Tamanho do texto

Cantora irlandesa publicou uma carta de suicídio nas redes sociais: "Eu já morri milhões de vezes"

Sucesso dos anos 90, a cantora irlandesa  Sinead O'Connor  deixou muitos fãs aflitos ao escrever uma carta de suicídio em sua página oficial no Facebook durante o final de semana. Na primeira mensagem, publicada na sexta-feira (27), a cantora disse que estava sofrendo com problemas familiares e abalada por uma forte depressão.

Sinead O'Connor tenta suicídio pela terceira vez, mas polícia intervém
Getty Images
Sinead O'Connor tenta suicídio pela terceira vez, mas polícia intervém


De acordo com as mensagens, os problemas familiares tiveram início depois que os pais de seus quatro filhos e seu filho mais velho, que tem 28 anos, entraram com um pedido na justiça para que ela não pudesse mais ver os filhos. "Eu preciso de uma nova casa e um novo trabalho. Uma nova vida. A música acabou pra mim. A música fez isso. Me transformou em invisível, assassinou minha alma. Eu nunca vou voltar a fazer música. Eu perdi tudo. Meu trabalho, minha casa, meus filhos, meu útero, minhas sábias crianças, minha identidade. Eu não posso jantar no Natal com essas pessoas de novo", escreveu Sinead, que ainda divulgou um endereço de email para quem tivesse um lugar para ela morar poder entrar em contato.

Sinead O'Connor
Christie Goodwin/Redferns via Getty Images
Sinead O'Connor

Em outra mensagem publicada no domingo (29), a cantora revelou que tentou se suicidar pela terceira vez. "Eu tomei uma overdose. Não existe outro jeito de conseguir respeito. Eu não estou em casa. Estou em um hotel em algum lugar de Dublin. Eu já morri milhões de vezes. Mas a minha família não me valoriza. Eles não vão saber que eu morri por semanas, mas estou os informando agora", disse.

Segundo informações do site "TMZ", os fãs da cantora alertaram a polícia irlandesa sobre o que estava acontecendo e, assim, ela foi encontrada e encaminhada para um hospital psiquiátrico. Com um histório de problemas de saúde mental, Sinead revelou recentemente que já havia tentado tirar sua própria vida em 1999 e em 2002.

Leia na íntegra a carta publicada por Sinead O'Connor em inglês: