Tamanho do texto

Atriz reestreia a peça "Razões para ser bonita" e fala sobre a vilã do bem que fará na próxima novela das sete da Globo, "Sangue Bom"

A reestreia da peça “Razões Para Ser Bonita”, na noite desta sexta-feira (19), no teatro Shopping Frei Caneca, em São Paulo, foi particularmente especial para Ingrid Guimarães . "Se meu pai estivesse vivo, hoje ele faria 70 anos e foi uma coincidência reestrear bem nesse dia em que a plateia foi tão calorosa, engoliu a gente. Foi muito emocionante".

Curta a fanpage do iG Gente e acompanhe todas as novidades dos famosos

A atriz que volta aos palcos ao lado do elenco original  Marcelo Faria , Gustavo Machado e Aline Fanju  falou ainda que o pai, morto há 10 anos, foi o maior incentivador de sua carreira mesmo antes do reconhecimento. "Ele não viu o meu sucesso. Ele morreu e eu fiz “Cócegas” - escrito por ela e Heloísa Perissé  -, no ano seguinte. Então eu costumo dizer que ele morreu, foi lá em cima e disse: Deus está na hora né?", contou. "Ele era um cara que sempre acreditou no meu talento. Ele dizia: Não tem como você não dar certo. O meu sucesso é muito parte dessa estima. Ele e minha mãe sempre acreditaram em mim acima de qualquer coisa", completou.

Ditadura da beleza

Interpretando Steph, um belo dia a mulher vê o seu mundo cair ao saber que o namorado com quem se relaciona há quatro anos não a acha bonita. Daí, sua vida muda radicalmente e os quatro anos de uma vida vão por água abaixo por conta de um momento, um assunto completamente relevante nos dias de hoje. "Eu escolhi esse texto porque são sentimentos que eu já tive quando eu era mais nova. E envelhecer tem essa coisa boa, ser mãe... você vai se desprendendo dessas coisas que não são importantes. Perdi muito tempo na minha adolescência focada nisso, achando que isso, justamente por ser atriz era mais importante do que qualquer coisa. E tudo que eu fiz sucesso na minha vida não tem nada a ver com beleza. Quis falar disso para outras meninas que devem sentir o que eu senti. Me sentia super patinho feio. Minha filha tem quase 4 anos e a parte da princesa fui eu que escrevi, porque essa ditadura da beleza já começa nas histórias infantis", disse.

"Me sinto muito melhor aos 40 anos do que aos 20. Fisicamente falando eu me acho muito mais bonita e internamente, porque isso vem de dentro. Eu gosto mais do meu cabelo. Sou apegada a ele. O meu cabelo é parte de mim. Eu gosto do meu corpo não só por eu ser magra mas ele cabe a vários personagens. Já fiz uma menininha de sete anos. Por isso que não coloco peito nem nada. Tenho corpo de atriz".

Mocinha do mal ou vilã do bem? 

Este mês irá estrear a próxima novela das sete, "Sangue Bom". Ingrid Guimarães interpretará Tina, uma mulher como outra qualquer que sonha em se casar de véu e grinalda com um príncipe encantado. No grande dia ela será abandonada no altar! "O que eu acho engraçado é uma tentativa de ser vilã e isso eu nunca vi na televisão. Ela tenta ser vilã mas ela é totalmente do bem. As vinganças dela não dão muito certo. Ela vai ser uma louca passional, não de tomar remédio. Ela vai ser louca por um motivo, por um cara. Já eu não sou muito ciumenta não. Nunca fui".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.