Tamanho do texto

Atriz precisará adotar estratégias certeiras para manter sucesso na emissora, mas também abrir horizontes fora da TV

Ela foi eleita a personalidade de 2015  pelo iG Gente . Na ocasião, Monica Iozzi já havia adiantado o que se confirmou no fim da última semana. Ela abriria mão da bancada no "Vídeo Show" para perseguir uma carreira como atriz no cinema e no teatro. De momento, ela tem confirmada a participação na série “A Advogada do Diabo”, nova produção assinada pela dupla Fernanda Young e Alexandre Machado de “Os Normais” e “Minha Nada Mole Vida”. A atriz, ainda, é destaque na dublagem nacional do filme “Zootopia”, que estreia em meados de março no cinema brasileiro.

iG elegeu a atriz e a presentadora Monica Iozzi a personalidade de 2015
Reprodução/Instagram
iG elegeu a atriz e a presentadora Monica Iozzi a personalidade de 2015

Monica tem a sua frente uma transição difícil e que pelo destaque que conseguiu a frente do “Vídeo Show” pode enfrentar sua cota de hostilidades. A decisão de Iozzi foi corajosa. Trocar uma bem adornada carreira de apresentadora na Globo, onde ela já figurava entre os grandes destaques – além de ser um dos poucos fenômenos da emissora nas redes sociais – por uma incerta experiência como atriz.

Com o contrato renovado na casa, por três anos, ela ainda se vê no recorte da comédia, mas poderá exercitar a ansiada veia dramática no teatro e no cinema. Monica traz consigo, claro, a boa vontade do público com ela, mas pode angariar a má vontade de uns e outros profissionais pelo caminho. Em bom português, ela está deixando o “Vídeo Show” por cima, mas a leitura que certas pessoas podem fazer é de que ela está abandonando o programa. E o ressentimento pode ser sórdido.

A administração dessas circunstâncias dirá muito sobre o futuro de Monica Iozzi na Globo mais especificamente. Para quem não se lembra, saída do “CQC”, da Band, ela estreou na Globo em 2014 como comentarista do “BBB” e depois atuou na novela “Alto Astral”. Sua ascensão na emissora foi meteórica e parece que somente agora, senhora de seu status, Iozzi parece capaz de pôr ordem na carreira. Nos seus termos. Isso, porém, pode estar em um futuro fora da Globo.

É difícil encontrar na memória apresentadores que tenham vingado como atores, ainda que Iozzi tenha formação acadêmica como atriz. Faustão , Jô Soares e Sérgio Mallandro , no escopo brasileiro, se aventuraram pela atuação, mas jamais abandonaram de fato o ofício da apresentação.

Nos EUA, Jimmy Fallon fez o caminho inverso. Ator limitado de presença para lá de discreta em filmes como “Quase Famosos” (2000), “Táxi” (2004) e “Amor em Jogo” (2005), Fallon se reinventou como apresentador de talk-show. Outro humorista americano icônico, Jon Stewart , flertou com o cinema – apareceu em filmes como “Prova Final” (1998), “O Paizão” (1999) e “Corações Apaixonados” (1999) – e após ter se aposentado como apresentador, flerta com a carreira de diretor. Já fez um filme e desenvolve uma série para a HBO. Mas o sucesso é mais relativo do que prático.

O tamanho do desafio não parece intimidar Monica Iozzi e esse já é um ponto de partida e tanto. Talento ela já mostrou ter de sobra e ambição parece ter o suficiente. Agora é perseverar e calcular muito bem seus próximos movimentos. Dentro da Globo, mas também fora da emissora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.