Tamanho do texto

Apresentadora se tornou um símbolo da comunidade LGBT ao assumir namoro com Priscila Montadon e é a 8ª personalidade do ano para o iG Gente

2016 foi um ano e tanto para Fernanda Gentil. Aos 30 anos, a jornalista participou de sua primeira cobertura dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, ganhou (ainda mais) força dentro da Rede Globo e é uma das principais figuras do Esporte da emissora. De quebra, a apresentadora ainda se tornou a primeira apresentadora da maior rede de TV do País a se assumir lésbica e virou um símbolo da comunidade LGBT. 

LEIA MAIS:  10ª personalidade do ano, a danada Ludmilla quebrou a banca em 2016

Fernanda Gentil ganhou força na Globo e driblou preconceito em 2016
Reprodução/Twitter
Fernanda Gentil ganhou força na Globo e driblou preconceito em 2016



Com uma Copa das Confederações e uma Copa do Mundo no currículo, Fernanda Gentil mostrou a que veio durante a sua primeira cobertura olímpica nos Jogos Olímpicos Rio 2016 . Talentosa, profissional e carismática, a jornalista roubou a cena na Globo durante todo o evento e se consagrou como um dos principais nomes da emissora no jornalismo esportivo.

Diretamente do Parque Olímpico, a apresentadora foi a responsável por transmitir ao vivo os principais destaques de cada dia dos jogos, fez entrevistas importantes, emocionou, divertiu o público (e se divertiu). Com tranquilidade, segurança, e bom humor na medida certa, Fernanda comprovou, se é que ainda restavam dúvidas, possuir muito jogo de cintura e capacidade de driblar os imprevistos inevitáveis de uma grande transmissão em tempo real.

LEIA MAIS: Gentil deixou de lado o álcool para entrar na Globo

A visibilidade que teve ao longo dos Jogos Olímpicos lhe renderam frutos. Após se revezar entre o " Globo Esporte "  e o " Esporte Espetacular ", a jornalista assumiu o comando definitivo do dominical e, ao lado de Flávio Canto, ganhou um programa para chamar de seu. Sucesso absoluto na emissora, Fernanda arrasou também fora do esporte. Sua participação no "Tamanho Família", apresentado por Márcio Garcia, registrou a maior audiência entre todos os programas da temporada.


Símbolo LGBT

Discreta na vida pessoal, Fernanda viu sua relação com a mídia e o público mudar depois que  assumiu o relacionamento com a jornalista Priscila Montadon , em setembro. A apresentadora falou publicamente sobre o assunto ao jornal O Globo  e mostrou sua força no combate ao preconceito. Cinco meses antes, a jornalista havia se separado de Matheus Braga , pai do pequeno Gabriel e com quem foi casada por cinco anos.

"Estou só exercendo meu direito de ser muito, muito feliz. Tenho apenas um recado, e é para os meus filhos, que mais cedo ou mais tarde podem ler ou ouvir tudo por aí: Lembrem de não se importarem com tudo o que dizem sobre nossa vida, o que vale é que a mamãe fala com vocês em casa, olhando nos seus olhos. Não é o que vestimos que muda quem somos, e sim o que fazemos. Lembrem também, sempre, do nosso amor, que não tem cor, sexo ou raça. Amo vocês", declarou a apresentadora.

Fernanda é a primeira jornalista assumidamente LGBT da Rede Globo
Reprodução/Twitter
Fernanda é a primeira jornalista assumidamente LGBT da Rede Globo


Pode não parecer, mas o fato de uma jornalista da maior emissora de TV do Brasil se declarar LGBT é histórico. Principalmente em um dos países mais homofóbicos e perigosos para a comunidade LGBT do mundo, como classificou o jornal The New York Times . Por isso, é necessário que figuras públicas declarem suas orientações sexuais, para que se fale sobre o tema e para criarmos uma cultura plural, onde todos e todas terão modelos e inspirações.

Fernanda Gentil: uma grande mulher, uma grande jornalista, uma grande pessoa.  Não à toa, eleita a 8ª personalidade do ano do iG  no mundo do entretenimento. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas