Tamanho do texto

Jornalista foi sabatinada e falou sobre a vontade de se tornar presidente do país, a saúde do noivo e porquê não é operada

Léo Áquilla participou do quadro "De Frente com a Verdade" do programa de  João Kléber nesta terça-feira (12), falou sobre a doença do noivo, Chico Campadello , e seu desejo de se aventurar na política. "Está na hora do Brasil experimentar gente diferente", afirmou.

Léo Áquilla encara perguntas de jornalistas e se emociona ao falar de noivo
Reprodução/RedeTV!
Léo Áquilla encara perguntas de jornalistas e se emociona ao falar de noivo


A ex-Fazenda foi sabatinada pelo apresentador da RedeTV! e os jornalistas Renata Reif , editora de Entretenimento do iG , e Felipeh Campos . Perguntada sobre a declaração de que gostaria de ser presidente da República, Léo disse que era verdade: "Política é um sistema ou você usa para fazer o bem ou sistema usa você. (...) Não existe receita mágica, mas são muitas coisas para consertar o Brasil. Se os 'normais' não conseguiram fazer, quem sabe a gente consegue. Ser travesti não me faz incompetente".

A jornalista também declarou que não é operada, por isso não tem problemas em se identificar como travesti. "Eu tentei e não consegui. Tinha tudo pronto para operar quando descobri um problema no coração e fui impedida. Sou transexual aqui (apontando para cabeça), não operada".

Léo se emocionou ao falar da internação de seu noivo, após uma lipoaspiração que o deixou em coma por dias . "Um dia o médico me disse: 'O caso dele é tão grave que eu acho que ele não passa de hoje'. Eu desabei no chão e fiquei 12h ajoelhada, rezando (...) Sou testemunha de que Jesus é milagroso".

Felipeh Campos, Leo Áquila, João Kleber e Chico Campadello
ig
Felipeh Campos, Leo Áquila, João Kleber e Chico Campadello




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.