Tamanho do texto

A apresentadora também deu seu testemunhou e compartilhou o problema: "Fiquei com receio de falar"

Convidada do programa "Xuxa Meneghel", na segunda-feira (09), Luana Piovani deu sua pirmeira entrevista na TV após dar à luz gêmeos. Depois de conversarem sobre como lidar com as críticas nas redes sociais, a violência sexual foi pauta do bate-papo.

Luana Piovani fala sobre abuso sexual no programa 'Xuxa Meneguel'
Reprodução
Luana Piovani fala sobre abuso sexual no programa 'Xuxa Meneguel'


No palco da atração da Record, a atriz aderiu à campanha #primeiroassédio e abriu o jogo à apresentadora sobre abusos sofridos na infância.

A revelação foi feita após Xuxa comentar sobre um episódio constrangedor ocorrido na época em que era modelo. A apresentadora deu seu testemunho: "Entrei num táxi quando era modelo, estava de minissaia, e o cara começou a se masturbar. Eu não sabia o que eu fazia, seu eu pulava, se eu saía, se o cara ia me deixar sair. E quando cheguei em casa, fiquei com um pouco de receio de falar porque poderia ouvir: ‘mas você também estava de minissaia’. A gente ainda se sente culpada!".

Em seguida, Luana contou que foi vítma pela primeira aos sete anos de idade. Ela afirmou que só relembrou o que aconteceu depois de assistir ao depoimento de outras mulheres que, como ela, esconderam o episódio e nunca conversaram com ninguém sobre o assunto.

Luana Piovani: 'Nunca contei para ninguém'
Reprodução
Luana Piovani: 'Nunca contei para ninguém'


"Nunca contei para ninguém, nem para o meu pai, nem para a minha mãe. E com essa campanha me dei conta de que a grande maioria das mulheres que eu conheço já sofreu algum assédio na infância e nós simplesmente não falamos sobre isso", desabafou Luana. Incentivada pelas recentes discussões, Luana revelou o caso apenas para o marido, o surfista Pedro Scooby. "Você vai ser o primeiro a saber", disse a atriz.

Veja também: Paola Carosella relata primeiro assédio: "Minhas pernas tremiam"

A discussão sobre assédio sexual ganhou força nas redes sociais com a campanha #PrimeiroAssédio, encabeçada pelo coletivo feminista Think Olga. A ideia é que mulheres denunciem e falem sobre a primeira vez em que foram assediadas.