Tamanho do texto

Ex-Chacrete diz que voltaria para a próxima edição de “A Fazenda”, fala sobre a passagem do tempo e o plano para ser atriz e ainda analisa as dançarinas de hoje em dia: “virou uma apelação”

Rita Cadillac ainda sustenta um salto 12 como poucas mulheres. Batendo na porta dos 60 anos, ela trilhou uma carreira de sucesso e muito rebolado, e continua com o poder de hipnotizar os homens por onde passa (seja pelas curvas ou pela curiosidade em torno de sua figura). Ela diz, por exemplo, que ainda a chamam de gostosa por aí. Mais do que isso, ela sabe que é dona de um corpão “sem plástica nenhuma, vou logo falando”. “Eu me acho gostosa, eu me garanto. Quando eu me arrumo, eu sei que sou. Coloco minha calcinha apertadinha, meu salto alto… Sei que eu sou”, dispara.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba notícias dos famosos

Mas por trás da pose sexy e fatal, Rita se mostrou mulher calada e mãezona protetora em sua passagem por “ A Fazenda ”, da Record, de onde saiu há um mês com gostinho de quero mais: “Eu já até pedi para voltar! Se deixarem, na sétima edição eu volto”. Em um sincero bate-papo com o iG, Rita analisa os caminhos que o jogo tomou e critica a atitude exagerada de Andressa Urach, que desatou a cuspir nos seus desafetos do jogo. “Ela pode até estar fazendo tipo, mas é um tipo bem negativo, né? Na minha opinião, ela vai sentir quando chegar aqui fora”, conta.

O encontro aconteceu nos bastidores de “Dona Xepa”, da Record, que está na última semana de gravação. Rita entra na trama de Gustavo Reiz como a mãe do personagem Robério ( Alexandre Barillari ), a dona Dagmara. No set, todos paparicam a estrela. E se por fora está tudo muito bom, tudo muito bem, por dentro Rita afirma que treme igual vara verde. “Eu morro de pavor cada vez que eu entro no estúdio”, contou a ex-Chacrete, que vai começar a estudar interpretação para lançar um monólogo em 2014.

Da sala de estar do estúdio F do RecNov, complexo de novelas da emissora, Rita comenta várias polêmicas, entre elas a aparição simultânea na Globo, em “Amor À Vida”, e na Record, com o reality show rural: “Uma semana antes do confinamento, fui convidada pela Globo. Antes de falar que sim, eu liguei para a Record. Acontece que existe um contrato em que diz que você não pode comunicar nada e nem ninguém sobre a ‘Fazenda’. Eu não podia contar para a Globo. Se eu contasse, ia vazar de alguma forma. Alguém iria pagar minha multa? Não”. Confira o bate-papo:

Rita Cadillac posou para ensaio do iG há um ano
André Giorgi
Rita Cadillac posou para ensaio do iG há um ano

iG: Você gosta de representar? Seguir a carreira de atriz seria um caminho para você?
Rita Cadillac: Eu curto, mas, ao mesmo tempo, eu não curto. Morro de pavor cada vez que eu entro no estúdio. Tremo igual vara verde. São 40 anos de carreira, tudo bem, mas eu fico nervosa, choro, não durmo direito, fico igual doida em casa passando o texto sozinha. Agora, eu quero fazer teatro. Recebi um convite para um monólogo chamado “Louca 100% Mulher” e preciso fazer umas aulinhas antes. A estreia será em São Paulo em 2014. Nunca fiz aula de teatro, nem nada. Com esse negócio de entrar na “A Fazenda”, a minha vida está uma correria. Mas em outubro vou arrumar um tempo para fazer a primeira leitura e começar a ensaiar.

Assisto todos os dias e estou achando uma baixaria, Chorei muito quando sai, fiquei muito triste, mas agora, quando vejo essas cenas, fico aliviada. Se eu estivesse lá dentro ainda, claro que não participaria de um festival como aquele, mas eu ficaria olhando e isso me faria mal”, sobre “A Fazenda”

iG: Você foi eliminada há um mês. Continua assistindo ao programa? O que está achando?
Rita Cadillac: Assisto todos os dias e estou achando uma baixaria (risos). Começou com aquela história com a Miss Cuspe ( Andressa Urach ). Acho feio isso, tanto para o homem quanto para a mulher. Chorei muito quando sai, fiquei muito triste, mas agora, quando vejo essas cenas, fico aliviada. Se eu estivesse lá dentro ainda, claro que não participaria de um festival como aquele, mas eu ficaria olhando e isso me faria mal. Você não precisa chegar a esse ponto. É uma falta de respeito. As pessoas falam que é jogo...

iG: Você acha que a Andressa está fazendo um jogo?
Rita Cadillac: Ela pode até estar fazendo tipo, mas é um tipo bem negativo, né? Na minha opinião, ela vai sentir quando chegar aqui fora. Outro dia, peguei um motorista de táxi que falou que se pegar corrida com a Andressa vai ter até medo de abrir a boca e levar um cuspe.

iG: Para quem vai sua torcida agora?
Rita Cadillac: Para a Denise . Ela é louca, mas tem um bom coração. É uma menina que está sofrendo nas Roças. Eu estava torcendo para a Scheila (Carvalho) , mas ela saiu. Deus que me perdoe, mas se a Denise sair, eu tenho mais duas pessoas que gosto muito: o Gominho e o Beto (Malfacini) . Eu sei que o Beto é um bom menino. Ele está indo na onda dos que estão aprontando, mas ele é um bom menino.

iG: Você sempre falou que queria entrar para um reality show. Já até tinha se inscrito para o “Big Brother Brasil”. Depois da experiência em “A Fazenda”, você se arrependeu dessa vontade?
Rita Cadillac: Em nenhum momento. Eu já até pedi para voltar! Se deixarem, na sétima edição eu volto. Acho legal, mas com aquele clima que estava no início do jogo. Da noite para o dia aquilo virou de cabeça para baixo. As pessoas começaram a ver que aquilo é um jogo e que vale tudo: ser bom caráter, mau caráter... Só não vale é porrada. As pessoas começaram a enlouquecer e perderam o limite. Mas eu quero voltar. Vai que eu pego uma turma legal na próxima?

iG: Você entrou em “A Fazenda” pela vontade de participar de um reality show ou pelo dinheiro?Rita Cadillac: Em primeiro lugar, meu amor, óbvio que todo mundo quer tentar ganhar R$ 2 milhões. Não vou negar isso. Mas eu queria entrar para tentar me conhecer melhor. Lá, são 16 pessoas totalmente diferentes, que estão na corrida por R$ 2 milhões e alguns ultrapassam a barreira do caráter e da honestidade. Eu queria me ver ali naquele lugar. Mas o dinheiro, claro, é em primeiro plano. Isso não tenha dúvidas.

iG: O que aconteceu de verdade com a história da sua participação em “Amor À Vida” enquanto estava no ar em “A Fazenda”?
Rita Cadillac: Eu assinei contrato com a Record em fevereiro. Uma semana antes do confinamento, fui convidada pela Globo para participar de “Amor À Vida”. Antes de falar que sim, liguei para a Record. Eles deram autorização em um dia, no outro negaram, e no outro deram de novo. Acontece que existe um contrato em que diz que você não pode comunicar nada e nem ninguém sobre a “Fazenda”. Eu não podia contar para a Globo. Se eu contasse, ia vazar de alguma forma. Alguém iria pagar minha multa com a “Fazenda”? Não. Então, eu topei, disse que teria de gravar em tais dias, porque depois eu iria viajar para a Europa. Eu não podia falar, sabe? Peço até desculpas para a Globo por isso, mas eu realmente não podia falar.

Uma semana antes do confinamento, fui convidada pela Globo. Antes de falar que sim, eu liguei para a Record. Acontece que existe um contrato em que diz que você não pode comunicar nada e nem ninguém sobre a ‘Fazenda’. Eu não podia contar para a Globo. Se eu contasse, ia vazar de alguma forma. Alguém iria pagar minha multa? Não”

iG: Você teme ficar com as portas fechadas com a Globo?
Rita Cadillac : Claro, eu sei que vou ficar um tempinho de molho, mas nada demais. Eles vão entender isso e vai ficar tudo bem.

iG: Em junho de 2014 você vai completar 60 anos...
Rita Cadillac: E sem plástica, vou logo falando. Pode ver, não tem nada. Nem Botox, nem porra nenhuma. Só coloquei seio porque eu não tinha. O resto é tudo meu.

iG: E como você mantém o corpo?
Rita Cadillac: Ih, não faço nada. Fui até malhar na “Fazenda” e quase morri do coração. Eu estou tranquila com os 60 anos, tiro sarro ainda. Hoje sou melhor e, ao mesmo tempo, sou pior. Já não posso competir com uma garotinha de 20 anos, mas, para mim, estou bem na fita. Eu me sinto bem.

iG: Na última entrevista que você deu para o iG você se definiu como solteira e romântica e disse que incomoda o fato de pensarem que você é uma pessoa que pensa em sexo 24h por dia.
Rita Cadillac: Continuo falando isso.

iG: A exposição na “Fazenda” te ajudou a separar o que é Rita pessoa e o que é Rita personagem?
Rita Cadillac: As pessoas ainda acham que eu penso em sexo 24 horas por dia. Pode ser que mude um pouco agora, depois do programa, onde eu mostrei que sou muito mãezona. Ainda assim, alguns falaram que aquilo era tudo falso, que era um personagem. Eu sou assim. Sou quieta, calada… Se ninguém falar comigo, passo o ano inteiro sem falar. Não sou de badalação, de fazer graça. Sou mãezona, gosto de proteger, de abraçar. A Rita Cadillac só existe no palco. Quando a personagem sobe no palco pode ter fruta, filé, couver-flor… Pode ter tudo que eu me garanto.

iG: E o que você acha de todas essas mulheres-frutas que aparecem por aí?
Rita Cadillac: Tomara Deus que elas tenham pelo menos metade da carreira que eu tenho. Se elas conseguirem atingir a marca dos 20 anos de carreira, vou ficar feliz. Eu vou fazer 41. Fui uma Chacrete, não digo que sou cantora porque não sou, não digo que sou atriz porque não sou. Sou uma personagem que busca aqui, busca ali e ainda está por aí, há 41 anos.

iG: Você tem duas netas (Bianca, de 17 anos, e Larissa, de 3). Se alguma neta seguir pelo mesmo caminho que o seu, o que vai achar?
Rita Cadillac: Elas estão livres para isso. A Bianca, quando criança, adorava dançar. Hoje em dia, morre de vergonha, mas ela não tem vergonha de ser a neta da Rita.

iG: E o seu filho (Carlos) sofreu por ser filho da Rita?
Rita Cadillac: Sim. Filho homem sofre, né? A época do colégio era bem o auge da Rita Cadillac. Eu fazia muita foto para revista e os coleguinhas implicavam, me chamavam de gostosa e ele metia porrada. Acabava expulso. Várias vezes ele escondeu que era filho da Rita.

Eu morro de pavor cada vez que eu entro no estúdio”, contou a ex-Chacrete, que vai começar a estudar interpretação para lançar um monólogo em 2014

iG: Você ainda escuta muito que é gostosa?
Rita Cadillac: No dia que eu não escutar eu vou para casa e me tranco, juro por Deus. Se nem o pedreiro falar, volto para casa. Eu me acho gostosa, eu me garanto. Quando eu me arrumo, eu sei que sou. Coloco minha calcinha apertadinha, meu salto alto… Sei que eu sou.

iG: Muita gente ainda pede foto?
Rita Cadillac: Pede, claro. Pede para beijar a bunda. Mas eu só deixo quando estou de Cadillac. No meio da rua não dá, né?

iG: Você acha que hoje as meninas que trabalham como dançarinas e assistentes de palco estão mais vulgares?
Rita Cadillac: Eu acho que virou uma apelação. Claro que a gente, eu, Gretchen , essa fase, nós somos uma apelação, mas era algo mais velado, mais tapado. A primeira foto que eu tirei nua para a “Playboy” só aparecia a lateral do meu seio. Mais nada. Era tudo de calcinha. Hoje, a mulher se deixa. Eu sou mulher e sei que nós deixamos isso acontecer. Ficou, sim, mais vulgar.

Eu já até pedi para voltar (para “A Fazenda”)! Se deixarem, na sétima edição eu volto. Acho legal, mas com aquele clima que estava no início do jogo. Da noite para o dia aquilo virou de cabeça para baixo”

iG: Você está solteira?
Rita Cadillac : Eu estou solteira porque eu não quero casar, bem. Lavar cueca de homem, não quero mais. É muito bom ter um namoradinho, ele lá e eu cá, mas casar, não. A minha vida inteira eu fui sozinha, ralei sozinha, nunca dei satisfação para ninguém. Depois de burra velha eu vou dar? Deus me livre!

Por trás da pose sexy e fatal, Rita se mostrou mulher calada e mãezona protetora em sua passagem por 'A Fazenda'
André Giorgi
Por trás da pose sexy e fatal, Rita se mostrou mulher calada e mãezona protetora em sua passagem por 'A Fazenda'