Prestes a deixar o programa de Fausto Silva, a apresentadora comercial fala de metas profissionais, do novo namorado e do Carnaval

Talitha Morete
Vivian Fernandez
Talitha Morete
Talitha Morete , de 26 anos, é a apresentadora comercial do "Domingão do Faustão" até 30 de janeiro. Depois desse dia, com o fim do contrato de um ano com a Rede Globo, ela se afasta da atração dominical comandada por Fausto Silva . "Eu tinha medo de ficar rotulada como a 'Garota do Faustão', então foi um tempo bom. Aprendi muita coisa com o Fausto, e dos amigos é que mais vou sentir falta", diz ela em entrevista ao iG Gente.

Jornalista formada, Talitha nunca se viu trabalhando fora da televisão. "Eu não seria feliz numa redação", revelou ela, que nasceu em Campinas, interior de SP, estudou na Austrália e em São Paulo, mas recém-formada fez as malas e mudou-se para o Rio de Janeiro, onde sabia que teria mais oportunidades. "Eu não tinha nada a perder. O máximo que poderia acontecer era não dar certo e eu voltar para casa. Mas, no apartamento de uma amiga, onde eu estava há três semanas, soube de um teste para a TV Jam. Passei e pediram para eu começar no dia seguinte. Lá apresentei vários programas e aprendi na marra, pois saía para gravar sem diretor, só com o cameraman e o assistente de áudio", conta Talitha sobre o início de sua carreira como apresentadora e repórter de TV. No currículo, ela ainda carrega a atração musical "Tudo ao Mesmo Tempo Hoje", que comandava na companhia de Dani Monteiro , e o "Verão Multishow", ambos veiculados pelo canal fechado Multishow.

Talitha Morete:
Vivian Fernandez
Talitha Morete: "Não é fácil fazer ao vivo, ainda mais com o Fausto, que gosta de interromper (risos)"

iG: Como você foi parar no "Domingão do Faustão"?

Talitha Morete: Eu queria novos desafios. Fiz um portfolio e mandei para vários lugares. Paulo Paredes , produtor de elenco da Globo, me chamou para fazer um teste. Na hora eu pensei: “Vou fazer, porque é na Globo, uma oportunidade difícil de se conseguir", mas nunca pensei em passar (risos). Passei, conversei com o Fausto - ele quer sempre estar a par de tudo! - e fiquei lá um ano. Foi uma experiência maravilhosa pelo fato de ser ao vivo. Não é fácil fazer ao vivo, ainda mais com o Fausto, que gosta de interromper (risos). Ele não me atrapalha, ele me deixa segura e faz aquilo para me testar, para ver se eu estou preparada. Graças a Deus, sempre deu tudo certo. Às vezes eu me beliscava para saber se era mesmo o Fausto ali perto de mim (risos).

iG: Existiu uma cobrança por substituir a Adriana Colin, que exercia o cargo de apresentadora comercial do programa há oito anos?

Talitha Morete: É uma cobrança grande não só por substituir a Adriana, mas porque você dá a cara para bater diante de milhões de pessoas, às vezes com até cinco merchans por programa. Ela estava lá há oito anos, tinha criado sua imagem, tinha o público dela, mas isso foi o que me deu força na hora de entrar. O Fausto também me deixava confiante: "Você está aqui porque sabe fazer. Muitas meninas fizeram o teste. Não foi fácil encontrar alguém para substituir a Adriana", dizia ele.

Talitha Morete:
Vivian Fernandez
Talitha Morete: "Tenho 26 anos, estou começando, quero um dia apresentar um programa e tinha medo de ficar estigmatizada"
iG: Como você lida com o rótulo de "Garota do Faustão"?
Talitha Morete:
No começo eu achei engraçado. Logo que entrei no programa, as pessoas não me reconheciam muito, até porque estavam acostumados com a Adriana, e, diferente de muita gente, eu não ando toda arrumadona, sou mais menina. Mas, no terceiro mês começaram a me chamar de "A Menina do Faustão", "A Mulher do Faustão" e "A Garota do Faustão". Até em Las Vegas, onde passei uma temporada, fui reconhecida. O "Domingão do Faustão" atinge as classes de A a Z, é impressionante. Mas chegou um momento em que decidi: não queria ficar rotulada e ser "Garota do Faustão" para sempre. Foi gostoso e o reconhecimento das pessoas é o maior carinho que eu podia receber.

iG: Quem tomou a decisão de que você deixaria o programa?

Talitha Morete: Eu e o Fausto, juntos. Eu conversava direto com ele. A gente tinha reunião durante a semana, com toda a equipe. Participei de reuniões de criação também. E reunião antes de ir ao ar. Sempre tive essa porta para conversar com ele. Apresentar merchan não era uma coisa que eu queria fazer para o resto da minha vida. Tenho 26 anos, estou começando, quero um dia apresentar um programa e tinha medo de ficar estigmatizada. Estava feliz, mas um ano foi um tempo bom, foi uma vitrine boa, aprendi bastante com ele, mas pensei: agora é hora de correr atrás de outras coisas. O Fausto, na hora, concordou comigo. Ele é muito generoso, não pensa só nele e disse pra eu ir com tudo, seguir meu caminho, que eu tinha feito tudo certo. Saí muito feliz com a equipe toda, não tive problema com ninguém lá dentro. Dos amigos é que mais vou sentir falta. A propósito, estamos de férias há um mês e já estou com saudades [os programas exibidos em janeiro deste ano foram gravados em dezembro de 2010 e toda a equipe, inclusive Fausto Silva, tirou férias] .

iG: O Faustão tem fama de destratar funcionários, de ser grosso.

Talitha Morete: Não existe isso. O Fausto tem aquele jeito dele brincalhão, mas ele fala ao vivo, para todo mundo ver. Quando manda um "Imbecil, solta o vídeo", é o jeito dele. Quem o conhece, sabe que ele trata todos os funcionários muito bem, com respeito, enquanto quem vê de fora pensa que ele é bravo, chato. O coração do Fausto é enorme e ele demonstra isso para o Maradona, que faz o café, até o diretor do programa. Ele só é exigente. Se ele não fosse, não estaria onde está, não teria o cargo que tem. O Fausto dá palpite em tudo no programa. Ele não é só aquele apresentador que telespectador vê na TV. Ele escolhe tudo, tem quadro que é ele quem faz. Ele participa 100% do programa. Acho justo ele cobrar e pedir. Quem está lá dentro sabe que ele não fez ofensa, embora a mídia pense o contrário. Ele tem total liberdade com a equipe e dá essa liberdade para a equipe também. Ele é muito querido por todos, muito mesmo.

Sobre o futuro profissional, ela avisa:
Vivian Fernandez
Sobre o futuro profissional, ela avisa: "Tem que ter calma. Tudo acontece na hora certa"

iG: Você não se sente injustiçada por não receber parte dos valores pagos à emissora, referentes aos merchans?

Talitha Morete: Tenho um salário fixo e não me sinto injustiçada, porque eles pagam bem para eu apresentar os merchans. É justo pelo que eu faço. O apresentador mesmo é o Fausto e ele é quem recebe. Eu estou, na verdade, representando-o.

iG: O que pretende daqui para frente?
Talitha Morete:
É tudo muito recente, eu ainda estou no ar - o último programa será exibido no dia 30 de janeiro. Fui viajar no Natal e no réveillon. Descansei, não decidi, mas tenho vários projetos que ainda não posso falar. Vou seguir pela área de jornalismo. Eu me identifico bastante com o jornalismo esportivo. É complicado falar, porque ainda não sei o que vai acontecer. Mas eu não fico muito desesperada. Tem que ter calma. Tudo acontece na hora certa.

iG: Já pensou em ser atriz? Os amigos globais tentam te levar para esta área?

Talitha Morete: Eu tinha muitas amigas na Globo, de antes de eu ir para o Rio, e ninguém me ajudou. Não estou reclamando disso, mas não gosto de pedir ajuda para ninguém. Às vezes as pessoas falam que vão te ajudar e não acontece nada. Contato é muito importante, mas na hora do "vamos ver", tem que ir por você, correr atrás sozinha. Quanto a ser atriz, fiz a escola de teatro do Ulysses Cruz - atual diretor artístico do "Domingão do Faustão" -, porque eu era muito tímida, do coração disparar na apresentação de trabalho da escola. No teatro, as aulas de expressão corporal e improvisação me ajudaram muito. Você paga cada mico... (risos) Admiro a profissão de ator, mas não nasci para isso.

Vivian Fernandez
"Playboy, hoje em dia eu falaria não, mas quem sabe um dia eu não fizesse pelo dinheiro?", entrega

iG: Você já fez um ensaio sensual para a revista Lounge. Toparia posar nua na Playboy?
Talitha Morete:
Hoje eu te falaria não. Tem aquele coisa do "nunca diga nunca" e eu não tenho nada contra quem fez. Dá para fazer um trabalho bonito e profissional, mas não é meu objetivo. Nas fotos que fiz para a Lounge, eu estava de biquíni. Escolhi a equipe a dedo, estava segura, num lugar maravilhoso, um resort em Porto Feliz que inspirava qualquer pessoa. Nas fotos, você não presta atenção só no meu corpo. É um conjunto, um trabalho legal. Playboy, hoje em dia eu falaria não, mas se um dia eu quisesse fazer... Não está entre os meus objetivos, mas quem sabe um dia eu não fizesse pelo dinheiro, ou se eu precisasse?

iG: Você gosta de malhar? Até onde vai a sua vaidade?
Talitha Morete:
Eu tenho várias amigas, algumas até bailarinas do "Domingão", que falam das clínicas de estética onde elas vão. Mas uma vez vi uma amiga enfiar uma agulha, que... ai, nem que eu tivesse só ceulite no corpo, eu não faria. Eu sempre me alimentei muito bem. Gosto de fruta e salada. Como besteira também, mas nunca fiz dieta. Meus pais são supermagrinhos, não tenho como engordar, só que não tenho mais 18 anos (risos). Quando voltei da Austrália, engordei 5 kg e comecei a malhar porque meu irmão sugeriu. Adorei e não parei mais! Malho há oito anos, de duas a três vezes por semana. Já fiz yoga, boxe, capoeira, de tudo um pouco, mas faço mais musculação. Também adoro correr na praia, mas preciso tomar cuidado, porque seco muito rápido. Se eu fizer muito exercício, fico magra demais e não gosto de ficar magrela. Às vezes tenho preguiça de ir para a academia, mas lá eu fico feliz e penso: ainda bem que vim. Malhar dá disposição e faz bem.

Vivian Fernandez
"Eu moro sozinha desde os 18 anos. Tenho o meu espacinho, a minha casinha, gosto de ficar um pouco sozinha", entrega a apresentadora

iG: Pretende voltar a viver em São Paulo ou se adaptou bem à vida no Rio de Janeiro?
Talitha Morete: Vou continuar morando no Rio. Eu amo aquele lugar. Fui feliz em São Paulo, mas aqui [de férias, Talitha está passando uns dias na casa do namorado, José Ricardo, de 28 anos] é `vida wokaholic`, existe muita pressão. Embora a noite paulistana - baladas e restaurantes - seja atrativa, eu não estava nesta vibe, e sim numa fase mais tranquila. Aí, quando eu passava o fim de semana no Rio, achava que nunca conseguiria morar lá, quando na verdade era tudo o que eu precisava (risos). Eu moro na Barra da Tijuca, do lado do Projac. Naquele bairro, até a praia é muito melhor. Embora minha família esteja em Campinas e meu namorado seja de São Paulo, eu quero continuar lá, sim, vindo para cá de vez em quando. Eu moro sozinha desde os 18 anos. Você acostuma. Tenho o meu espacinho, a minha casinha, gosto de ficar um pouco sozinha, embora ame ir para a casa dos meus pais, curtir a "mordomia" da mãe (risos).

Vivian Fernandez
"Eu e o José Ricardo estamos juntos há cinco meses. É super recente!", diz sobre o namoro
iG: Você e o seu namorado moram em Estados diferentes. Além disso, você gosta de morar sozinha. Casamento, então, não faz parte dos seus planos?
Talitha Morete:
Eu quero casar... um dia (risos). Quando eu era nova, fazia planos de casar com 25 e ter filho com 26. Hoje em dia eu tenho 26 e penso em casar no mínimo com 29. Casamento não deve ser fácil. Você deve ter certeza absoluta de que está com a pessoa certa. Saber dividir o espaço com essa pessoa é o mais difícil. Sou sagitariana, prezo muito a liberdade, odeio gente me cobrando, me vigiando. Senão eu fujo (risos). Eu e o José Ricardo estamos juntos há cinco meses. É super recente!

iG: Como você e o seu namorado, José Ricardo, se conheceram?
Talitha Morete: Eu estava solteira há um ano. Solteira e feliz, daquelas convictas (risos). Fui ao Cafe de la Musique - adoro sertanejo, sou do interior (risos) - para o aniversário de uma amiga, e o conheci. Eu cumprimentei algumas pessoas de uma mesa e só com o "oi", no dia seguinte ele me adicionou no Facebook. Comecei a frequentar o lugar, a gente se encontrou de novo e começou a rolar. Ele me pediu em namoro na segunda vez que fiquei com ele. E hoje em dia não se escuta mais isso: quer namorar comigo? Pensei: só vou namorar se realmente valer a pena, se for com uma pessoa bem bacana, senão eu fico sozinha, porque a minha vida também está superbacana (risos). Mas ele é uma pessoa muito do bem, com os mesmos valores que eu, com uma família muito legal.

iG: Como pretende aproveitar seus últimos dias de férias? Quais seus planos para o Carnaval?
Talitha Morete: Eu queria viajar de verdade, porque ainda não consegui. Passei o réveillon no Guarujá [litoral Sul de São Paulo], fiquei um tempo em Campinas, tive uma reunião no Rio e voltei para São Paulo, porque serei mestre de cerimônia em um evento aqui - um trabalho que faço por fora. Estou na correria, então se não conseguir viajar agora, a minha ideia é de fazer isso no Carnaval. Fernando de Noronha é uma opção.

iG: Você já desfilou no Carnaval?
Talitha Morete: Já desfilei pela Estácio de Sá, há uns quatro ou cinco anos, quando nem morava no Rio ainda, e me arrependi. Fui como marinheira de primeira-viagem. Um amigo me convidou para sair no carro abre-alas. Fui de carro para o sambódromo e o estacionamento é muito longe de tudo. Eu estava de saltinho debaixo de um calor infernal. No caminho, levei o salto na mão e queimei o pé (risos). Quando cheguei na concentração, já estava toda acabada. Dava até para fazer um filme dessa história. Horrível! Eu queria sair correndo dali, mas dei minha palavra. Passei o maior perrengue para subir, não tinha ninguém para me ajudar, e fiquei meio traumatizada. A fantasia não era tão "pelada", como a de uma rainha de bateria. Só mostrava a barriga. Era biquíni, saia, salto e uma coisa na cabeça.

iG: Então você não pretende voltar à avenida nunca mais?
Talitha Morete: Minhas amigas dizem: não costuma ser assim, tem uma puta estrutura. Mas tem que ter muita vontade, disposição e amar muito. Tem tantas mulheres que gostam, esperam o ano todo só para desfilar, que treinam, fazem dieta para estar com o corpo perfeito na avenida. Admiro essa dedicação toda, mas não é para mim. Embora, se um dia houver o convite de uma escola, com algo mais organizado, talvez eu vá de novo. Este ano estou devagar.

iG: O que a passagem pelo "Domingão do Faustão" significou para você?
Talitha Morete:
Por enquanto, a fase mais importante da minha carreira, porque foi o programa de maior audiência onde trabalhei. Aprendi muito. Eu ficava ouvindo e absorvendo tudo o que o Fausto falava. Ele é alguém que apresenta como ninguém, tem uma bagagem impressionante - foi de rádio, do jornalismo esportivo, do "Viva Noite" -, é a melhor pessoa com quem eu poderia ter trabalhado. Só tenho a agradecer pelo programa. Ter a oportunidade de trabalhar na Globo, ainda mais ao vivo... Tem uma equipe toda por trás que faz acontecer, imensa, todo mundo a fim, todo mundo junto, fazendo com vontade, sempre motivado. Nossa, a Globo é uma empresa que dispensa comentários!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.