Tamanho do texto

Segundo o 'TMZ', foram encontrados bilhetes escritos por Cathriona White que mencionam o ator: "Você puxou o gatilho contra mim"

A ex-namorada de Jim Carrey, Cathriona White, que foi encontrada morta em setembro de 2015, escreveu diversos bilhetes suicidas ao longo do namoro com o ator. De acordo com as informações do site americano  TMZ,  os investigadores do caso encontraram cartas em que ela expressava o desejo de tirar a própria vida.

LEIA MAIS: Mãe de ex-namorada de Jim Carrey processa o ator, diz site

Ex-namorada de Jim Carrey o culpa em mensagens suicidas:
Reprodução/FameFlynet Photos
Ex-namorada de Jim Carrey o culpa em mensagens suicidas: "Sangue em suas mãos"


O primeiro bilhete é de outubro de 2012, um mês após a morte de seu pai e dois meses depois do início do relacionamento com Jim Carrey . Na carta, Cathriona escreveu que não se encaixava neste mundo e que era "tão problemática para qualquer um realmente amá-la". Ela também disse que amava o ator  e pedia desculpas à ele.

LEIA MAIS:  Jim Carrey rebate polêmica com pílulas: "Estava fora do nosso controle"

No segundo bilhete, escrito em maio de 2013, logo após a separação do casal,  Cathriona  acusa Jim por doenças sexualmente transmissíveis e o culpa pelos seus pensamentos suicidas. "O meu sangue está em suas mãos" e "você puxou o gatilho contra mim" foram alguns dos trechos escritos por ela. 

Na última mensagem de suicídio, encontrada ao lado do corpo de Cathriona, ela falou sobre sua decepção amorosa, mas não mencionou nada relacionado a DST, a seu ex-marido ou sua mãe. Apenas se declarou para Jim: "Você é a minha família". 

Ator se defende

Após ter sido acusado na Justiça de facilitar o suicídio da ex-namorada ao facilitar a compra de pílulas que ela usou para tirar a própria vida, o ator se posicionou publicamente e rebateu as acusações. "Que pena. Seria fácil eu me reunir em um quarto com o advogado deste homem para que essa história desapareça, mas existem alguns momentos da vida em que você deve se levantar e defender a honra contra o mal deste mundo. Não vou tolerar essa tentativa desesperada de explorar a mulher que eu amei", disse Carrey para a revista People .

LEIA MAIS: Carrey é acusado de facilitar compra de pílulas que mataram ex-namorada

O ator afirmou que as pessoas estão "tentando tirar vantagem" da tragédia. "Os problemas de Cat surgiram bem antes de nos conhecermos, e infelizmente o desfecho dessa história estava fora do nosso controle. Espero que algum dia as pessoas parem de tentar tirar vantagem e a deixem descansar em paz", desabafou.


Polêmica

Cathriona morreu aos 30 anos em setembro de 2015, após ter uma overdose de analgésicos e sedativos. As drogas estavam prescritas para um homem fictício chamado Arthur King, que seria um pseudônimo do ator Jim Carrey, de acordo com o processo revelado pelo TMZ . De acordo com o tablóide, o ator teria entregado a ex-namorada um frasco com três drogas (Zolpidem, Propanolol e Oxicodona) cerca de três ou quatro dias antes de sua morte. Na Califórnia, é ilegal obter prescrição médica com um nome que não seja verdadeiro.

A publicação afirma ainda que Jim Carrey teria tentado obstruir a justiça e confundir as investigações logo após a morte da maquiadora, mandando-lhe uma mensagem de texto afirmando que havia trocado as medicações, ou afirmando que ela fez uso das pílulas sem o seu consentimento.