Tamanho do texto

Ao iG, a atriz comemorou justiça ao caso: "Que crimes contra negros não fiquem mais impunes"

Uma operação realizada em conjunto pela Polícia Civíl de sete estados resultou na prisão de quatro pessoas envolvidas no caso de racismo contra Taís Araújo  na manhã desta quarta-feira (16).

Polícia prende quatro suspeitos e atriz comemora:
Reprodução
Polícia prende quatro suspeitos e atriz comemora: "Justiça feita"


De acordo com o delegado  Alessandro Thiers , os quatro suspeitos presos também estavam envolvidos no caso da jornalista  Maria Júlia Coutinho e das atrizes  Sheron Menezzes e Cris Vianna . "É o mesmo grupo. A intenção era chamar atenção. Escolhiam pessoas públicas, com notoriedade e seus integrantes se mobilizavam. Havia um código de conduta, se eles não participassem [das ofensas] eram punidos", diz o delegado.
Conforme o iG apurou junto à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática do Rio de Janeiro, foram expedidos 11 mandados de busca e apreensão no Rio, Paraná, Santa Catarina, Bahia, Minas, São Paulo e Rio Grande do Sul.

As prisões foram realizadas em Santa Catarina, São Paulo, Bahia e Rio Grande do Sul. Em Porto Alegre, um rapaz foi preso em flagrante por ter acervo de vídeos com imagens de pedofilia.

Em nota, a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro informou que o grupo atuava criando grupos secretos e temporários e chegavam a informar maneiras de mascarar a conexão com o objetivo de tentar dificultar o rastreamento dos dados.  

Por meio de sua assessoria de imprensa, Taís Araújo comemorou o resultado das investigações: "É importante saber que a justiça deu continuidade à denúncia e espero que crimes contra negros não fiquem mais impunes".