De acordo com comunicado, “o objetivo do procedimento é que a Globo não contribua para o processo de estigmatização da mulher"

Daniel e Monique antes da saída do brother do jogo
Reproduçao TV Globo
Daniel e Monique antes da saída do brother do jogo

Além do envolvimento da Polícia Civil e do Ministério Público do estado do Rio de Janeiro, outro órgão vai entrar na polêmica do BBB12 envolvendo Daniel e Monique . Em vídeo transmitido pelo pay-per-view, o modelo teria supostamente abusado sexualmente da estudante, fato que foi desmentido pelos dois, mas que segue em investigação .

Nesta terça-feira (17), o Ministério Público do Estado de São Paulo anunciou que abrirá procedimento para apurar se houve violação aos direitos da mulher. De acordo com comunicado, “o objetivo do procedimento é que a Rede Globo não contribua para o processo de estigmatização da mulher”.

LEIA MAIS: ENTENDA O CASO DO SUPOSTO ABUSO DE DANIEL EM MONIQUE

VEJA TAMBÉM: Confira a curta trajetória de Daniel

Confira comunicado oficial:

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em São Paulo, órgão do Ministério Público Federal abriu hoje um procedimento para "apurar divulgação de cena com possível abuso sexual por parte de participante do Big Brother Brasil BBB12, com violação aos princípios constitucionais da Comunicação Social e ofensa aos direitos da mulher".

O procedimento não é de natureza criminal. O possível crime ocorrido no estúdio em que é gravado o programa já é objeto de apuração da Polícia Civil e do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

E AINDA: "Foi tesão de balada", fala Monique sobre Daniel

ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA DO BIG BROTHER BRASIL 12 NO iG

SIGA O TWITTER DO IG NO BIG BROTHER 12

A natureza da investigação do MPF é cível e visa garantir, principalmente, o respeito aos direitos da mulher. O objetivo do procedimento é que a Rede Globo, emissora de alcance nacional, não contribua para o processo de estigmatização da mulher, mas para a promoção do respeito à mulher e a desconstrução de ideias que estabelecem papéis estereotipados para o homem e a mulher, conforme prevê a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher (Convenção de Belém do Pará).

Uma das possíveis linhas de trabalho do MPF é exigir da emissora a publicação de esclarecimentos no BBB sobre os direitos das mulheres, de forma semelhante à atuação da instituição no caso do BBB 10, quando o MPF exigiu da Globo um esclarecimento sobre as formas de transmissão da Aids.

 LEIA TAMBÉM: Proibida de falar sobre polêmica, Monique manda mensagens cifradas

SAIBA MAIS: “Daniel não volta ao BBB”, informa Globo


Outro questionamento que o MPF fará é sobre a forma como a Rede Globo informou o público a respeito dos fatos ocorridos na casa. Segundo a emissora, o participante Daniel teria sido expulso por "comportamento inadequado", mas a grande parcela do público que não tem pay-per-view e não viu as cenas ocorridas no último final de semana entre ele e a participante Monique, nem acompanha o debate em torno do assunto nas redes sociais, ficou sem saber em que contexto o "comportamento inadequado" ocorreu.

LEIA MAIS: Monique se recusa a fazer exame de corpo de delito

O MPF em São Paulo, em virtude da fase inicial em que se encontra a apuração, não se manifestará publicamente sobre o caso novamente enquanto não receber as respostas da emissora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.