A socialite que integra o time do novo reality "Mulheres Ricas", da Band, diz que sempre trabalhou e que nunca pagou para aparecer

Val Marchiori:
André Giorgi
Val Marchiori: "Estou acostumada com a inveja"
“Hellooooo”. É de perder a conta o número de vezes que Val Marchiori falou o termo em inglês na quinta-feira em que o iG Gente acompanhou seu dia de gravação de “Mulheres Ricas”, reality show que estreia em 15 de janeiro na Band. A cada frase de efeito de sua autoria, como “sou linda, loira e magra”, surgia um “hello” entoado de forma diferente.

Às 10 horas da manhã a socialite de 37 anos surge na sala de seu apartamento de 920 metros quadrados em São Paulo prontíssima: vestido da grife Hervé Leger, cabelo à Paris Hilton , make up e salto alto. A seu lado, o maquiador “faz tudo” Duda Martins , profissional que está à disposição dela 24 horas por dia. Além dele, Val conta com 21 funcionários nas três residências que possui, em São Paulo, em Londrina e em Angra dos Reis.

Eu já era alta magra, bonita, metidinha, sempre estava arrumadinha. Então tinha a inveja das pessoas. Mas ‘hello’, melhor assim do que ser feia, né?"

O dia com Val foi longo e ela o enfrentou com algumas taças de champanhe, sua marca registrada. Ela começou gravando em casa o recebimento de uma obra de arte das mãos do artista Canato - que a retratou ao lado dos filhos, Eike e Victor , e pela qual pagou R$ 15 mil - e seguiu com uma visita de helicóptero à escola de samba Unidos de Vila Maria, agremiação na qual Val foi nomeada Embaixatriz do Carnaval de 2012.

Ao desembarcar da aeronave, as crianças da comunidade começaram a gritar: “Olha a Xuxa !”. Val não se importou com a troca de nomes e posou com a garotada. “Ela adora um flash”, diz a assessora da socialite, Zaine Assaf , que já trabalhou com outras personalidades, como Adriane Galisteu , e negocia os contratos de Val, entre eles as fotos de um ensaio nu para a revista “Playboy”. “Queremos R$ 4 milhões”, revelou Zaine. O cenário do ensaio? "Dubai e muito ouro." Nada mais apropriado para a paranaense que ficou famosa ostentando sua riqueza na TV.

ASSISTA: Prévia do reality show "Mulheres Ricas"

“Nunca tirei fotos em cima da mesa. Hellooo”, se divertia Val Marchiori na sala de seu apartamento de 900 metros quadrados
André Giorgi
“Nunca tirei fotos em cima da mesa. Hellooo”, se divertia Val Marchiori na sala de seu apartamento de 900 metros quadrados
A intimidade com as lentes é visível. Sorridente, ela não cansa nunca e, segundo as produtoras do programa, foi a mais divertida e fácil de trabalhar em “Mulheres Ricas” – as outras milionárias do reality são a socialite carioca Narciza Tamborindeguy , a piloto de Fórmula Truck Débora Rodrigues , a joalheira Lydia Sayeg e a arquiteta Brunete Fraccaroli . Val logo ficou melhor amiga do fotógrafo do iG e já estava em cima de sua mesa de jantar fazendo caras e bocas para a câmera. “Nunca tirei fotos em cima da mesa. Hellooo”, se divertia.

Nasci pobre, mas não dei golpe em ninguém, já era rica quando conheci o Evaldo (Ulinski, empresário, pai dos filhos dela). Fui atrás.

Sempre almejei ser independente, sempre ganhei meu dinheiro, tive transportadora, concessionária, vendia Avon.

A maior pobreza que existe é pobreza de espírito, eu digo sempre. Você tem que acreditar em você"

O que o público verá a partir do ano que vem na Band é exatamente como Val é: autêntica. Ela não tem vergonha de ser rica e de aparecer, confessa que gasta até 6 mil euros em um único jantar na Itália e não esconde um de seus mimos mais caros adquiridos dos últimos tempos: um Bentley de R$ 4 milhões (o mesmo carro da socialite mais famosa do mundo, Paris Hilton). Confira o bate papo...

iG: Como foi participar do reality show “Mulheres Ricas”?
Val Marchiori: Uma experiência nova, mas muito prazerosa porque não foge nada do que eu sou, as coisas que eu mais gosto de fazer. Ficar com meus amigos na minha casa em Angra, andar de helicóptero, andar de avião, participar de evento, mostrar as coisas boas da vida. Sou uma mulher que ama a vida intensamente e mostro como a vida é bela.

Eu sempre procurei estar à frente do meu tempo, não queria ser nada do que minha mãe foi, do que minhas primas são. Queria ser diferente, queria andar de avião"

iG: Nesses quatro meses de gravações, tem algum momento especial que mais te marcou?
Val Marchiori: O programa de Angra dos Reis com a Brunette. Foi muito bom, muito engraçado porque entramos no avião tomando champanhe, depois pegamos nosso barco e fomos almoçar em um restaurante numa ilha. Eu apresentei para ela o pai do dono do restaurante e ela começou a xavecar o filho dele. A gente ficou dançando até altas horas. E gostei de Buenos Aires, nossa viagem para lá para fazer compras. A Narciza é louca.

iG: Então você ficou amiga das outras participantes?
Val Marchiori: Eu me dei bem com todas, eu sou uma pessoa fácil de lidar. Respeito todo mundo, não sou uma pessoa chata. Fiquei muito mais próxima da Débora e da Lydia, de convidar para a festa em casa, para almoçar, do que com a Narciza e a Brunete. A Brunette é uma mulher muito difícil de lidar, ela é querida e tudo, mas ela é muito depressiva, muito cheia de problemas, não gosto de gente assim. Não quero energia ruim perto de mim, não. Mas nunca deixei de gravar nada com ela. A Narciza é sempre uma incógnita, né? Tem dia que ela está bem, tem dia que ela não está... Então não posso falar que sou amiga dela. 

No closet recheado de Chanel, Cavalli e Louboutin
André Giorgi
No closet recheado de Chanel, Cavalli e Louboutin

iG: Acha que teve alguma inveja? De quem tem mais grana, quem é mais bonita...?
Val Marchiori: Sempre rola inveja. Mulher então, né? Mas eu estou acostumada com a inveja.

Brunete (Fraccaroli) é uma mulher muito difícil, depressiva e a Narciza (Tamborindeguy) é sempre uma incógnita"

iG: Por quê?
Val Marchiori:
Sempre fui muito extrovertida, sempre muito à frente das outras crianças da escola. Eu procurava estar mais próxima dos professores porque eu queria muito aprender. Não queria continuar no sítio, casar logo cedo como as minhas amigas. Queria estudar, crescer, viajar o mundo, andar de avião. Sempre estava procurando maneiras que eu pudesse aprender. Sempre tive amigos e namorados  mais velhos, não queria ter que ensinar. Eu já era alta magra, bonita, metidinha, sempre estava arrumadinha. Sempre gostei de me arrumar. Então tinha a inveja das pessoas. Mas ‘hello’, melhor assim do que ser feia, né?

iG: Esse sonho em ser famosa vem desde a infância?
Val Marchiori:
Meu sonho nunca foi ser famosa. Sempre quis ter tudo o que eu não tive. Não queria ficar onde eu nasci, queria mais. Sou de um distrito que se chama São Pedro, no Paraná, muito pequenininho. Sempre almejei ser independente, sempre ganhei meu dinheiro, tive transportadora, concessionária, vendia Avon. Nunca quis ser famosa, ser atriz, nunca. Sempre quis ter tudo o que eu gosto. Queria comprar um sapato quando era criança e não tinha dinheiro. Então, pensava em arrumar maneiras para comprar aquele sapato. Não ficava chorando ou pedindo para o meu pai, eu vendia Avon para comprar. Não almejei ficar famosa, foi natural. Porque eu já tinha a minha empresa, já tinha meu dinheiro, e veio o Amaury Jr. e falou: ‘Você é o personagem que eu quero para o meu programa’. Aí tudo começou. 

Val toma champanhe enquanto segue de helicóptero para a escola de samba
André Giorgi
Val toma champanhe enquanto segue de helicóptero para a escola de samba
iG: Dizem que você paga para aparecer... É verdade?
Val Marchiori
: Nunca paguei para aparecer, nenhum centavo. Aliás, todo mês eu tenho um cheque, te mostro as cópias dos cheques que o Amaury me paga. Não sou burra, sempre fui empresária. Ninguém admite que as pessoas correm atrás do que querem e conseguem. Preferem criticar e arrumar defeito do que elogiar. As pessoas vêem uma pessoa rica e logo falam: está lá porque deu golpe, está lá porque não presta. Eu sempre procurei estar à frente do meu tempo, não queria ser nada do que minha mãe foi, do que minhas primas são. Queria ser diferente, queria andar de avião, eu via um vestido bonito na televisão e ia na costureira do sítio e falava que queria igual.

Não gosto da Ana Hickmann, e da Eliana, pelo amor de Deus, não tem graça nenhuma. Quero um programa com pessoas bonitas, bem vestidas, alegria, com plateia. Mas sem baixaria, sabe?


iG: Dá trabalho ser famosa?
Val Marchiori:
Tudo dá trabalho! Não tinha noção de quanto dava trabalho. A mídia não respeita, deturpa tudo. A gente tem que tomar cuidado com tudo, até com brincadeira. Eu gosto de ser eu, não quero ficar assim: “Não posso ir em mais de duas festas na semana senão viro arroz de festa”.

iG: Mas o que é o melhor de ficar famosa?
Val Marchiori:
É não ter que ficar falando seu nome, né? Tem uma história muito engraçada. Fiquei lisonjeada, porque eu nunca estudei, meu pai era pobre, o pouco que eu estudei foi um curso de contabilidade. Aí eu estava no aeroporto indo para Paris de primeira classe e a menina da companhia aérea falou: “Tem uma sala especial para você esperar o avião. O Tony Ramos esperou o avião ontem lá. Tem o melhor champanhe”. Hello! Alguém me comparando com o Tony Ramos? Eu daria um tapete vermelho para ele passar. É gostoso ser conhecida, as pessoas conhecerem sua história. Eu acho bonito isso, as pessoas quererem tirar foto com você.

Val Marchiori:
André Giorgi
Val Marchiori: "a mais fácil de trabalhar" na produção do reality "Mulheres Ricas", segundo as produtoras

As pessoas vivem uma hipocrisia tão grande. ‘Ai, eu tenho dinheiro mas não posso aparecer. Não posso beber champanhe nesse horário porque é feio’. Feio é roubar e não poder carregar, dar o golpe nos outros, ser cheio de preconceitos.


iG: Acha que as pessoas têm vergonha de assumir que querem ser ricas?
Val Marchiori:
Hoje as pessoas vivem uma hipocrisia tão grande. ‘Ai, eu tenho dinheiro mas não posso aparecer. Não posso beber champanhe nesse horário porque é feio’. Feio é roubar e não poder carregar, dar o golpe nos outros, ser cheio de preconceitos.

iG: Como ficou rica?
Val Marchiori:
Nasci pobre, de família humilde, sem estudo, do interior, mas não dei golpe em ninguém, já era rica quando conheci o Evaldo (Ulinski , empresário, pai dos filhos dela), nunca precisei dele. Fui atrás. Tem pessoas que escutam um não e choram, ficam deprimidas. A maior pobreza que existe é pobreza de espírito, eu digo sempre. Você tem que acreditar em você.

Depois de ser confundida com a Xuxa, a socialite posa com as crianças da Vila Maria
André Giorgi
Depois de ser confundida com a Xuxa, a socialite posa com as crianças da Vila Maria

iG: Como é o dia-a-dia que você vai mostrar no reality?
Val Marchiori:
Acordo, tomo café com meus filhos, coloco eles no carro para ir para a escola. Vou malhar na academia para poder tomar champanhe todo dia. Depois vou para o escritório, tenho uns negócios com os meus irmãos, trabalho um pouquinho. Vou almoçar com as minhas amigas, à tarde começa aquela loucura das gravações e sempre estou com meus filhos às 5h da tarde, faço questão de estar com eles quando voltam da escola.

iG: Acha que já jogou dinheiro fora alguma vez?
Val Marchiori:
Nunca joguei dinheiro fora. Mas é claro que quando eu vejo uma ‘Chanelzinha’, não aguento!

Nunca joguei dinheiro fora. Mas é claro que quando eu vejo uma ‘Chanelzinha’, não aguento! Adoro, sou louca por Chanel. Nem sei quantas (bolsas) tenho, perdi a conta, são muitas"

iG: É verdade que você é uma das maiores consumidoras da Chanel do Brasil?
Val Marchiori
: Adoro Chanel! Eu compro aqui, mas compro muito fora também. Adoro, sou louca por Chanel. Nem sei quantas (bolsas) tenho, perdi a conta. Mas são muitas. Chanel tem as roupas mais caras do mundo, acho porque é atemporal. Comprei um blazer por US$ 7 mil ( cerca de R$ 12 mil). Caríssimo. Mas é assim, se eu tiver uma filha, vou passar tudo para ela. 

Val Marchiori
André Giorgi
Val Marchiori": "Até brincaram que eu sou a nova Hebe, mas imagina, nunca ninguém vai ser a Hebe"

iG: Você quer ter mais filhos?
Val Marchiori:
Sempre brinco que eu adoraria ter uma menina . Mas o Evaldo fala: “O mundo não aguentaria duas Val”. Daria muito trabalho’. Eu sou pirracentinha (risos). Mas é para o futuro, não é para agora. É meu sonho.

Val foi nomeada embaixadora da escola de samba Unidos de Vila Maria
André Giorgi
Val foi nomeada embaixadora da escola de samba Unidos de Vila Maria

Fui gravar uma matéria para o Amaury Jr. na loja da Bentley, gostei do carro e comprei (por R$ 4 milhões). É o carro da Paris Hilton. Só que eu pedi um vermelho, o dela é rosa.

iG: Voltando às compras. No que mais já gastou dinheiro?
Val Marchiori:
Sei lá são tantas coisas... Mas acho que meu Bentley novo, R$ 4 milhões. Fui gravar uma matéria para o Amaury Jr. na loja, gostei do carro e comprei. Fiquei apaixonada pelo carro e encomendei. É o carro da Paris Hilton. Só que eu pedi um vermelho, o dela é rosa.

iG: Quantos carros você tem?
Val Marchiori:
É que eu tenho muitas casas, né? Tenho em Londrina, aqui, em Angra. Tenho uns sete carros.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=gente%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1597348804368 &_c_=MiGComponente_C iG: Você queria ser a Paris Hilton?
Val Marchiori:
Não, claro que não. Mas ia ser mais legal se eu tivesse nascido rica, herdeira (risos). Eu não me inspiro nela. Acho ela uma mulher bonita, loira. Uma personagem bonita.

iG: Você anda com seguranças? Sente medo de circular em São Paulo?
Val Marchiori:
Ando com segurança, mas não me sinto presa. Não sou encanada com essas coisas, não. Sou de Deus. Mas eu falo, se você ficar encanada você não vive a vida. Eu venho aqui, vou para lá. Eu vivo. Se tenho preocupação com os meus filhos? Tenho! Mas eu não sou encanada.

iG: Você recebeu um quadro que retrata você ao lado dos filhos. Você tem muitas obras de arte em casa?
Val Marchiori:
Tenho algumas peças, mas não sou de ter porque é caro. Se eu gosto, eu gosto. Pode ser um quadro R$ 1 mil ou de R$ 100 mil.

iG: Mesmo no ar com “Mulheres Ricas”, na Band, você voltará para o Amaury Jr., na Rede TV! ?
Val Marchiori:
Vou fazer uma reunião com ele em breve.Tenho esse projeto de voltar para a Amaury, mas tenho projeto de ficar na Band mesmo. A gente ainda está estudando.

Estava no aeroporto indo para Paris e a menina da companhia aérea falou: 'Tem uma sala especial para você esperar o avião. O Tony Ramos esperou ontem lá. Tem o melhor champanhe'. Hello?! Alguém me comparando com o Tony Ramos? Eu daria um tapete vermelho para ele passar"


iG: Está sendo procurada por outras emissoras?
Val Marchiori:
Estou! Que bom, né?

iG: E como seria um programa de televisão só seu?
Val Marchiori:
Queria um programa com o público, tipo uma Hebe Camargo moderna. Amo a Hebe de paixão. Até brincaram que eu sou a nova Hebe, mas imagina, nunca ninguém vai ser a Hebe. Mas queria um programa com música, alegria, viagens com gente bem vestida. Hoje não tem nada na televisão para assistir.

iG: Tipo um programa da Ana Hickmann ou Eliana ?
Val Marchiori:
Não! Não gosto da Ana Hickmann, e da Eliana, pelo amor de Deus, não tem graça nenhuma. Quero um programa com pessoas bonitas, bem vestidas, alegria, com plateia. Mas sem baixaria, sabe? Uma vez por semana, porque não quero todos os dias. Programa de uma hora com esse perfil. O telespectador não tem opção. As pessoas não renovam, sabe? No Faustão é todo dia igual. Ninguém muda nada, muito chato! 

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&BANCO=externo&_PAGENAME_=gente%2FMiGGaleria_C%2FMiG_GaleriaDeNoticia&_cid_=1597348703775&_c_=MiGGaleria_C

Assista ao vídeo dos bastidores da reportagem!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.