Videntes, profetas, adivinhos, cartomantes, picaretas ou honestos... escolha o seu

Rodrigo Lombardi como Herculano Quintanilha no remake de
TV Globo
Rodrigo Lombardi como Herculano Quintanilha no remake de "O Astro"




"O Astro" estreia na Globo nesta terça-feira (12) cercada de grandes expectativas - afinal, abre o horário das novas "novelas das onze" da emissora. E para inaugurar o filão em grande estilo, a Globo escolheu um texto repleto de referências místicas, esotéricas e zodiacais.

A começar pela música de abertura, "Bijuterias", de João Bosco , que canta frases como "minha pedra é ametista... minha cor, o amarelo... eu sou de virgem...". A mesma canção abriu a primeira versão da novela, exibida entre 1977 e 78. Em ambas, o protagonista é o picareta Herculano Quintanilha ( Francisco Cuoco em 77, e agora Rodrigo Lombardi ): um sujeito que, entre outros golpes, finge ser vidente.

No original, o "vidente" se apresentava em uma churrascaria. Desta vez, ele trabalha em uma casa de shows. Mas a picaretagem é a mesma: Herculano não tem poder mágico nenhum.

Os Picaretas

Francisco Cuoco na versão original de
Reprodução
Francisco Cuoco na versão original de "O Astro"

Na história da teledramaturgia brasileira, é longa a lista dos esotéricos falsários, que enganam a boa-fé do povo. O próprio Cuoco já repetiu a dose, ao encarnar o Pai Gaudêncio de "Da Cor do Pecado" (2004). Ele era o guru de Pai Helinho ( Matheus Nachtergaele ), um falso pai-de-santo que fingia ter visões e incorporações, ajudado por seu fiel escudeiro, Cezinha ( Arlindo Lopes ).

Em "Cambalacho" (86), outra comédia das 19h, Fernanda Montenegro era a trambiqueira Naná, que se fingia de cartomante para arrancar dinheiro dos ingênuos.

Na mesma linha, o guru Políbio ( Guilherme Karan ) de "Partido Alto" (84) misturava todas as correntes esotéricas existentes. O personagem fez tanto sucesso que provocou uma moda passageira de produtos como búzios, baralhos de tarô, pirâmides e cristais.

Francisco Cuoco e Matheus Nachtergaele em
TV Globo
Francisco Cuoco e Matheus Nachtergaele em "Da Cor do Pecado"



Ainda no ramo dos esotéricos de araque, vale lembrar Joãozinho de Dagmar ( Paulo Betti ) em "O Fim do Mundo" (96). O místico anunciou o fim dos tempos, colocando a cidadezinha de Tabacópolis em pânico.

E teve também o Radesh ( Marcius Melhem ) de "Caminho das Índias" (2009). O indiano encarnava um falso guru que vendia de incensos milagrosos a produtos para "limpeza de aura".

O falso místico Radesh (Marcius Melhem) de
TV Globo
O falso místico Radesh (Marcius Melhem) de "Caminho das Índias"



Mas nem tudo é mentira no mundo dos místicos. O inocente Marcos ( Thiago Fragoso ), protagonista de "O Profeta" (2006), era um vidente autêntico e acabou tendo sua capacidade explorada comercialmente.

Diogo Vilela como Uálber em
Reprodução
Diogo Vilela como Uálber em "Suave Veneno"

Outro guru, Uálber Cañedo ( Diogo Vilela ), também tinha poderes verdadeiros. No início Uálber era mais um charlatão do mundo esotérico e vivia às voltas com seu desastrado assistente, Edilberto ( Luís Carlos Tourinho ).

Apesar do humor que cercava o personagem na novela "Suave Veneno" (99) - Uálber era inspirado no vidente da vida real Walter Mercado -, ele acabou descobrindo que podia mover objetos à distância e também levitar. Só tinha um problema: Uálber ficava bloqueado na hora de demonstrar seus poderes em público.



Os Paranormais

Thiago Fragoso no papel-título de
Rafael França/TV Globo
Thiago Fragoso no papel-título de "O Profeta"

E já que os poderes podem ser paranormais, entram em cena os personagens dotados de estranhas habilidades. "Olho no Olho" (93) narrava o embate entre dois adolescentes poderosos: o bonzinho Aleph ( Felipe Folgosi ) e o perverso Fred ( Nico Puig ). Os dois costumavam ficar possuídos, com direito a olhos luminosos vermelhos e azuis, movendo objetos e causando transtornos por toda parte - claramente inspirados nos filmes "Carrie, a Estranha" (76) e "A Fúria" (78), ambos de Brian DePalma.

Outro representante do gênero é o curandeiro Emanuel ( Eduardo Tornaghi ) da obscura novela "O Todo Poderoso", exibida pela Band entre 1979 e 1980. Na história, um hospital é invadido por forças do além. A novela foi um fracasso total, investindo no gênero do terror, com possessão do diabo e afins.

O ator Carlos Augusto Strazzer (1946-1993) foi um especialista em interpretar paranormais. Ele atuou como Daniel, o protagonista da primeira versão de "O Profeta" (77, na TV Tupi). Depois, encarnou Argemiro, o guru de "Mandala" (87), uma novela inteiramente mística - afinal, baseava-se na tragédia grega "Édipo Rei", de Sófocles .

Argemiro - interpretado por Marco Antônio Pâmio na primeira fase da novela e por Strazzer na segunda - era o braço direito de Laio ( Taumaturgo Ferreira/Perry Salles ), e ao jogar os búzios anunciou que, no futuro, Laio seria assassinado pelo próprio filho, Édipo ( Felipe Camargo ). O que, de fato, aconteceu.

Na Praia, No Campo, Na Fazenda

Também jogador de búzios era Pai Gil ( Tony Tornado ), de "Vamp" (91, atualmente em reprise no Canal Viva ). Ajudado pela filha Branca ( Aída Leiner ), Pai Gil previu os ataques dos vampiros na cidade praiana de Armação dos Anjos.

Cidades litorâneas e campestres costumam abrir espaço para forças ocultas. Na recente "Araguaia" (2010), uma fazenda no interior de Goiás vive sob uma maldição indígena. A personagem Estela ( Cléo Pires ) chega a ir morar no meio do mato e passa a se relacionar com espíritos de tribos milenares. A vidente Terê ( Thaís Garayp ) também previa acontecimentos da história.

Cléo Pires, a índia mística Estela de
TV Globo
Cléo Pires, a índia mística Estela de "Araguaia"



A fictícia cidade mineira de Serranias era o cenário de "Eterna Magia" (2007). Fundada por irlandeses, é conhecida como "a cidade das bruxas". Nina ( Maria Flor ) é a garota poderosa que resiste a usar seus poderes. Sua irmã, Eva ( Malu Mader ), por outro lado, apela para a bruxa Zilda ( Cássia Kiss ) para alcançar seus objetivos.

A novela se baseava no universo da religião Wicca, com as bruxas boas conhecidas como Valentinas, e as más, como as Rasputinas. E até o escritor e mago Paulo Coelho fez uma ponta no primeiro capítulo.

Maria Flor e Malu Mader: irmãs envolvidas com as bruxas em
TV Globo
Maria Flor e Malu Mader: irmãs envolvidas com as bruxas em "Eterna Magia"



Os Religiosos

Entrando no universo religioso, outros tipos de poderes aparecem. A Zoraide ( Jandira Martini ) de "O Clone" (2001, atualmente em reprise no "Vale a Pena Ver de Novo" ), representando a religião muçulmana, tinha o hábito de ler o futuro através da borra do café.

No terreno da cultura africana, a minissérie "Tenda dos Milagres" (85) mostrava a mãe-de-santo Magé Bassã ( Chica Xavier ), que tenta ajudar o protagonista Pedro Archanjo ( Nelson Xavier ).

Também adaptada de Jorge Amado , a novela "Porto dos Milagres" (2001) trazia o personagem Guma ( Marcos Palmeira ), que tinha o corpo fechado e era protegido de Iemanjá.

Já no departamento de novelas espíritas, os exemplos são muitos. "A Viagem" (versões de 75 e 94), "Alma Gêmea" (2005), "Escrito nas Estrelas" (2010) - todas se baseando na doutrina kardecista, com maior ou menor fidelidade. "Escrito nas Estrelas" tinha, inclusive, mais uma vidente charlatã, a Madame Gilda ( Jandira Martini ).

Mas, em matéria de extravagância esotérica na TV, o primeiro prêmio vai mesmo para "Estrela- Guia" (2001). Protagonizada pela cantora Sandy , a novela mostrava a criação de uma comunidade, a Arco da Aliança, fundada pelos pais de Cristal (Sandy).

Misturando elementos da cultura hindu com o movimento hippie, a novela mesclava astrologia, antropologia e sociedade alternativa, repleta de símbolos esotéricos e místicos - incluindo o visual e o linguajar dos personagens, um tanto exagerados.

Tão exagerados como Herculano Quintanilha, o protagonista de "O Astro".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.