Tamanho do texto

Na esquete intitulada "O Mundo Tá Chato", humoristas falam sobre a forma como o preconceito muitas vezes aparece disfarçado como piada

O "Porta dos Fundos" lançou um novo vídeo nesta segunda-feira (5). Mais uma vez adotando um tom crítico, a esquete, chamada "O Mundo Tá Chato", protagonizada por Gregório Duvivier , Luis Lobianco , Thati Lopes , Karina Ramil Gustavo Chagas , busca discutir os limites do humor e a forma como o preconceito muitas vezes vem disfarçado de brincadeira.

"O Brasil tem um contrato com o atraso", diz Gregório Duvivier

Novo vídeo do
Reprodução/Youtube
Novo vídeo do "Porta dos Fundos" chama-se o "Mundo tá Chato"

 No vídeo do " Porta dos Fundos ", o personagem de Duviver, chamado Murilo, aparece em seu local de trabalho falando que está revoltado porque o "mundo está chato'. Quando questionado sobre seus colegas sobre o que ele quer dizer, ele fala que fez uma "piada" com uma mulher e que ela disse que ele estava sendo machista.

"Eu estava passando e fui elogiar a menina da recepção, fazer uma gentileza. Falei: 'nossa, que desperdício essa raba aí atrás de um balcão'. Aí ela falou: 'nossa que machismo'. Porr* eu sou machista agora? Eu? Vai tomar no c*". Uma colega dele, Rita, fala que ele teve uma atitude muito machista. Ele debocha e afirma que ela só diz isso porque é mulher.

Porta dos Fundos rebate pedido de boicote em novo vídeo

Quando um colega homem dele concorda que a atitude foi machista. Murilo faz um comentário homofóbico: "Tu é home? Tu não é homem. Homem que dá o bum bum para outro homem. Pô tem que escolher né? Homem é homem, viado é viado".

Neste momento que ele faz o comentário, uma outra colega afirma que ele foi muito ofensivo, ao que ele responde: "Ofensivo? Eu estou brincando com um amigo meu! Esse cara é meu brother, ele é viado mas é meu amigo. Gente o mundo tá muito chato mesmo! Não pode fazer piada de viado, de mulher, o que sobra?".

Os colegas de trabalho de Murilo ficam ainda mais inconformados quando ele faz um comentário racista sobre sua empregada, que é negra. Uma das colegas, Rita, critica as atitudes de Murilo: "Você pode brincar com qualquer coisa, com o que você quiser. Só que racismo no caso é uma questão bem séria". 

"Porta dos Fundos" chega aos cinemas satirizando o mundo das celebridade s

No fim do vídeo, depois de garantir que não é preconceituoso, Murilo abre seu computador, e para o espanto de todos, o seu fundo de tela é o símbolo do Nazismo, a suástica. 

Limites do humor

O humorista Danilo Gentil i já chegou a declarar que ele acredita que o humor não deve ter limites. Este vídeo do "Porta dos Fundos" busca criticar justamente afimações como essa e visa mostrar que quando se torna ofensivo, o humor deixa de ser engraçado e se torna apenas preconceituoso. 

Fábio Porchat sobre blindagem de atores entre emissoras: "Uma bobagem"

Por meio de seus personagens, o "Porta dos Fundos" busca demonstrar que comentários preconceituosos e ofensivos não são engraçados e que o humor possui, sim, limites; precisando existir um bom senso entre o que é humor, e o que é ofensa.


    Leia tudo sobre: