Marjorie Estiano e Malvino Salvador protagonizam o episódio de estreia

Marjorie encarna cineasta na volta à TV
Fernando Lira/TV Globo
Marjorie encarna cineasta na volta à TV
Letra e música de canções do cantor e compositor Chico Buarque inspiraram os quatro episódios da microssérie "Amor em 4 Atos", que serão exibidos nesta semana, logo após o BBB11. Na estreia, Marjorie Estiano e Malvino Salvador interpretam Letícia e Antônio no episódio "Ela Faz Cinema".

"A Letícia é uma cineasta caótica, romântica e desorganizada na vida e no trabalho, mas ela está procurando uma estabilidade. Ela tem um relacionamento de anos que é um pouco conturbado e acaba se envolvendo com um suposto vizinho. A minha personagem omite que tem um noivo e o personagem do Malvino omite quem verdadeiramente ele é. Nenhum dos dois é completamente sincero, mas o sentimento de ambos é uma coisa muito verdadeira", explicou Marjorie, que é fã de Chico Buarque.

Nesta série, a atriz e cantora curitibana vive uma jovem cineasta que sonha em finalizar seu primeiro clipe, mas uma reforma no apartamento de cima atrapalha seu raciocínio. Então ela se apaixona por Antônio sem saber que ele é o pedreiro da obra do vizinho.

O videoclipe produzido por Letícia conta com a participação de Arnaldo Antunes . “Eu sou muito amigo do Arnaldo e o convidei para interpretar a música e protagonizar o videoclipe”, revelou Tadeu Jungle, diretor do episódio.

Além de atriz, Marjorie também trabalha como cantora. No seu DVD de estreia, "Marjorie Estiano e Banda - Ao Vivo", ela gravou a música "Até o Fim", um dos sucessos do cantor e compositor carioca.

O capítulo de estreia de "Amor em 4 Atos" é baseado em duas músicas, "Ela Faz Cinema" e "Construção". Confira as letras a seguir:

Ela Faz Cinema (Chico Buarque)

Quando ela chora
Não sei se é dos olhos para fora
Não sei do que ri

Eu não sei se ela agora
Está fora de si
Ou se é o estilo de uma grande dama

Quando me encara e desata os cabelos
Não sei se ela está mesmo aqui
Quando se joga na minha cama

Ela faz cinema
Ela faz cinema
Ela é a tal
Sei que ela pode ser mil
Mas não existe outra igual

Quando ela mente
Não sei se ela deveras sente
O que mente para mim

Serei eu meramente
Mais um personagem efêmero
Da sua trama

Quando vestida de preto
Dá-me um beijo seco
Prevejo meu fim
E a cada vez que o perdão
Me clama

Ela faz cinema
Ela faz cinema
Ela é demais
Talvez nem me queira bem
Porém faz um bem que ninguém
Me faz

Eu não sei
Se ela sabe o que fez
Quando fez o meu peito
Cantar outra vez

Quando ela jura
Não sei por que Deus ela jura
Que tem coração
e quando o meu coração
Se inflama

Ela faz cinema
Ela faz cinema
Ela é assim
Nunca será de ninguém
Porém eu não sei viver sem
E fim

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.