Tamanho do texto

Declaração de Tiago Leifert durante a exibição do programa da última terça (2) causou polêmica e controvérsia entre o público; Rodrigo foi eliminado

O paredão mais recente do “BBB19”, exibido na noite da última terça-feira (2), resultou na eliminação de Rodrigo, com 69,71% dos votos, e deixou o público um pouco triste com a saída do rapaz, que disputou a permanência na casa com Carolina e Hariany, que receberam 28,73% e 1,92% dos votos do público, respectivamente.

Leia também: Oito razões que levaram "BBB 19" a abrir mão da soberania do público no paredão

undefined
Divulgação
BBB 19


No entanto, outro acontecimento chamou a atenção dos telespectadores do “ BBB19 ”. Tudo isso porque Tiago Leifert , apresentador do programa, quebrou o protocolo e disparou: “Vou até tomar uma bronca depois, mas posso deixar uma coisa bem clara pra vocês? Não tem vilão nesse programa. Eu sei que vocês sabem, mas estou confirmando", disse.

"Existem pessoas diferentes, de lugares diferentes do País, que pensam diferente e encaram o jogo de jeitos completamente diferentes. E aí, depois, o público escolhe um pra continuar, outro pra sair. Não há vilões, está tudo bem com vocês”, afirmou.

A declaração causou certa polêmica, uma vez que o próprio público já afirmou que os vilões da edição existem sim. Abaixo, selecionamos 5 provas de que a afirmação de Tiago Leifert está errada.

  • Comentários preconceituosos de Paula

Desde o começo do reality, Paula virou alvo de críticas do público por conta de seus comentários considerados racistas. Um deles, inclusive, foi sobre cabelos cacheados: “Eu também tenho cabelo ruim”, disparou a loira, quando Gabriela afirmou que o cabelo de Elana era cacheado. A designer gráfica ainda tentou corrigi-la, afirmando que o comentário era preconceituoso, mas Paula sustentou a afirmação.

Leia também: Posição frágil e fanbase fraca dificultam permanência de Rodrigo no “BBB 19”

Outro comentário que rendeu polêmica foi sobre um caso de feminicídio, onde um homem que assassinou a esposa. Paula, que é advogada, disparou: Acho que ela tinha traído ele.  E era aquela faca de pão. Aí eu pensei que ia chegar o maior ‘faveladão’ lá. E, quando vi, o cara ela ‘branquinho’, morou não sei quanto tempo na Austrália ou no Canadá. E pensei: ‘não é possível que fez isso’”, contou.

  • Vilões em potencial eliminados nas primeiras semanas

Só neste tópico podemos citar três deles: Maycon, Gustavo e Diego. O trio, já eliminado, poderia facilmente ser encarado como um trio de vilões. Maycon, por exemplo, também disparou comentários preconceituosos durante sua participação.

Já Diego virou assunto quando, durante uma das festas do programa, fez comentários preconceituosos sobre homossexuais. “Eu não sou nem um pouco preconceituoso quanto a isso, o que eu não gosto é aquele cara gay chato, escandaloso. Pô, se o cara é ou não é... Mas se o cara é na dele, total, pouco importa. Mas as pessoas que querem aparecer na frente dos outros, eu não tenho paciência”, disse.

No caso de Gustavo, um possível embate entre o médico e Hana, também eliminada, poderia ter acontecido, principalmente depois de um comentário dele, julgado incoerente pelos internautas. Durante um Jogo da Discórdia, ele afirmou que confiava na youtuber. No entanto, um dia antes, votou nela e disse que gostaria que ela fosse eliminada.

  • Falta de estratégia dos jogadores

Os vilões do reality não precisam, necessariamente, ser os próprios confinados. Um bom exemplo disso é a falta de estratégia e de jogo, propriamente dito. Até agora, não houve nenhum tipo de planejamento entre os personagens do programa para conseguirem se salvar da eliminação.

Leia também: Família de Rodrigo, ex-'BBB', vai à Justiça contra ataques racistas

Combinação de votos, por exemplo, que sempre foi o fator mais importante do jogo nas edições anteriores, foi algo que ainda não presenciamos. E só faltam dez dias para o "BBB" acabar! Será que isso muda?

  • Nada de conflitos relevantes

Outro ponto importante e que, mesmo que não admitimos, adoramos, são os conflitos. A falta deles, por exemplo, é um ponto negativo para o reality sim. Houve algumas discussões, principalmente no Jogo da Discórdia, mas nada que tenha uma boa relevância.

O público sente falta do barraco nosso de cada dia, como a icônica treta entre Diego Alemão e Airton, no “BBB7”. Ou a feia discussão (e várias outras!) entre Marcos Harter e Emily Araújo, do “BBB16”. Cadê as tretas, pessoal?

  • O público é o grande carrasco desta edição?

Por último, mas não menos importante, o público. Talvez ele seja o grande vilão da edição, uma vez que, por exemplo, eliminar três dos possíveis protagonistas de tramas mais interessantes do reality. Essa pode ser uma prova de que o público não sabe votar, já que nomes fortes desta edição foram eliminados, dizimando brigas e destaques em potencial do programa.

Outro fator essencial e que contribui para a existência de controvérsias na casa é a falta de audiência. Os participantes não animaram, o jogo, que já chega ao fim, segue devagar e quase parando, e o índice de audiência do “ BBB19 ” continua lá embaixo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.