Tamanho do texto

Márcia Brito quebra o silêncio sobre morte do filho e responde às ameaças da atriz Leona Cavalli no "Programa do Gugu"

Márcia Brito  falou pela primeira vez sobre a morte do filho,  Rian Brito , encontrado morto na quinta-feira (3), em Quissamã, no Rio de Janeiro. Durante entrevista ao "Programa do Gugu", exibido na noite de quarta-feira (9),  a atriz fez revelações sobre o caso do neto de Chico Anysio e a polêmica envolvedo o chá de ayahuasca e  Leona Cavalli .

Márcia Brito fala sobre a morte de Rian
Reprodução/Rede Record
Márcia Brito fala sobre a morte de Rian


"Nunca pensei que a fuga dele fosse proposital. O tempo todo eu pensei que ele fosse acuado por um sequestro, qualquer coisa que envolvesse o banco", desabafou Márcia em conversa com a jornalista  Thatiana Brasil .

Rian desapareceu no dia 26 de fevereiro depois que a mãe o deixou em uma autoescola no Rio de Janeiro. "Ele falou: 'Como eu não tive aula ontem, ligaram pra me dar uma aula extra de tarde'. Aí eu fui levá-lo correndo. Ele marcou três e meia [para voltar], mas deu quinze para as quatro e eu ia até brincar com ele: 'Será que já bateu o carro antes de tirar a carteira?'. Liguei pra ele, mas não respondia. Eu pensei: 'Está fora de área, ainda está dirigindo, atrasou...'. Mas, nada grave! Quando foi quatro horas eu fiquei muito nervosa e liguei pra autoescola".

Ao sair da autoescola, Rian foi direto para um shopping e sacou R$ 500 no banco. Câmeras de segurança mostram ele descendo as escadas e entrando em um táxi. O jovem seguiu para a rodoviária no centro do Rio e embarcou para Quissamã, onde foi encontrado morto. "Pra mim acabou tudo! Agora ão vou mais cantar, fazer show... Acabou", disse Márcia.

Márcia Brito fala sobre a morte de Rian
Reprodução/Rede Record
Márcia Brito fala sobre a morte de Rian


A mãe de Rian atribuiu a morte do filho ao uso do chá alucinógeno ayahuasca, pois ele fazia parte de uma seita que o utiliza nos rituais. De acordo com Márcia, Rian nunca mais foi o mesmo depois de consumir o chá. "Ele foi ficando sério. Não se interessava mais nos instrumentos. Ele ficava meditando, meditando, meditando... Ele não interagia, não voltava pra realidade. Você olhava no olho da pessoa e ela não voltava. Ele ficava falando frases espirituais. Ele não ria. Olha que tristeza!".

Durante as investigações, Márcia insinuou que Leona Cavalli  teria relação com a morte do filho. "Eu mencionei ela porque é dona do lugar em que ele foi que chama Porta do Sol. Ela representa o chá pra mim, na minha cabeça (...) Essa reunião tem que ser questionada. Eu queria que ela visse, que ela parasse com isso e visse o que é isso que aconteceu! Por causa de um chá, não é porque ele saiu... É por causa de um chá que é vendido a R$ 120!", desabafou.

Ao iG , Cavalli confirmou o desejo em processá-la por injúria, calúnia e difamação. "Peço desculpas a você, Leona, porque eu não pensei no resultado disso. Ela pode até me processar à vontade. Eu não vou ter advogado. Pronto! Louca? Sou! Estou louca porque meu filho morreu naquelas situações. Quer prender? Vai, agora!", disse Mária no "Gugu".