Tamanho do texto

Ela estava internada em São Paulo e lutava contra um câncer de pulmão. Velório e cremação acontecem neste domingo (10)

A atriz cubana Phedra de Córdoba morreu neste sábado (9), aos 77 anos. Integrante da companhia de teatro Os Satyros, ela lutava contra um câncer de pulmão e estava internada no Hospital Heliópolis, em São Paulo.

A atriz Phedra de Cordoba tinha 77 anos
Reprodução/Facebook
A atriz Phedra de Cordoba tinha 77 anos



Phedra nasceu Rodolfo, em Havana, em 26 de maio de 1938 e desde criança atraía a atenção das pessoas por causa de seus traços e trejeitos femininos. Na adolescência fez par com a bailarina Lupi Sevilha em uma companhia de dança. Aos 21 anos, resolveu que seria Phedra de Córdoba, nos palcos e na vida.

Sua vinda ao Brasil se deu em 1958 quando, passando uma temporada em Buenos Aires, conheceu Walter Pinto, um dos grandes nomes do teatro de revista brasileiro. Ela decidiu não voltar para Cuba e se mudou para o Rio de Janeiro.

A partir daí trabalhou com nomes como  Costinha , Consuelo Leandro e Ewerton de Castro e, em 2003, ingressou na companhia de teatro Os Satyros, participando de montagens marcantes como "A Filosofia na Alcova", "A Vida na Praça Roosevelt", "Transex" e "Divinas Palavras".

Sua vida virou documentário em 2011: "Cuba Libre", do cineasta Evaldo Mocarzel. Estava no elenco da peça "Pessoas Sublimes", mas foi obrigada a se afastar por por conta dos problemas de saúde. Vários artistas se engajaram para ajuda-la nos custos do tratamento, nos palcos e nas redes sociais. Maria Casadevall, Paula Cohen e Cléo De Paris criaram o espetáculo "Phedras por Phedras", para levantar dinheiro para suas despesas médicas da atriz.

O velório está sendo realizado neste domingo (10), no Espaço dos Satyros Um, na Praça Roosevelt, em São Paulo. O corpo será cremado às 15h, no Crematório da Vila Alpina,.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.