Tamanho do texto

Projeto ganhou o apelido de “PL do Passinho” e gerou polêmica no estado

trecho do clipe de mc troia arrow-options
Reprodução
Em clipe, Troia reúne grupos de passinho

Um Projeto de Lei foi recebido com polêmica em Pernambuco. Proposto pela deputada Clarissa Tércio (PSC), a PL busca coibir a dança conhecida como “passinho dos maloka” nas escolas públicas de Pernambuco. O ritmo, derivado do brega-funk , tomou conta das periferias pernambucanas nos últimos anos, estendendo o sucesso para todo o Brasil. 

Leia mais: Público da Bienal protesta contra Crivella: Não vai ter censura

Desde meados de 2017, então, são frequentes os encontros e “batalhas” de dança que reúnem adolescentes não apenas nos espaços públicos do centro da cidade - que ajudaram a difundir a ritmo mesmo entre a classe média - mas também nas escolas.

O texto do Projeto de Lei 494/2019 se refere à “realização de danças em eventos e manifestações culturais cujas coreografias sejam obscenas, pornográficas ou exponham as crianças e adolescentes à erotização precoce”.  Embora não seja diretamente citado no texto, um outro trecho da PL fez com que a proposta ganhasse o apelido de “PL do Passinho” e refere-se ao fato de que o Projeto “se aplica a qualquer modalidade de dança, inclusive manifestações culturais pernambucanas ”.  

A deputada do PSC ainda publicou, em sua página no Facebook, um vídeo no qual expõe apresentações do passinho em ambiente escolar. No vídeo, Clarissa Tércio - que compõe a bancada evangélica da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) - diz: “a família pernambucana não concorda e, por isso, eu estou levando um projeto que proíbe esse tipo de apresentação no âmbito das escolas de Pernambuco”. O vídeo também pede que os eleitores deixem sua opinião sobre o assunto. 

MC Sckevchenko, um dos principais defensores do passinho e brega-funk no estado, repudiou o Projeto em sua conta no Instagram. “Quando a favela está no topo, alguém tenta querer estragar nossos sonhos. Deputada, eu espero que a senhora esteja fazendo a escolha certa. Eu vou lutar até o último minuto falando que passinho é cultura em Pernambuco”, disse a publicação.