Acordar bem cedo e dormir tarde são alguns dos desafios das candidatas que desejam o posto de mulher mais bonita do país

Daliane Menezes, Miss Rio Grande do Norte, passa pela sala de maquiagem após o café-da-manhã
Beto Lima
Daliane Menezes, Miss Rio Grande do Norte, passa pela sala de maquiagem após o café-da-manhã
Beleza, sorrisos sem fim, posturas física e comportamental exemplares, maquiagem perfeita, cabelo alinhado, simpatia 24 horas por dia. Esses são alguns dos atributos das 27 garotas que vão disputar no próximo sábado (23) o título de Miss Brasil 2011. Desde o último dia 9, as representantes de cada Estado começaram e desembarcar em São Paulo e se reunir no Hotel Maksoud Plaza, onde encaram uma maratona de preparação, que dura duas semanas. Bom para quem já estava pertinho da cidade, como é o caso de Rafaela Butareli , a Miss São Paulo. “Quando elas chegaram, fiz questão de recepcionar todas e fazer o papel de anfitriã”, afirmou ela, que costuma dar dicas para onde ir, o que fazer e o que vestir para que as colegas se adaptem ao clima da capital paulista. Uma dos conselhos que costuma passar é: “Gente, leva o casaco que a noite é frio”.

Desde que chegaram à capital paulista, as misses já foram ao teatro, ensaiaram durante horas as coreografias que serão apresentadas no dia do concurso, visitaram o Museu de Arte Moderna e a Pinacoteca, relaxaram em um Spa e até curtiram a noite em uma danceteria. Não que isso seja 100% prazeroso para elas, já que no dia seguinte precisam acordam por volta das 5h e, como nos dias anteriores e nos seguintes, se apresentar impecáveis para o próximo compromisso. “Nosso foco está no programa, mas foi bem bacana porque a gente descontraiu um pouco”, afirmou Jaqueline Verrel , Miss Tocantins, após a noitada na danceteria.

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

Na agenda das misses para os próximos dias ainda há espaço para um café com Gilberto Kassab , prefeito de São Paulo, uma visita à tradicional Feira do Masp, além de claro, mais muitas horas de ensaio.

Nesta sexta-feira (15), o iG Gente acompanhou os passos das candidatas ao posto de mulher mais bonita do Brasil para saber como é ter um dia de Miss.

Michelly Bohnen, Miss Santa Catarina conversa com as amigas enquanto aguarda para provar seu vestido de gala
Beto Lima
Michelly Bohnen, Miss Santa Catarina conversa com as amigas enquanto aguarda para provar seu vestido de gala

Sozinhas, jamais

Nos quartos, elas são separadas por duplas. Depois que saem do cômodo, se encaixam em um dos três grupos de nove garotas. Divididas pelas equipes Azul, Verde e Vermelha, elas se revezam entre o café-da-manhã e a sala de maquiagem. De lá, seguem para seus compromissos. Sempre sob o olhar de seguranças, produtores do concurso e uma equipe da Band, emissora oficial do Miss Brasil. À sua disposição, uma enfermeira, três cabeleireiros e três maquiadores. Essa equipe chega a quase triplicar para o dia da grande final. Tudo para fazer com que as misses apareçam ainda mais bonitas no palco do HSBC Brasil, onde vai acontecer o evento.

Misses cochilam enquanto aguardam a vez para provar vestido de gala
Beto Lima
Misses cochilam enquanto aguardam a vez para provar vestido de gala
A maquiagem para a noite especial já está definida: mais carregada que a usada no dia-a-dia e olhos bem marcados. Pedido comum das meninas, mesmo quando elas vão simplesmente a um passeio diurno. Já os vestidos de gala são mantidos em segredo. Ao menos os modelos. A cartela de cores ficará entre pink, rosa, magenta e nude, com rendas e transparências. Todos foram desenhados por Arthur Caliman , estilista que recebeu a visita das 27 Misses na manhã desta sexta-feira para mais uma prova de roupas.

No trajeto hotel-loja, muitos olhares e acenos, principalmente masculinos, para as garotas que estão dentro do carro. Quando as três vans chegam à loja de Caliman, o relógio marca oito da manhã. Minutos depois, o estilista já está ajeitando os vestidos para o melhor caimento no corpo das meninas, dá dicas de como se posicionar na passarela com o traje e relembra: “Você está indo para um concurso de beleza, não para uma festa”.

Rotina

Dormir tarde e acordar cedo tem deixado as garotas cansadas, mas todas mantêm o discurso semelhante ao de Raiza Vidal , Miss Mato Grosso do Sul: “As horas de sono são escassas, ainda mais agora com o treinamento. Não é fácil, mas faz parte. Estou gostando. É uma experiência incrível. As meninas são queridas e nos damos muito bem”. Daliane Menezes , Miss Rio Grande do Norte apoia: “Essa rotina faz parte. É difícil, mas se é algo que a gente quer, vamos levando”.

O foco na vitória também acompanha a explanação das garotas. “Se você tem um objetivo, tem que buscar alcançá-los independente dos obstáculos”, ensina A na Paula Padilha , mais conhecida entre o grupo como “Pará”. As garotas se chamam apenas pelos Estados que representam. “Sei o nome de algumas, mas a gente só se chama pelo Estado ou inventa apelidos”, explica Ana Paula, aos risos.

A amizade tem sido uma das melhores partes para as meninas, que já lamentam a proximidade do dia em que precisarão se despedir. “Nas férias, já estamos combinando de uma visitar o Estado da outra”, afirma Nayanne Ferres , Miss Maranhão, que costumava cochilar nos primeiros dias por conta do forte sono.

Ana Paula Padilha, Miss Pará, retoca o make sob o olhar de Alessandra Baldini, do Distrito Federal
Beto Lima
Ana Paula Padilha, Miss Pará, retoca o make sob o olhar de Alessandra Baldini, do Distrito Federal

Apesar da aproximação com as colegas, as candidatas confessam que a parceria vai somente até o momento de subirem ao palco. “É lá que vamos competir, vamos dar o melhor. A gente sabe que está em uma competição”, afirma Renata Lustosa , do Piauí. A Miss é uma das únicas loiras do time. Como ela, só Michelly Bohnen , de Santa Catarina, deixou os fios mais claros. Renata tenta encontrar uma explicação para tantas morenas na competição. “Nos últimos concursos de beleza, só morenas estão sendo eleitas. Eu acredito que elas acham que quanto mais natural melhor. Mas eu não quis mudar. Ganhei o estadual assim e sei que estarei diferente. Já tivemos misses lindas e loiras, e que fizeram muito sucesso”, defende a Miss Piauí.

Gabriella Rocha, Miss Bahia ensaia passo para coreografia do concurso
Beto Lima
Gabriella Rocha, Miss Bahia ensaia passo para coreografia do concurso
Chá-chá-chá

Após a prova de roupas, as Misses têm uma pausa para o almoço. Um cuidado que elas afirmam ter para o concurso é a alimentação. “Gosto de chocolate e não evito. O importante é o equilíbrio. Mas como bastante verdura e frutas. Gosto mesmo, desde criança. Gosto de peixe também e não como muita carne”, afirma Anastácia Duarte , Miss Ceará, que reforça os bons hábitos alimentares com muito esporte. “Fiz natação, vôlei, basquete e também comecei a praticar kindsurf e pilates. E amo correr”, enumerou.

Quem também fica de olho no prato é Jéssica Duarte , de Mato Grosso. “Como muita salada com carne, proteína; evito massa e, de vez em quando, como um doce. Meu segredo é beber muita água”, ensina.

Depois da refeição, todas seguem para um encontro com o coreógrafo americano Scoth Grossman . O relógio marca 14h30 quando ele anuncia: “Vamos lá, vamos dançar”. O pedido é feito em inglês, assim como toda a aula. Para as misses que não entendem o idioma, uma coreógrafa brasileira segue os passos e traduz os ensinamentos de Scoth.

null

Enquanto ensaiam, algumas Misses se destacam com a boa coordenação e ginga. O olhar, como ensina o coreógrafo, também é um diferencial. Após duas horas, Groosman sede um breve intervalo para as meninas. O tempo é para beber uma água ou ir ao banheiro, apenas. “É tudo cronometrado”, explicou horas antes Alessandra Baldini , do Distrito Federal. Para as pausas mais longas, ela tem algumas opções do que fazer. “Quando estamos na van, a gente tenta dormir. Já durante os intervalos, é mais conversar, pegar uma revista, descansar. Mas é difícil um momento de folga. Livro eu nem trago, porque é só mais um peso para carregar. Adoro fazer Sudoku, mas se fizer isso aqui, vou me isolar das outras garotas”.

Em uma das pausas matinais, Alessandra preferiu se atualizar das novidades lendo uma revista. Já, outras, optaram por um cochilo rápido, algumas por retocar a maquiagem e as restantes por conversar ou reforçar o café da manhã com frutas e sanduíches.

Arthur Caliman dá dicas para Jéssica Duarte, Miss Mato Grosso
Beto Lima
Arthur Caliman dá dicas para Jéssica Duarte, Miss Mato Grosso

Hora de relaxar? Ainda não!

Com o fim do ensaio, as garotas seguem para o jantar por volta das 19h. Depois da refeição, uma passada no quarto. Na programação noturna consta ainda a ida ao musical “Emoções que o tempo não apaga”, em cartaz no próprio hotel onde as meninas estão hospedadas.

A rotina pesada, que parece não ter fim, é uma possível peneira na opinião de Izabela Drumond , Miss Minas Gerais. “Isso também é algo que nos seleciona. Miss não pode ser só bonita. Bonita, temos 27. Mas o bom humor, acordar bem, não reclamar nunca, fazer tudo perfeito, são fatores que também contam”, afirma Izabela, que está um pouco rouca por causa do cansaço.

Ela, que deseja segurar a faixa em seu Estado e manter o título que a mineira Débora Lyra conquistou em 2010, afirma que sente uma pressão maior por representar Minas Gerais. “Não por causa da Débora, mas porque Minas tem muito peso no Miss. Mas isso é positivo, porque os jurados já olham como um Estado forte, com mulheres bonitas”, explicou ela que, ao lado de suas 26 concorrentes, finalizou o dia com mais um momento cultural.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.