Tamanho do texto

Mãe de Alexander, filho de sete anos do ex-jogador, fala da amizade com o craque e de sua mudança para o Rio

Michele Umezu:
André Giorgi
Michele Umezu: "Se eu tivesse outro filho, ele não ia entender porque o Alex tem tudo. Quem sabe não negocio com o Ronaldo daqui uns cinco anos de fazer mais um?"
Em abril de 2010, a brasileira Michele Umezu largou o noivo e a promessa de uma vida confortável no Japão para se instalar em uma casa de fundos, de um quarto, na Zona Norte de São Paulo. Sem falar português direito e com apenas US$ 250 no bolso, veio enfrentar o que seria o último capítulo de uma longa batalha judicial. Em dezembro daquele ano, depois de adiar muitos encontros, o ex-jogador Ronaldo fez um teste de DNA e assumiu a paternidade de Alexander , fruto de um encontro com Michele há 8 anos, em Tóquio. Foi um final feliz.

MAIS FOTOS: VEJA O ENSAIO COMPLETO DE MICHELE UMEZU

Michele sobre Ronaldo e Alex:
AE
Michele sobre Ronaldo e Alex: "Olho pra eles e fico pensando porque isso demorou tanto para acontecer"
Hoje, ela, o filho e a mãe vivem em um flat de 80m2 alugado pelo craque nos Jardins. No próximo mês, devem se mudar para um espaçoso apartamento em um condomínio na Barra da Tijuca, no Rio. A decisão de começar vida nova em outra cidade foi de Michele, que quer independência e também deixar o filho mais perto da avó, Dona Sônia , mãe de Ronaldo, com quem nutre uma amizade cada vez maior.

Por lá, ela deve seguir a carreira de personal beauty therapist, que aprimorou com muitos cursos em São Paulo. Também quer dar aulas particulares de pole dance na casa das clientes. A técnica ela aprendeu no Japão, onde trabalhou em um exclusivo clube de dança privada, que recebia muitas celebridades e grandes empresários do mundo todo.

A relação com Ronaldo, hoje, está ótima, garante: “Ele me enrolou muito, só eu sei o quanto. Mas agora tenho um carinho muito grande por ele. A gente faz parte um da vida do outro, não tem como apagar. Temos que ser amigos, né? Assim como eu com a Milene (Domingues , mãe de Ronald ) e com a Bia ( Anthony , mulher de Ronaldo e mãe de Maria Sophia e Maria Alice ), porque querendo ou não, a gente vai ser família para o resto da vida”.

Michele sonha, inclusive, até em ter outro filho com o craque um dia. “Quem sabe eu não negocio com o Ronaldo daqui a uns cinco anos de fazer mais um? Acho que ele ia gostar de ter mais filho comigo.” Veja a seguir a entrevista exclusiva que ela concedeu ao iG :

FOTOS NO POLE DANCE: VEJA O ENSAIO SENSUAL DE MICHELE UMEZU

Michele Umezu:
André Giorgi
Michele Umezu: "Eu e o Ronaldo transamos com camisinha! E ele ainda disse que tinha vasectomia... Hoje a gente tira sarro dessa história"

iG: Como você foi parar no Japão?
Michele Umezu: Meu pai é brasileiro e minha mãe japonesa. A gente morava em Dourados, no Mato Grosso do Sul, e resolveu ir pro Japão por problemas financeiros. Fui com 13 anos e lá cuidava de três crianças brasileiras. Depois trabalhei em restaurantes, em fábricas e como modelo. Trabalhava e desfilava. Daí eu consegui uma agência e acabei indo pra Tóquio. Mas lá vi como era a vida de modelo e que isso não era pra mim, era horrível.

Podem falar que sou idiota, que poderia estar ganhando muito mais de pensão. Mas, pra mim, o que estou ganhando é suficiente. O importante é que meu filho está com a cabeça pura, não tem noção de dinheiro e nem de que o pai dele é famoso"

iG: O que te incomodava?
Michele Umezu: No Japão muita modelo passa fome. Ganham pouco, trabalham muito e moram em umas favelas. E também rola uma prostituição escondida e drogas. Em boates eu vi muita menina bem mais nova indo para banheiro com os caras cheirar cocaína.

iG: Te convidaram para fazer programa também?
Michele Umezu: Como modelo, não. Mas quando eu trabalhei em um clube privado de dança de Tóquio, sim. Aí você tem que sair dessa com jeito. Era uma casa de show e não clube de sexo. Ficava em um bairro bacana e conheci muita gente famosa lá: Britney Spears, Hugh Grant, Alanis Morissette ... Todo mundo gostava de assistir o show, era como um circo para eles.

Michele Umezu:
André Giorgi
Michele Umezu: "Não me considero madame. Se precisar limpar banheiro, vou limpar. Sou uma sobrevivente e quero que meu filho seja como eu"
iG: O que você fazia exatamente no show?
Michele Umezu: Eu fazia pole dance e também as danças exclusivas. Ganhava por música, então tinha que ser muito boa. Outra coisa que dava dinheiro pra gente era vender garrafas de champanhe. Quanto mais cara, mais eu ganhava. Eu me lembro que fui a única que vendi a Dom Perignon Gold, que custava uns US$ 8 mil. A Cristal eu também vendia, eram uns US$ 2 mil ou U$ 3 mil a garrafa. Minha mãe não queria que eu trabalhasse no clube, mas foi bom pra mim. Depois que eu tive o Alexander, parei.

iG: Você saiu com algum cliente?
Michele Umezu:
Se eu me interessava, até saía depois do trabalho, mas só me relacionava com quem eu queria. Foi lá que conheci o John ( McAuley , empresário americano e ex-namorado de Michele, que chegou a criar Alexander como filho).

iG: E foi lá que conheceu o Ronaldo também? Vocês se encontraram duas vezes, certo?
Michele Umezu:
Sim, duas vezes, mas não foi lá. Na primeira vez foi em um bar, ele era bem novinho e a gente só deu beijinho. Da segunda vez eu já estava com o John, mas dando um tempo. Encontrei o Ronaldo em uma festa, com vários jogadores. Foi dessa vez que nós transamos. Eu e o Ronaldo transamos com camisinha! E ele ainda disse que tinha vasectomia... Hoje a gente tira sarro dessa história, porque tinha que ser mesmo.

Quem sabe eu não negocio com o Ronaldo daqui a uns cinco anos de fazer mais um filho? Acho que ele ia gostar de ter mais filho comigo, viu?”

iG: Como foi o primeiro encontro do Alex com o Ronaldo?
Michele Umezu:
Eles se conheceram na clínica para fazer o DNA (no dia 6 de dezembro de 2010, em São Paulo). O Ronaldo chegou todo sério com advogado, segurança, estendendo a mão para me cumprimentar. E daí estendeu pro Alex, mas eu falei: ‘Alex, vai lá abraçar seu pai’. Ele saiu correndo e abraçou o Ronaldo, que ficou todo sem jeito.

iG: O que você sentia pelo Ronaldo naquela época?
Michele Umezu:
Eu estava irritada, com raiva, odiando aquele cara. Ele me enrolou muito. Só eu sei o quanto. Não foi só agora que eu apareci, tentei conversar com ele direto, sem advogado. Não pedi dinheiro, só pedi pra ele pensar no que era melhor. Mas ele foi me enrolando, enrolando e eu fiquei sem ter o que fazer. Eu tinha certeza que o Alex era filho dele ou do John, mas o John fez um exame de DNA e deu negativo.

iG: Quando foi isso?
Michele Umezu:
Quando o cabelo do Alex começou a ficar enrolado, com uns oito meses... eu penteava, penteava e ele enrolava de novo (risos). E o John tem cabelo liso. Mas ele continuou criando o Alex como filho. Até hoje diz que tem dois pais. O Ronaldo fica com ciúme, fala pro Alex chamar o John de “tio”.

MAIS FOTOS: MICHELE UMEZU FEZ ENSAIO EXCLUSIVO PARA O IG

Michele Umezu:
André Giorgi
Michele Umezu: "Sinto que hoje o Ronaldo está de bem comigo. A gente se olha e troca uma energia boa"

iG: Você tem alguma mágoa?
Michele Umezu:
Olha, eu até entendo que o Ronaldo achou que eu era mais uma querendo dar golpe. Só que, de verdade, se eu quisesse fazer bagunça, teria aparecido na Copa (de 2006) com um cartaz e feito escândalo. Eu assisti a alguns jogos, ficava olhando ele jogar e pensando ‘se eu entrar agora, na Copa, vão falar: “ele jogou mal porque essa vagabunda apareceu e mexeu com ele”’.

Aprendi pole dancing no Japão. Era uma casa de show e não clube de sexo. Conheci muita gente famosa lá: Britney Spears, Hugh Grant, Alanis Morissette. Todo mundo gostava de assistir o show, era como um circo para eles”

iG: E hoje, o que você sente por ele?
Michele Umezu:
Tenho um carinho muito grande. Sinto que hoje ele está de bem comigo. A gente se olha e troca uma energia boa. A gente faz parte um da vida do outro e não tem como apagar. A gente tem que ser amigos né? Assim como eu com a Milene, eu com a Bia, porque querendo ou não, a gente vai ser família para o resto da vida.

iG: Como foram os primeiros meses no Brasil, enquanto você esperava pelo teste de DNA? ( Quando chegou em São Paulo, em abril de 2010, Michele dividiu uma casa de fundos, de um quarto, com a mãe, a irmã e Alex em Santana, na Zona Norte ).
Michele Umezu: Eu não tinha problema nenhum em ficar naquela situação. Eu sei de onde saí e onde eu cheguei. Sei o que é o bom e o que é ruim, mas não ia suportar criar meu filho pra sempre daquele jeito. Era difícil, cheguei com US$ 250 no bolso. Mas a gente gasta pouco, sabe economizar. Ia no fim da feira para pegar tudo mais barato. E, olha, com R$ 50 enchia o carrinho de verduras, que basicamente é o que a gente comia, arroz e verduras. Nada mais saudável. Na Ásia era assim.

iG: E o Alex, o que ele achava da vida de vocês?
Michele Umezu:
O Alexander cobrava, porque estava acostumado com espação, com luxo, uma vida mais confortável. E ele sofreu também por não falar português. Ficava trancado em casa, porque a gente não podia ficar saindo com ele.

Michele quer ser personal de beleza e de pole dance no Rio
André Giorgi
Michele quer ser personal de beleza e de pole dance no Rio
iG: O Ronaldo alugou este flat para vocês logo após o resultado do DNA?
Michele Umezu:
Não. Eu ainda fiquei dois meses em Santana, mas daí conversei com ele e falei: ‘Olha, desculpa, mas já está na mídia que ele é seu filho e a casa onde a gente mora não é segura’. Aí ele alugou o flat e paga desde então. Foi uma coisa decida pelo juiz.

O Ronaldo me enrolou muito, só eu sei o quanto. Mas agora tenho um carinho grande por ele. A gente se olha e troca uma energia boa"

iG: Qual foi o acordo que vocês fizeram?
Michele Umezu:
Ele paga a escola, o flat, a segurança, o plano de saúde e dá uma pensão, que eu gasto com as compras de supermercado, com vestuário. Pelo acordo ele também tem que pagar psicólogo pro Alex, que ainda não está usando, mas futuramente acredito que ele vai precisar.

iG: Você ficou satisfeita com o que os advogados conseguiram?
Michele Umezu:
Falam que eu sou uma idiota, que poderia estar ganhando muito mais de pensão. Mas, pra mim, o que estou ganhando é suficiente. O importante é que meu filho está com a cabeça pura, não está envenenado. Ele não tem noção de dinheiro e nem de que o pai dele é famoso. Ele vai descobrir no tempo certo.

iG: O Ronaldo alguma vez reclamou de você se expor ou de dar entrevistas?
Michele Umezu:
Não. Mas ele comentou comigo uma vez que não achava legal eu posar nua, que eu não precisava ficar saindo assim, que nenhuma mãe dos filhos dele tirou a roupa.

iG: E você já foi convidada para posar nua?
Michele Umezu:
Já, há um ano e meio. Mas eu estava terminando de resolver tudo com o Ronaldo e achei melhor não posar. Hoje já estou mais à vontade para tirar fotos, para sair em revista.

iG: Que estilo de ensaio você teria vontade de fazer?
Michele Umezu:
Um nu artístico, poderia ser uma coisa meio antiga, estilo europeu. A produção da “Playboy”, por exemplo, transforma qualquer mulher. Mas as pernas abertas, mostrando tudo, eu já acho que não combina. Brinquei com o Alex semana passada sobre isso, e ele disse: ‘Não mamãe, sair pelada não’. Ele tem ciúmes, cuida da mãe dele.

Michele Umezu:
André Giorgi
Michele Umezu: "Até hoje o Alex diz que tem dois pais. O Ronaldo fica com ciúme, fala pra ele chamar o John de 'tio'"

iG: Hoje você se considera uma pessoa feliz?
Michele Umezu:
Estou nesse caminho. No começo fiquei deprimida, me sentia uma turista aqui no Brasil. Quando eu cheguei, era muda, tinha medo de falar português errado, vergonha mesmo. Foram 17 anos fora. Agora me considero 70% feliz. Os 30% só quando eu mudar daqui. Esse flat é um lugar temporário, não é bacana. É pequeno, são dois quartos, e eu tenho muita tranqueira que eu trouxe do Japão, que fica tudo em caixas dentro do banheiro.

Acho muito importante o Alex ter a família perto. E a Dona Sônia quer muito estar com o neto. Ela é uma super vó! Na praia acorda às sete da manhã para brincar. Eu acho muito bonito"

iG: Por que vocês ainda estão morando aqui?
Michele Umezu:
No Tribunal, o Ronaldo falou que ia comprar um apartamento para o Alex. Achei legal, melhor do que ficar pagando aluguel de, sei lá, R$ 4 mil todo mês. Fiquei rodando uns seis meses procurando, mas ele não fechou nada. Então comecei a pensar em sair de São Paulo. Aqui o Alex não tem como passear, os seguranças querem sempre sair de carro. E em qualquer lugar fica todo mundo em cima. A gente quer ir pro Rio, ficar perto da Dona Sônia (mãe de Ronaldo).

iG: Vocês e a Dona Sônia são amigas?
Michele Umezu:
Estamos próximas, sinto que ela gosta de mim. Fui com o Alex para a casa dela em Angra duas vezes já e me senti muito à vontade com os amigos dela, com a irmã do Ronaldo. O clima era legal, sabe? A gente no iate da Dona Sônia, rolando um pagode, tomando caipirinha. E acho muito importante o Alex ter a família perto. E a avó quer muito estar com ele. O pouco que a gente conversa, ela sempre fala: ‘Michele, eu sempre falei pros meus filhos que se quisessem ter filhos, que tragam pra perto, tem que cuidar.’ Ela é uma super vó! Na praia acorda às sete da manhã para brincar com os netos. Eu acho muito bonito.

iG: E você tem alguma relação com a Milene ou com a Bia Antony?
Michele Umezu:
A Bia é quase uma segunda mãe do Alex, porque ele está sempre na casa deles. Ela é tranquila e gosta muito do meu filho e ele dela. A Milene é muito legal também, do bem. Conversei bastante com ela na festa do Ronald. É trabalhadora, cuida da vida dela.

Michele Umezu:
André Giorgi
Michele Umezu: "Este ano não quero nem namorar, quero focar no meu trabalho"
iG: Você acha que no Rio você vai se sentir mais livre?
Michele Umezu:
Eu acho que sim. Eu quero uma bicicleta, poder andar, ir na praia. O pessoal fala que lá é muito perigoso, mas que lugar chique é esse aqui? Tem Oscar Freire, e daí? Aqui é bom para quem tem muito dinheiro ou gosta de ir pro shopping. Eu não gosto. Quando eu morei na Tailândia eu andava de Havaianas, tinha duas calças jeans e era tão bom! Aqui (nos Jardins) se você sai de qualquer jeito, as pessoas te olham feio, e se sai toda arrumada te chamam de perua. Aqui você nunca vai estar bem.

No Rio vou me sentir livre. Aqui (nos Jardins) se você sai de qualquer jeito, as pessoas te olham feio, e se sai toda arrumada te chamam de perua. Você nunca vai estar bem”

iG: Com o que você quer trabalhar lá?
Michele Umezu:
Eu quero ser uma personal de beleza, já fiz muitos cursos e trabalho em um salão aqui nos Jardins, o Maison Depil. Montei cardápios pra cuidar das minhas clientes da cabeça aos pés. Vai ser tipo um “Dia da Noiva”, sete horas de tratamentos, como em um SPA. Vou cuidar do cabelo, da pele, fazer massagem, reflexologia, é um tratamento completo. E também ser personal de pole dance, dar aula na casa das clientes.

iG: Hoje você consegue ganhar dinheiro suficiente para fazer suas coisas?
Michele Umezu:
Olha, para os meus gastos, dá. Eu já gastei muito quando era mais nova, mas agora as coisas que eu compro são todas baratas. Na festa do Alex eu usei um vestido de R$ 30 (risos).

iG: Você ainda sonha em se casar?
Michele Umezu:
Não sei, quem sabe? Mas neste ano não quero nem namorar, quero focar no meu trabalho.

iG: Tem vontade de ter mais filhos?
Michele Umezu:
Vontade eu tenho, sim. Mas penso que se eu tiver um filho com outra pessoa, a diferença vai ser grande e a cobrança vai me matar. Porque as crianças são inocentes e o outro filho não vai entender porque o Alex tem tudo, pode viajar, pode fazer as coisas e ele não. Quem sabe eu não negocio com o Ronaldo daqui a uns cinco anos de fazer mais um? Vamos ver como as coisas vão estar... (risos). Se algum dia ele estiver solteiro de novo. Acho que ele ia gostar de ter mais um filho comigo, viu?

iG: Por que você acha isso?
Michele Umezu:
O Ronaldo gosta muito do Alexander, às vezes até fala que se parece muito com ele. E acho que não mudaria nada pra ele. A pensão ia ser a mesma, só ia ter que pagar duas escolas.

Não me considero madame. Se precisar limpar banheiro, eu vou limpar. Sou uma sobrevivente e quero que meu filho seja como eu"

iG: O que o Ronaldo fala sobre a educação que você deu ao Alex?
Michele Umezu:
Fala que eu criei o Alexander muito bem. Que ele é muito esperto, sem frescura, come de tudo, que é engraçado.

iG: E como você se sente ao ouvir isso dele?
Michele Umezu:
No começo eu achei que era tudo mídia. Que ele falava do Alex no Twitter para aparecer, mas hoje sei que ele gosta mesmo muito dele. Às vezes fico olhando e pensando: ‘Por que demorou tanto pra isso acontecer?’.

iG: O que você acha que o Ronaldo sente por você hoje?
Michele Umezu:
Hoje eu posso dizer que ele tem confiança em mim. Se achava que eu ia dar uma de espertinha, dar um golpe, sabe que eu não fiz. A família dele também me conhece muito bem, até mais que ele, e gosta de mim. Eu não me considero madame. Se eu precisar limpar banheiro, eu vou limpar. Não tenho frescura nenhuma, sou uma sobrevivente e quero que meu filho seja como eu.

FOTOS NO POLE DANCE: MICHELE UMEZU MOSTRA SUAS HABILIDADES PARA O IG

AGRADECIMENTOS:

The Society
www.thesociety.com.br

Studio W
Hair Stylist: Jack Joyce
Beleza: Jussara Oliveira

Moda : Jogê e Mulher Elástica