Watch The Throne, em parceria com Kanye West. É estimado que suas músicas tenham cerca de 1 bilhão de streams anualmente

Coleção de arte – US$ 70 milhões
Jay-Z já citou o artista moderno Jean-Michel Basquiat em diversas de suas músicas, e em 2013 desembolsou US$ 4,5 milhões para comprar a obra “Mecca”.

Leia também: "Eu aceitei o que meu corpo queria ser", diz Beyoncé sobre sua autoaceitação

Depois de ter gêmeos, Jay-Z resolveu comprar duas casas para chamar de sua: uma em Bel-Air, Los Angeles, de US$ 88 milhões, e outra em East Hampton, cidade litorânea no estado de Nova York, por US$ 26 milhões. As duas propriedades se juntaram a sua cobertura na cidade de Nova York de US$ 6,85 milhões.